“Super Quarta” com Fed, Copom e dados de emprego dos EUA e Brasil; os destaques do mercado hoje

Mercado também fica de olho na entrevista coletiva com presidente do Fed, Jerome Powell, após a decisão de política monetária

Felipe Moreira

Publicidade

Os principais mercados mundiais operam mistos nesta quarta-feira (31), com investidores se preparando para decisão sobre juros do Federal Open Market Committee (Fomc), do Federal Reserve (Fed), nos EUA. Hoje, às 16h (horário de Brasília), o Banco Central dos EUA, vai divulgar sua decisão, seguida por uma entrevista coletiva com o presidente do Fed, Jerome Powell, às 16h30.

No Brasil, os olhares também se voltam para a divulgação da taxa básica de juros, a Selic, pelo Copom. O consenso do mercado é de corte de 0,50 ponto percentual (p.p.), conforme reiteradamente sinalizado pelo próprio Copom na última decisão. Confirmado o corte, a Selic chegaria ao patamar de 11,25% ao ano. Além da política monetária, investidores aguardam pela divulgação da taxa de desemprego de dezembro.

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam sem direção única antes da decisão do Federal Reserve. Espera-se que o Fed mantenha a taxa de juros na faixa de 5,25% a 5,5%, mas os investidores também procurarão pistas sobre as mudanças na postura política do banco central na declaração o presidente da Fed, Jerome Powell, pós-reunião.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Nas negociações fora do horário comercial, as ações da Alphabet caíram mais de 5%, enquanto a Microsoft caiu quase 1% depois que as gigantes da tecnologia divulgaram seus resultados trimestrais. Ambas as empresas conseguiram as expectativas de lucro. No entanto, a receita de anúncios da Alphabet foi decepcionante.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira, na esteira de dados fracos da atividade manufatureira chinesa e com investidores demonstrando cautela antes da decisão de juros do Fed.

Continua depois da publicidade

Europa

Os mercados europeus operam sem direção única, à medida que os mercados globais aguardam a mais recente decisão de política monetária da Reserva Federal dos EUA e digerem os lucros empresariais. Uma enxurrada de resultados de empresas foram divulgados antes da abertura, das empresas farmacêuticas Novo Nordisk e Novartis, do banco Santander e da varejista H&M .

Commodities

As cotações do petróleo operam com baixa, devido à continuação dos fundamentos pessimistas, após ganhos na sessão anterior, em meio a um conflito crescente no Oriente Médio.

As cotações do minério de ferro na China fecharam no vermelho, devido a dados fracos da China e problemas no setor imobiliário. O benchmark do minério de ferro de março na Bolsa de Cingapura caiu 2,36%, a US$ 129,7 a tonelada.

Bitcoin

2. Agenda

A agenda desta quarta-feira é marcada por decisões de política monetária no Brasil e nos EUA, além de dados do mercado de trabalho de ambos os países.

Brasil

9h: Taxa de desemprego de dezembro; consenso LSEG prevê a taxa de desemprego em 7,6%

14h30: Fluxo cambial semanal

18h30: Copom; consenso LSEG prevê a taxa Selic em 11,25% ao ano

EUA

10h15: Emprego privado (ADP) de janeiro; consenso LSEG de criação de 145 mil vagas

12h30: Estoques de petróleo; consenso LSEG de -867 mil barris

16h: Fomc; consenso LSEG projeta manutenção da taxa de juros em 5,25%-5,5%

3. Noticiário econômico

Manutenção da queda dos juros dependerá do exterior, diz Haddad

Após os cortes de juros já anunciados pelo Banco Central (BC) no início deste ano, a continuidade da queda da Taxa Selic (juros básicos da economia) dependerá do exterior, disse na última terça-feira (30) o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Segundo ele, caso os Bancos Centrais das economias avançadas comecem a reduzir os juros ainda neste semestre, haverá espaço para novas quedas das taxas no Brasil no segundo semestre.

4. Noticiário político

Lula demite diretor-adjunto da Abin

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva exonerou na terça Alessandro Moretti do cargo de diretor-adjunto da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A demissão ocorre após a Polícia Federal (PF) deflagrar operação que investiga suposto esquema de produção de informações clandestinas dentro da Abin durante a gestão do então diretor e atual deputado federal, Alexandre Ramagem (PL-RJ).

General Augusto Heleno é intimado a depor em investigação sobre Abin

O general Augusto Heleno foi intimado a prestar depoimento no âmbito da investigação da Polícia Federal que apura suposto esquema de produção de informações ilegais dentro da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). O depoimento deve ocorrer na próxima terça-feira (6).

5. Radar Corporativo

Embraer (EMBR3)

A Embraer (EMBR3) entregou 75 jatos no quarto trimestre de 2023, sendo 49 executivos (30 leves e 19 médios), 25 comerciais e uma aeronave militar C-390. O resultado representa um recuo de 6,3% frente aos 80 jatos entregues no quarto trimestre de 2022.

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)