Central de FIIs

Ifix tem sexta sessão seguida de ganhos; FII RBFF11 é destaque de alta

O fundo imobiliário Rio Bravo Ifix (RBFF11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 1,78%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta quinta-feira (21) com alta de 0,05%, aos 2.791 pontos. Foi a sexta sessão seguida de ganhos do indicador. O fundo Rio Bravo Ifix (RBFF11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 1,78%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

O setor logístico de alto padrão encerrou o segundo trimestre de 2022 com uma absorção líquida – saldo do espaço ocupado menos o volume entregue – de 876 mil metros quadrados, a maior da série histórica iniciada em 2012, segundo dados da Binswanger Brazil, consultoria imobiliária.

De acordo com o levantamento, o segmento recebeu 810 mil metros quadrados de novos galpões entre abril e junho, número acima dos 157 mil metros quadrados registrados no primeiro trimestre do ano.

Do novo estoque entregue no segundo trimestre, houve a pré-locação de 70%, abaixo do índice dos três primeiros meses do ano, de 75%.

Mesmo com o recente estoque entregue – de 810 mil metros quadrados – o levantamento da Binswanger Brazil projeta ampliação de entregas até o final de 2022.

“Está prevista a adição de 2 milhões de metros quadrados ao estoque nacional até o final do ano, sendo 1,3 milhão de metros quadrados apenas para o próximo trimestre”, sinaliza o estudo.

Diante da expectativa, a consultoria prevê que a taxa de vacância no segmento logístico de alto padrão crescerá nos próximos meses. Atualmente, o indicador está em 10%, o menor nível da série histórica iniciada em 2012.

“Ainda que consideremos que o mercado se mantenha aquecido até o fim do ano, seria bastante atípica a absorção dos 2 milhões de metros quadrados previstos para entrega no segundo semestre”, pontua a consultoria.

No segundo trimestre, o preço médio pedido para a locação no setor apresentou aumento de 6,4% com relação ao trimestre anterior, e 13,9% na comparação com o mesmo período de 2021, chegando a R$ 21,89 por metro quadrado.

Maiores altas desta quinta-feira (21)

TickerNomeSetorVariação (%)
RBFF11Rio Bravo IfixTítulos e Val. Mob.1,78
BLMG11Bluemacaw LogísticaLogística1,65
RZAK11Riza AkinTítulos e Val. Mob.1,65
BCFF11BTG Pactual Fundo de FundosTítulos e Val. Mob.1,53
BTLG11BTG Pactual LogisticaLogística1,37

Maiores baixas desta quinta-feira (21):

TickerNomeSetorVariação (%)
CPFF11Capitânia ReitHíbrido-2,62
XPSF11XP SelectionOutros-2,6
RCRB11Rio Bravo Renda CorporativaLajes Corporativas-2,57
BCIA11Bradesco Carteira ImobiliáriaTítulos e Val. Mob.-1,62
SARE11Santander RendaHíbrido-1,33

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

FII Bluecap Renda Logística (BLCP11) quer devolver galpão comprado no interior de São Paulo

Em fato relevante divulgado nesta quinta-feira (20), o FII Bluecap Renda Logística comunicou decisão de devolver galpão adquirido em 2020, na cidade de Cabreúva, no interior de São Paulo.

De acordo com o documento, o fundo constatou a inviabilidade do licenciamento ambiental e da conclusão das obras de expansão do imóvel, condições previamente assumidas para a conclusão do negócio.

Diante da constatação, a carteira alega que a parte vendedora não cumpriu as obrigações previstas no contrato e decidiu entrar com uma ação judicial para que a transação seja cancelada.

O fundo cobra a restituição de todas as parcelas pagas no negócio – que totalizam R$ 92 milhões – e outras despesas relacionadas à aquisição do imóvel.

Atualmente, o portfólio do Bluecap Renda Logística é formado por cinco imóveis, que representam uma área bruta locável (ABL) de quase 70 mil metros quadrados.

Dividendos hoje

Confira quais são 13 fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta quinta-feira (21):

TickerFundoRendimento
TSNC11Transinc R$  37,56
DOVL11BDovel R$  26,23
ELDO11BEldorado R$    6,67
RZAK11Riza Akin R$    1,65
BARI11Barigui Rendimentos Imobiliários I R$    1,50
AFHI11AF Invest Cri R$    1,40
ARCT11Riza Arctium R$    1,17
OURE11Ourinvest Renda Estruturada R$    1,15
BLMC11Bluemacaw Crédito Imobiliário R$    1,09
AFOF11Alianza FoF R$    1,05
CORM11Core Metrópolis R$    0,81
OUFF11Ourinvest Fundo De Fundos R$    0,75
RECX11REC FoF R$    0,44
GAME11Guardian Multiestratégia Imobiliária I R$    0,15
MANA11Manatí Capital R$    0,08

Fonte: InfoMoney. Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: como investirá André Bacci no segundo semestre; novas regras para ofertas de FIIs

FIIs de hotéis, Fiagro e outras apostas de André Bacci, que se aposentou aos 33 anos com fundos imobiliários

Com a experiência de quem vive de dividendos de fundos imobiliários desde os 33 anos, André Bacci tem nos FIIs de hotéis uma das principais apostas para o segundo semestre de 2022, que deverá ser marcado pelo período eleitoral e pelas discussões sobre os rumos da inflação e dos juros no País.

Bacci foi o convidado da edição desta terça-feira (19) do Liga de FIIs, que tem apresentação de Maria Fernanda Violatti, analista da XP, Thiago Otuki, economista do Clube FII, e Wellington Carvalho, repórter do InfoMoney.

No programa, o investidor revelou que observa com atenção e muita expectativa um segmento de fundos imobiliários normalmente ignorado pelos demais investidores: o hoteleiro.

Bacci lembra que o setor foi um dos que mais sofreram nos últimos anos com as restrições impostas pela pandemia da Covid-19. Os hotéis, lembra, acumularam dívidas diante da redução das receitas no período.

No entanto, com a retomada do setor de turismo, o ex-bancário acredita que o cenário mudou nos últimos meses e a receita do segmento hoteleiro tem aumentado a cada mês. O movimento, segundo ele, merece atenção.

“Quem acompanha o ‘mundo real’ já percebeu que a diária de hotel não está barata e o setor começa a pagar as dívidas contraídas ao longo da pandemia”, observa.

Bacci reconhece que o momento dos FIIs de hotéis ainda não se traduz em pagamento de dividendos. Ele explica que a distribuição dos rendimentos só ocorrerá após o pagamento das dívidas que, segundo ele, tem ocorrido em ritmo cada vez mais rápido.

Nas contas do investidor, os FIIs do segmento estão sendo negociados a aproximadamente 70% do valor patrimonial, o que representaria um desconto de 30%.

FIIs: novas regras para ofertas públicas podem trazer mais liquidez ao mercado e maior transparência para os cotistas

Acesso a um número maior de fundos imobiliários (FIIs) e mais transparência para a tomada de decisão são alguns dos benefícios esperados para o investidor com a reforma das ofertas públicas anunciada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Na semana passada, a autarquia editou quatro de suas resoluções com o objetivo de dar mais flexibilidade e agilidade nas operações do mercado de capitais. O novo arcabouço regulatório entra em vigor em janeiro de 2023.

Especialistas ouvidos pelo InfoMoney afirmam que as alterações não afetam em nada as operações em si dos FIIs, que seguirão, por exemplo, distribuindo dividendos normalmente. As mudanças, no entanto, devem trazer mais liquidez ao mercado, ou seja, aumentar o volume de negociação dos fundos.

A perspectiva toma como base o ponto da reforma que unifica as instruções 400 – que regula ofertas para o público em geral – e 476 – ofertas restritas aos investidores institucionais, profissionais e qualificados, aqueles com mais de R$ 1 milhão em investimentos.

Na avaliação de Artur Losnak, head de FIIs do TC Matrix, a unificação das instruções – que cria as resoluções CVM 160, 161, 162 e 163 – permitirá aos pequenos investidores, também chamados de varejo, participação em ofertas que até então não tinham acesso.

“E um número maior de investidores nas ofertas propicia maior liquidez nos ativos listados na B3”, aponta. “Vimos diversos fundos que fizeram oferta 476 nos últimos anos e não possuem liquidez relevante”, pontua Losnak.

Desta forma, o especialista acredita que um número maior de fundos imobiliários poderá ter uma liquidez razoável – acima de R$ 1 milhão de reais – e, consequentemente, a indústria como um todo terá um volume maior de negociação.

O acesso a uma gama maior de ofertas permitirá também novas oportunidades de investimento para os cotistas, afirma Losnak, citando os mais de 400 fundos imobiliários disponíveis atualmente no mercado.

Compartilhe