Central de FIIs

Ifix segue mercado e fecha com queda de 0,19%; FII RCRB11 sobe quase 4%

O fundo Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 3,97%

Por  Wellington Carvalho -

O IFIX – índice que reúne os fundos imobiliários mais negociados na B3 – fechou a sessão desta segunda-feira (11) com queda de 0,19%, aos 2.786 pontos. O fundo Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11) liderou a lista das maiores altas do pregão, com elevação de 3,97%. Confira os demais destaques de hoje ao longo do Central de FIIs.

O FII Banestes Recebíveis Imobiliários anunciou, na última sexta-feira (8), que investidores detentores de 6,88% das cotas do fundo desistiram do pedido de convocação de assembleia geral extraordinária (AGE) proposta no mês passado.

Na solicitação da AGE, os cotistas colocariam em votação a substituição da atual gestora da carteira, o Banestes DTVM S.A, pela Suno Gestora de Recursos.

No comunicado ao mercado da semana passada, o fundo não detalha os motivos da decisão, apenas reforça que a desistência seguiu orientação dos próprios cotistas solicitantes.

Na época do pedido, Amanda Coura, head de estruturação de produtos da Suno, confirmou contato com o fundo e sinalizou interesse da gestora em assumir o Banestes Recebíveis.

Com sete anos de existência, o Banestes Recebíveis tem atualmente um patrimônio líquido de R$ 670 milhões. O portfólio é composto por certificados de recebíveis imobiliários (CRI), que respondem por 86,6% da carteira, além de cotas de outros FIIs (9,8%) e de fundos de investimento (3,5%).

Na próxima sexta-feira (15), o fundo depositará R$ 1,47, equivalente a uma taxa mensal de retorno com dividendos de 1,34%, a maior dos últimos 12 meses, como aponta o último relatório gerencial da carteira.

Maiores altas desta segunda-feira (11)

TickerNomeSetorVariação (%)
RCRB11Rio Bravo Renda CorporativaLajes Corporativas3,97
RBFF11Rio Bravo IfixTítulos e Val. Mob.2,13
PVBI11VBI Prime PropertiesLajes Corporativas1,5
GTWR11Green TowersLajes Corporativas0,93
FCFL11Campus Faria LimaOutros0,8

Maiores baixas desta segunda-feira (11):

TickerNomeSetorVariação (%)
RBRP11RBR PropertiesOutros-3,34
CVBI11FII VBI CRITítulos e Val. Mob.-2,31
XPSF11XP SelectionOutros-2,11
OUJP11Ourinvest JPPTítulos e Val. Mob.-1,65
VINO11Vinci OfficesLajes Corporativas-1,41

Fonte: B3

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Riza Terrax cancela terceira emissão de cotas; penhora de recursos de locatário do GGR Covepi

GGR Covepi (GGRC11) pode reaver R$ 5,3 milhões de inquilino inadimplente

A Justiça atendeu a pedido do FII GGR Covepi e determinou a penhora da indenização que a Covolan – empresa da área têxtil e inquilina do fundo – receberia em decorrência do incêndio que atingiu parte do galpão industrial que ocupa em Santa Bárbara D’oeste (SP).

De acordo com o fundo, a decisão garante o repasse de R$ 5,3 milhões para o fundo, que vem cobrando na Justiça parte de aluguel não recebido da empresa.

Em janeiro, a Justiça confirmou decisão favorável ao GGR Covepi em processo iniciado pela locatária, que reivindicava pagar apenas 60% do valor do aluguel. O montante remanescente da locação, 40%, ficaria suspenso até fevereiro de 2022.

Na oportunidade, porém, o Juízo da 1ª Vara Cível do Foro de Santa Bárbara D’Oeste concedeu, em caráter liminar, parecer favorável à Covolan. O fundo recorreu da decisão e, em outubro do ano passado, conseguiu derrubar a liminar, voltando a ter direito à totalidade do aluguel de R$ 537 mil.

Apesar da decisão, o fundo não havia recebido o recurso até o início deste mês. Diante do impasse, a carteira chegou a cogitar uma ação de despejo contra a Covolan.

O fundo também detalha que a apólice do seguro do galpão em Santa Barbara D’oeste acumula coberturas que têm como beneficiária a Covolan e outras que têm como beneficiário o fundo. O objeto do pedido de penhora são justamente os valores de indenização cabíveis à locatária, aponta a carteira.

Riza Terrax (RZTR11) cancela terceira emissão de cotas

Em fato relevante divulgado na última sexta-feira (8), o FII Riza Terrax anunciou o cancelamento da terceira emissão de cotas do fundo, que havia sido anunciada no início de fevereiro e pretendia captar até R$ 288 milhões.

“Foi apresentada solicitação à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para a revogação da oferta em razão de condições de mercado desfavoráveis”, explica o documento.

De acordo com os gestores, o investidor que havia exercido o direito de preferência na oferta terá os recursos devolvidos, acrescidos de rendimentos auferidos pelas aplicações do fundo.

Antes do cancelamento, o FII Riza Terrax já havia reduzido o valor unitário das novas cotas e excluído a taxa de subscrição da então nova emissão.

Dividendos de hoje

Confira quais os três fundos imobiliários que distribuem rendimentos nesta segunda-feira (11):

TickerFundoRendimento
FIIB11Industrial Do Brasil R$  3,30
ELDO11BEldorado R$  0,30
RMAI11REAG Multi Ativos Imobiliários R$  0,26

Fonte: InfoMoney

Obs.: Tickers com final diferente de 11 se referem aos recibos e direitos de subscrição dos fundos.

Giro Imobiliário: mercado eleva projeção de inflação em 2023; estudo aponta FIIs mais baratos

Mercado vê menor pressão de administrados neste ano, mas eleva projeção de inflação de 2023

Especialistas reduziram a perspectiva para a inflação neste ano em meio a cenário de menor pressão para os preços administrados, mas ambas as medidas foram elevadas para 2023, de acordo com a pesquisa Focus que o Banco Central divulgou nesta segunda-feira.

O levantamento, que voltou a ser divulgado após o fim da greve dos servidores do BC, mostra que a projeção para a alta do IPCA em 2022 caiu a 7,67%, de 7,96% na semana anterior. Para 2023, entretanto, passou de 5,01% para 5,09%.

As duas leituras permanecem bem acima do teto da meta para ambos os anos — centro do objetivo oficial para a inflação em 2022 é de 3,5% e para 2023 é de 3,25%, sempre com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Os ajustes acontecem em meio revisões similares nas perspectivas para a inflação dos preços administrados. Para este ano o cálculo passou de 3,51% para 2,20%, mas para 2023 avançou de 5,99% a 6,15%.

XPPR11, RELG11 e TORD11 são os FIIs mais baratos, diz levantamento; confira a lista completa

Os fundos imobiliários XP Properties (XPPR11), REC Logística (RELG11) e Tordesilhas EI (TORD11) são os destaques da primeira edição do relatório “Quem Tá barato”, da Órama Investimentos.

“Sabemos que diante de uma amostra grande de FIIs que temos no mercado, muitas vezes o investidor não consegue acompanhar todas as oportunidades”, aponta o relatório. “Neste contexto, o ranking pode trazer nomes antes não avaliados”, completa.

Atualmente, existem mais de 430 fundos imobiliários listados na B3, com valor de mercado de R$ 143 bilhões. Em 2017, o segmento somava R$ 38,9 bilhões, divididos em 156 FIIs.

De acordo com o estudo, as notas do ranking levam em consideração a taxa de retorno com dividendos (dividend yield) e o P/VPA (preço sobre o valor patrimonial) do fundo. Quanto mais alta a nota, melhor é a relação entre os dividendos pagos pela carteira e o preço da cota negociada na Bolsa, sinaliza o levantamento.

Nos casos do XP Properties, REC Logística e Tordesilhas EI, as notas ficaram acima de 2. Confira a lista completa, dividida pelos seis principais tipos de fundos imobiliários:

Descubra o passo a passo para viver de renda com FIIs e receber seu primeiro aluguel na conta nas próximas semanas, sem precisar ter um imóvel, em uma aula gratuita.

Compartilhe