Reflexos da guerra

McDonald’s (MCDC34) anuncia saída total da Rússia após mais de 3 décadas

Rede fast food americana diz que guerra na Ucrânia e ‘ambiente operacional imprevisível’ tornaram negócio insustentável e inconsistente com seus valores

Por  Equipe InfoMoney -

O McDonald’s (MCDC34) anunciou nesta segunda-feira (16) que vai deixar a Rússia e acabar definitivamente com todas as suas operações no país. A decisão é tomada dois meses após a rede americana de restaurantes fast food suspender temporariamente o funcionamento das suas 847 lojas russas devido à guerra na Ucrânia.

A companhia afirmou hoje em um comunicado que “a crise humanitária causada pela guerra na Ucrânia e o ambiente operacional imprevisível desencadeado levaram o McDonald’s a concluir que a propriedade do negócio na Rússia não é mais sustentável, nem é consistente com os valores do McDonald’s”.

A rede fast food disse ainda que o impacto da saída deve ser de aproximadamente US$ 1,2 bilhão a US$ 1,4 bilhão. A medida foi anunciada logo após o governo Putin nacionalizar os ativos da montadora francesa Renault na Rússia, incluindo uma fábrica em Moscou e sua participação de 68% na montadora Avtovaz, dona da Lada.

Os últimos dias de funcionamento do McDonald’s na Rússia, em março, foram marcados por filas de pessoas para entrar nas unidades e de carros nos drive-trhus e funcionários cantando em forma de despedida enquanto trabalhavam. Houve até um cliente algemado em protesto (relembre no vídeo abaixo).

 

Russos também se aproveitaram e passaram a vender produtos do McDonald’s no maior site de anúncios do país após o fechamento das lojas. Itens populares como Big Macs e McMuffins foram oferecidos a preços bastante inflacionados — em um deles, o lanche mais famoso da rede fast food foi anunciado por mais de R$ 180.

A abertura da primeira unidade do McDonald’s em Moscou, na década de 1990, após o colapso da União Soviética, levou multidões ao restaurante e foi um símbolo da “vitória” do capitalismo sobre o socialismo. Da mesma forma, a saída da empresa do país também marca uma inflexão do Ocidente em relação à Rússia e ao governo do presidente Vladimir Putin.

Russos anunciam produtos do McDonald’s em site após fechamento das lojas no país (Reprodução/avito.ru)

No comunicado desta sexta, a empresa diz que “está buscando a venda de todo o seu portfólio de restaurantes McDonald’s na Rússia para um comprador local” sem o uso do nome, do logotipo, da marca e do cardápio da rede. Diz também que, entre as suas prioridades, está “garantir que os funcionários do McDonald’s Rússia continuem sendo pagos até o fechamento de qualquer transação e que tenham um emprego futuro com qualquer comprador em potencial”.

“Estamos excepcionalmente orgulhosos dos 62 mil funcionários que trabalham em nossos restaurantes, juntamente com as centenas de fornecedores que apoiam nosso negócio e nossos franqueados locais”, afirmou o CEO do McDonald’s, Chris Kempczinski, no comunicado. “Sua dedicação e lealdade ao McDonald’s tornam o anúncio de hoje extremamente difícil. No entanto, temos um compromisso com nossa comunidade global e devemos permanecer firmes em nossos valores”.

Leia também:

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe