Pandemia

Mais de 6.600 crianças já se vacinaram contra a Covid na cidade de SP; veja funcionamento dos postos

Vacinas pediátricas foram usadas em crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, indígenas e com deficiência permanente

Por  Agência Brasil

A cidade de São Paulo aplicou, até a noite desta segunda-feira (17), 6.663 doses de vacinas pediátricas que foram usadas em crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, indígenas e com deficiência permanente, segundo informações divulgadas pela Secretaria Municipal de Saúde.

Para a vacinação, as crianças devem estar acompanhadas por um responsável maior de 18 anos e apresentar documento de identificação, carteirinha de vacinação e comprovante de comorbidade ou da deficiência permanente.

A vacina está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Assistências Médicas Ambulatoriais Integradas (AMAs/UBSs) das 8h as 19h. Nesses locais, a vacinação infantil não é aplicada a partir das 7h porque a vacina precisa ser diluída.

Como as vacinas são armazenadas resfriadas (entre 2 e 8 graus), faz-se necessário, já no momento da abertura das UBSs (às 7h), retirar os frascos da câmara e aguardar cerca de uma hora para atingir a temperatura adequada. Por esse motivo, as doses pediátricas ficam prontas para uso somente a partir das 8h.

A vacina para crianças é diferente da que está sendo aplicada em adultos: a dosagem, por exemplo, é menor. O esquema vacinal é de duas doses, com intervalo de oito semanas entre elas.

Nesta terça-feira (18), o município recebeu um novo lote de vacinas pediátricas da Pfizer/BioNTech. Ainda hoje essas vacinas serão distribuídas para as unidades de saúde.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a capital vai receber 74.730 doses desse imunizante. Na semana passada, a cidade havia recebido um lote de 64.090 doses.

Mais informações sobre a vacinação em São Paulo e endereços dos postos podem ser obtidas no site da prefeitura de São Paulo.

Recomendações

A Anvisa divulgou, no início do mês, uma série de recomendações sobre a vacinação infantil. A agência sugere que a imunização ocorra em sala separada da de adultos e que a vacina não seja administrada no mesmo período de outras do calendário. Por precaução, é recomendado intervalo de 15 dias.

A Anvisa também recomenda que seja evitada a vacinação de crianças no esquema drive-thru (dentro do carro); que elas fiquem em observação no local por 20 minutos após receber a dose; e que os profissionais de saúde informem os pais sobre possíveis efeitos adversos do imunizante, como dor, inchaço no local da aplicação e febre.

O governo brasileiro encomendou 20 milhões de doses de vacina, todas da farmacêutica Pfizer. A dose para crianças será diferente da aplicada em pessoas a partir de 12 anos. Os frascos terão cores distintas para evitar erros na aplicação. A embalagem do imunizante para crianças tem a cor laranja e para adultos, roxa.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.
Compartilhe