Radar InfoMoney

Santander Brasil compra imobiliária online; dados de tráfego da Azul, notícias de Minerva, Suzano e mais

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta quinta-feira (9)

SÃO PAULO – O noticiário corporativo tem entre os destaques o noticiário de Santander Brasil, Minerva, Aeris, Suzano, entre outros destaques. Confira no que ficar de olho:

Santander Brasil (SANB11)

O Santander Brasil anunciou na quarta-feira a compra da imobiliária online Apê11, ampliando a aposta no segmento de financiamento de imóveis.

O acordo, por valor não revelado, envolve compra de ações e aumento de capital e dará ao banco uma fatia de 90% na startup. “A plataforma digital nos permitirá acelerar o desenvolvimento de soluções integradas do mercado imobiliário”, afirmou o diretor de negócios imobiliários do Santander Brasil, Sandro Gamba, em nota.

Minerva (BEEF3)

A Minerva anunciou na quarta-feira que pretende investir US$ 3 milhões na fintech agrícola Traive, como parte da nova rodada de captações da startup. Ao todo, a Traive espera captar  US$ 15 milhões no mercado com a rodada, informou a Minerva.

A fintech atua no desenvolvimento de modelos de crédito para o setor agrícola, para facilitar acesso dos produtores rurais a produtos financeiros.

Atualmente, a startup opera no Brasil e nos Estados Unidos, com soluções para cadeias de commodities como soja, milho, algodão, cana, café e trigo.

Aeris (AERI3)

A fornecedora de equipamentos para geração eólica Aeris fechou um contrato de R$ 1,6 bilhão com a Nordex Energy para a fabricação de pás eólicas. O acordo ficará em vigor até o final de 2023, resultará no aumento líquido do potencial de ordens cobertas por contratos de longo prazo no montante equivalente a 2,0 gigawatts (GW).

O acordo prevê a conversão de duas linhas de produção já existentes e contratadas para um modelo de pá que atende a aerogeradores com potência superior a 5 megawatts (MW). Há também a previsão de instalação de uma nova linha de produção desde mesmo modelo de equipamento.

Movida (MOVI3)

A Movida precificou sua oferta de títulos no mercado externo totalizando US$ 300 milhões com remuneração à taxa de 5,25% ao ano e com vencimento em 2031. As notas representam uma emissão adicional e irão se unir às de fevereiro deste ano, quando levantou US$ 500 milhões. A captação será usada para investimentos e no refinanciamento de dívidas.

Suzano (SUZB3)

PUBLICIDADE

A Suzano confirmou a emissão de bonds sustentáveis com valor principal de US$ 500 milhões pela sua subsidiária Suzano Austria. Os títulos têm taxa de 2,70% ao ano e cupom de 2,50% ao anos, pagos semestralmente, nos dias 15 dos meses de março e setembro de cada ano, a partir de 15 de março de 2022 e com vencimento em 15 de setembro de 2028. A liquidação da operação está prevista para 13 de setembro deste ano.

Azul (AZUL4)

A Azul divulgou prévia operacional de agosto, registrando alta no tráfego de passageiros de voos domésticos em 176,9% frente igual mês de 2020. Já o segmento internacional teve queda do número de passageiros, 78,6% abaixo do de agosto de 2019. Em relação a agosto do ano passado, porém, o volume de passageiros foi 125% maior.

CCR (CCRO3)

A CCR prestou esclarecimento ao mercado sobre notícia publicada no jornal Valor Econômico, chamada “Invepar busca sócio para o aeroporto de Guarulhos”. A companhia informou que “o Grupo CCR está sempre analisando novas oportunidades de negócios que permitam o fortalecimento de sua posição de liderança e o seu crescimento qualificado”.

“Nesta data, entretanto”, afirmou em comunicado ao mercado na noite da véspera, “não há nenhuma negociação em andamento entre a companhia, a Invepar e seus acionistas com relação ao tema objeto da referida notícia, bem como não foi feita qualquer proposta pela companhia”.

Ecorodovias (ECOR3)

O Bradesco BBI comentou os dados operacionais da Ecorodovias, com 24,9 milhões de veículos equivalentes em agosto de 2021, alta de 9% na comparação anual e 3% acima do mesmo período de 2019. O resultado exclui três concessões de Eco 135, Eco 050, and Ecovias do Cerrado). O banco mantém avaliação outperform (perspectiva de valorização acima da média do mercado) e preço-alvo de R$ 18, frente à cotação de quarta de R$ 9,47.

WDC (LVTC3)

O Itaú BBA iniciou a cobertura da WDC com avaliação outperform e preço-alvo para 2022 em R$ 42, frente à cotação de R$ 23,28 de quarta. O banco diz que sua visão positiva sobre o negócio se baseia em seu modelo de tecnologia como serviço (TaaS na sigla em inglês), uma análise do mercado abordável e os múltiplos de valor da empresa e vendas no negócio de energia solar e outros.

Braskem (BRKM5)

A Braskem informou a assinatura de um memorando de entendimentos com a tailandesa SCG Chemicals para a realização de estudos de viabilidade para um investimento conjunto em uma fábrica de bioetanol para a produção de bioeteno e polietileno I’m Green bio-based (PE).

Caso o projeto for implementado, a fábrica vai ser instalada dentro do complexo petroquímico da SCG Chemicals, em Map Ta Phut, na Tailândia. A execução, porém, está sujeita à conclusão dos estudos, acordo mútuo entre as empresas e aprovação pelos órgãos de governança competentes.

Randon (RAPT4)

PUBLICIDADE

O Itaú BBA comentou os dados da Anfavea para agosto, que avaliou como negativos. O banco diz que a produção de veículos no Brasil segue as tendências anteriores, sem grandes surpresas. Mas a perspectiva de normalização do suprimento de peças continua incerta.

No setor de bens de capitais, a Randon é a escolha favorita (top pick em inglês) do banco, que diz, no entanto, monitorar o impacto de problemas de oferta sobre o setor de veículos comerciais. O banco mantém preço-alvo de R$ 18,5 para os papéis RAPT4, frente à cotação de quarta de R$ 10,81.

Vale (VALE3)

O Credit Suisse atualizou seu modelo para a Vale incorporando dados do segundo trimestre. O banco cortou a previsão sobre remessas de minério de ferro para os próximos anos para entre 15 milhões e 20 milhões de megatoneladas por conta de atrasos na operação de ativos. O banco também reduziu a previsão para o minério de ferro no terceiro trimestre. O Credit mantém avaliação outperform e reduziu o preço-alvo para o ADR da companhia de US$ 28 para US$ 24.

CSN Mineração (CMIN3)

O Credit Suisse atualizou seu modelo para a CSN Mineração, incorporando dados relativos ao segundo trimestre de 2021. O banco diz prever custos maiores de minério de ferro no terceiro trimestre, a US$ 176 por tonelada, elevando a média para 2021 a US$ 179 por tonelada.

O banco mantém avaliação outperform, e reduz o preço-alvo de R$ 13 para R$ 12, frente à cotação de quarta de R$ 12,85.

Magazine Luiza (MGLU3)

O Itaú BBA restabeleceu a cobertura do Magazina Luiza com avaliação outperform e preço-alvo para 2022 de R$ 24 por ação, frente à cotação de R$ 18,79 de quarta. Após a compra da KaBuM!, diretriz (guidance em inglês) sobre logística e movimentos em fintech o banco revisou suas estimativas. O Itaú avalia que o movimento na área de fintech é uma boa forma de a empresa expandir sua oferta de serviços de maneira lucrativa.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Para entender como operar na bolsa através da análise técnica, inscreva-se no curso gratuito A Hora da Ação, com André Moraes.

PUBLICIDADE