Liga de FIIs

FIIs de hotéis, Fiagro e outras apostas de André Bacci, que se aposentou aos 33 anos com fundos imobiliários

O investidor falou sobre o tema no Liga de FIIs, programa do InfoMoney que completa um ano este mês

Por  Wellington Carvalho -

 

Com a experiência de quem vive de dividendos de fundos imobiliários desde os 33 anos, André Bacci tem nos FIIs de hotéis uma das principais apostas para o segundo semestre de 2022, que deverá ser marcado pelo período eleitoral e pelas discussões sobre os rumos da inflação e dos juros no País.

Bacci foi o convidado da edição desta terça-feira (19) do Liga de FIIs, que tem apresentação de Maria Fernanda Violatti, analista da XP, Thiago Otuki, economista do Clube FII, e Wellington Carvalho, repórter do InfoMoney.

No programa, o investidor revelou que observa com atenção e muita expectativa um segmento de fundos imobiliários normalmente ignorado pelos demais investidores: o hoteleiro.

Bacci lembra que o setor foi um dos que mais sofreram nos últimos anos com as restrições impostas pela pandemia da Covid-19. Os hotéis, lembra, acumularam dívidas diante da redução das receitas no período.

No entanto, com a retomada do setor de turismo, o ex-bancário acredita que o cenário mudou nos últimos meses e a receita do segmento hoteleiro tem aumentado a cada mês. O movimento, segundo ele, merece atenção.

“Quem acompanha o ‘mundo real’ já percebeu que a diária de hotel não está barata e o setor começa a pagar as dívidas contraídas ao longo da pandemia”, observa.

Bacci reconhece que o momento dos FIIs de hotéis ainda não se traduz em pagamento de dividendos. Ele explica que a distribuição dos rendimentos só ocorrerá após o pagamento das dívidas que, segundo ele, tem ocorrido em ritmo cada vez mais rápido.

Nas contas do investidor, os FIIs do segmento estão sendo negociados a aproximadamente 70% do valor patrimonial, o que representaria um desconto de 30%.

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Outras apostas de André Bacci

Bacci também afirma que mantém um portfólio predominantemente formado por fundos de “papel” – que investem em títulos de renda fixa atrelados a índices de inflação e à taxa do CDI (certificado de depósito interbancário). Porém, diante do atual cenário macroeconômico, ele diz que começou a direcionar mais aportes a fundos de tijolo – que investem diretamente em imóveis.

“Não temos mais um IGP-M de 30% e haverá uma desaceleração do IPCA nos próximos meses que pode assustar muitos investidores”, sinaliza o investidor, que se refere ao impacto de um possível arrefecimento da inflação nos dividendos distribuídos pelos fundos de “papel”.

Outro segmento que ganhou um espaço na carteira de investimentos de Bacci é o agronegócio, representado pelos Fiagros (fundos que investem nas cadeias produtivas agroindustriais).

“É um produto que pode, inclusive, superar os fundos imobiliários, diante dos números e do tamanho do agronegócio no Brasil”, projeta. “Não dá para ignorá-lo”, afirma Bacci.

Sobre as eleições, ele recusa a ideia de fazer caixa para aproveitar eventuais oportunidades geradas pelo possível aumento da volatilidade durante o período eleitoral.

Para o ex-bancário, há uma expectativa muito grande por parte dos investidores em períodos de eleição, mas que não se transforma necessariamente em volatilidade.

“Muito se fala da volatilidade apresentada em 2002, mas tivemos várias eleições depois que não tiveram o mesmo comportamento”, reflete. Diante disso, ele defende a manutenção da estratégia de aportes regulares e reinvestimento de dividendos.

Aposentadoria com fundos imobiliários

De professor de informática que ganhava um salário mínimo a investidor que vive exclusivamente com os dividendos recebidos de fundos imobiliários. A trajetória de Bacci – que deixou de trabalhar aos 33 anos – pode ser uma boa resposta aos que se questionam se é realmente possível se aposentar com FIIs.

O também autor do livro Introdução aos Fundos de Investimento Imobiliário defende o produto especialmente para o investidor mais iniciante em renda variável. Ele explica que, diferentemente de outras aplicações, o fundo imobiliário é mais intuitivo para quem está começando e quer gerar renda passiva.

“Em outras modalidades de investimento, você tem de entender o setor, conceitos de contabilidade e outros aspectos do produto”, explica. “No caso do fundo imobiliário, você compreende a tese de investimento lendo as três primeiras páginas do relatório gerencial”.

Na edição desta terça-feira (19) do Liga de FIIs, além de outras dicas, Bacci também sugere três livros para quem quer começar a investir nos fundos imobiliários. Produzido pelo InfoMoney, o programa vai ao ar todas as terças-feiras, às 19h, no canal do InfoMoney no Youtube. Você também pode rever todas as edições passadas.

Compartilhe