Quais as melhores ações de dividendos para 2024? PETR4, BBSE3, EGIE3 e mais 5 opções

Analistas esperam resultados melhores das empresas neste ano, na esteira da queda dos juros

Márcio Anaya

Publicidade

As perspectivas para o ano apontam um horizonte promissor para quem busca ações de dividendos. Em linhas gerais, espera-se que a queda gradativa dos juros estimule os negócios, reduza a pressão sobre dívidas e alivie os riscos de inadimplência, melhorando os resultados das empresas.

“No agregado, a tendência é favorável para os balanços de 2024”, diz Pedro Serra, chefe de pesquisas da Ativa Investimentos.

Nesse contexto, a lista dos papéis de dividendos mais indicados para este ano traz oito nomes – obtidos após levantamento realizado pelo InfoMoney a partir de consultas e entrevistas com cinco casas de análise.

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O topo do ranking é ocupado pela Petrobras (PETR4), citada por quatro instituições. Na sequência aparecem BB Seguridade (BBSE3), Engie (EGIE3) e Telefônica Brasil (VIVT3), todas com três escolhas. Banco do Brasil (BBAS3), Taesa Unit (TAEE11), TIM (TIMS3) e Vale (VALE3) fecham a lista.

Confira a seguir as oito ações de dividendos mais recomendadas para 2024, a quantidade de indicações e o dividend yield em 2023:

TickerRecomendaçõesDividend yield em 2023 (%)
PETR4429,22
BBSE3310,34
EGIE337,67
VIVT338,16
BBAS3213,18
TAEE1128,40
TIMS327,41
VALE326,83
Fontes: Ágora, Ativa, Guide, Terra Investimentos, XP Investimentos e Economatica.

Acompanhe agora os destaques de cada uma das companhias selecionadas:

Continua depois da publicidade

Petrobras (PETR4)

A gigante estatal lidera a preferência dos analistas entres os papéis de dividendos escolhidos para 2024.

“A empresa está mudando, com foco muito mais em investimentos e menos em dividendos, mas, mesmo assim, pagando o mínimo [de proventos] previsto em sua política, é um valor elevado, pois se trata de uma forte geradora de caixa”, afirma Serra, da Ativa.

BB Seguridade (BBSE3)

Os resultados recentes da companhia demonstram solidez, com um desempenho altamente positivo em todos os segmentos operacionais, conforme avaliação de Luis Novaes, analista da Terra Investimentos.

A tese se apoia ainda em um bom trabalho de expansão da BB Seguridade, aumentando as parceiras e a penetração dos seus canais digitais.

Engie (EGIE3)

Maior produtora privada de energia elétrica do país, a Engie segue bastante lembrada pelos especialistas quando o assunto é dividendo.

“Entendemos que o investimento na Engie é historicamente positivo, considerando o retorno em relação à remuneração ao acionista, portanto, mesmo diante das pressões no curto prazo, vemos uma oportunidade para posicionamento com foco no longo prazo”, diz Novaes, da Terra.

Telefônica Brasil (VIVT3)

A Ativa acredita que a dona da marca Vivo pode melhorar a distribuição de proventos em 2024. Na opinião do chefe de pesquisas da corretora, o setor de telecomunicações está entrando em um ciclo de investimentos menor do que no passado, o que favorece essa perspectiva.

“Com menos necessidades de desembolsos, a tendência é de que sobrem recursos para distribuir aos acionistas”, avalia Serra. Outro ponto, segundo ele, é uma menor competição no segmento.

Banco do Brasil (BBAS3)

A instituição financeira é uma das apostas de dividendos da XP, com a expectativa de aumento na fatia do lucro distribuída aos acionistas.

Segundo a corretora, tal cenário considera uma maior capitalização do grupo, a manutenção da tendência positiva de lucros e o fato de a carteira de crédito possuir características defensivas – em razão dos índices de inadimplência reduzidos.

Taesa Unit (TAEE11)

Considerada um “reloginho” quando se trata de proventos, a Taesa possui cadeira cativa na preferência dos especialistas.

A XP lembra que a alavancagem da empresa aumentou bastante nos últimos anos, em razão de um forte ciclo de investimentos, mas ainda assim apresenta um patamar confortável para fazer frente aos projetos e manter o nível de dividendos.

TIM (TIMS3)

Ativa e XP acreditam que o setor de telefonia móvel no país está próximo de entrar em uma fase de maior disciplina de capital nos investimentos em infraestrutura.

Nesse contexto, a sólida execução nos últimos anos transformou a TIM em termos de eficiência e lucratividade, fazendo com que apresente hoje a melhor margem Ebitda entre as grandes empresas do segmento, por exemplo.

Vale (VALE3)

Incertezas em relação aos preços das commodities metálicas em 2024 tiraram o protagonismo da Vale, mas a mineradora ainda figura entre as ações de dividendo mais citadas pelos analistas.

“Apesar de uma premissa mais baixa para os preços das commodities no futuro, esperamos que a Vale se beneficie de notas e prêmios mais elevados nos próximos anos”, afirmam os analistas.

Márcio Anaya

Jornalista colaborador do InfoMoney