Em falência

Voyager: “Nenhum cliente será beneficiado” por proposta de liquidez antecipada da FTX

CEO da FTX diz que sua oferta devolveria aos clientes da Voyager 100% dos ativos restantes, mas advogados dizem que isso só beneficia a FTX

Por  CoinDesk -

Os advogados que representam a falida empresa de empréstimo e rendimento com ativos digitais Voyager Digital responderam a uma proposta da exchange FTX de oferecer liquidez antecipada aos seus clientes, chamando-a de “lance baixo vestido como um resgate de cavaleiro branco” que só beneficia a FTX.

Em um processo judicial, os advogados da Voyager disseram que o plano “transfere um valor significativo para a Alameda Research e para a FTX e elimina completamente o valor dos ativos que não interessam a eles”.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Sob o plano da FTX, proposto pela primeira vez no final da semana passada, os clientes interessados da Voyager poderiam ter um adiantamento de suas reivindicações de falência. A ideia era que eles pudessem usar isso para comprar mais ativos digitais na FTX ou resgatar o montante em dinheiro.

No Twitter, o CEO da FTX, o bilionário cripto Sam Bankman-Fried, disse que isso daria aos clientes da Voyager a capacidade de acessar ativos que, de outra forma, ficariam bloqueados por um tempo significativo enquanto o caso passa pelo tribunal de falências.

Leia mais:
Por trás da queda da Voyager: a empresa de criptomoedas que agiu como um banco e faliu

“Para deixar claro: nossa oferta devolveria aos clientes da Voyager 100% dos ativos restantes que a plataforma possui, incluindo reivindicações sobre qualquer coisa recuperada no futuro”, twittou Bankman-Fried.

Os advogados da Voyager, contudo, discordam. No processo, eles escreveram que a “proposta da Alameda/FTX, que foi feita em violação dos Procedimentos de Licitação propostos, foi projetada para gerar publicidade para si mesma e não valor para os clientes da Voyager”.

“A Alameda/FTX propõe essencialmente uma liquidação onde a FTX cumpre o papel de liquidante. O ‘valor justo’ dos ativos e empréstimos de criptomoedas da Voyager está sujeito a negociação com a AlamedaFTX”, escreveu a equipe jurídica.

Entenda

Na semana passada, a FTX anunciou que estava planejando oferecer liquidez antecipada aos clientes da Voyager Digital. A proposta veio duas semanas depois que a Voyager entrou com pedido de recuperação judicial em Nova York, via “Chapter 11”, em busca de uma reestruturação.

A FTX disse que compraria todos os ativos e empréstimos da Voyager, com exceção do fundo de hedge cripto Three Arrows Capital (3AC), que também pediu falência este mês.

A Alameda Ventures, empresa controlada por Bankman-Fried, havia concedido anteriormente um empréstimo de US$ 200 milhões em dinheiro (dólares) e 15.000 Bitcoin (BTC) para a Voyager.

Segundo comunicado divulgado na sexta-feira (22), os clientes da Voyager que aceitassem a oferta (não obrigatória) teriam um saldo de caixa inicial financiado por uma distribuição antecipada de uma parte de suas reivindicações de falência. Eles poderiam sacar o dinheiro imediatamente ou usá-lo para comprar ativos digitais na FTX.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe