Renner (LREN3), C&A (CEAB3), Iguatemi (IGTI11) e mais: qual o “efeito Barbie” para as empresas da Bolsa brasileira?

Analistas veem maior fluxo em lojas (principalmente com coleções direcionadas para o tema) e em shoppings como positivo, mas não significativo para empresas

Equipe InfoMoney

Barbie, o filme (Foto: Divulgação/Facebook)

Publicidade

A tendência “Barbiecore” está por todos os lados com a estreia do filme da Barbie nesta quinta-feira (20) nos cinemas brasileiros, com uma infinidade de produtos que fazem referência à boneca líder de vendas no mundo invadindo as lojas, incluindo as nacionais. Assim, para além dos efeitos em ações de empresas “gringas”, como Warner e Mattel, o efeito dessa onda para as empresas brasileiras listadas na B3 também é monitorado de perto pelo mercado.

Em relatório, a XP destacou que as lojas de departamento Lojas Renner (LREN3), C&A (CEAB3) e Riachuelo (GUAR3) têm se destacado no tema, utilizando estratégias de comunicação em seus sites reforçando a tendência Barbiecore, além de lançarem produtos ou coleções vinculadas à marca Barbie.

“Acreditamos que essas ativações podem contribuir para a melhora de fluxo dos varejistas mas não deve ser suficiente para ter um efeito material nos resultados, uma vez que essas coleções tendem a ser pouco representativas dentro do sortimento”, avalia.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Restaurantes também podem se beneficiar, com a Zamp (ZAMP3), dona da marca Burger King, se destacando com decoração e lançamento de um combo da Barbie.

Mesmo assim, os analistas da XP apontam ser difícil estimar impactos, já que o volume ainda é pouco relevante dentro do todo. Para ser mais material, avaliam, o fenômeno teria que levar a uma venda cruzada relevante – o que não parece ser o caso.

“Portanto, apesar de acreditarmos que as varejistas devem ser beneficiadas com um incremento de fluxo em suas lojas, não esperamos que o impacto nos resultado seja material e, portanto, vemos um efeito neutro para as ações do setor”, destacam.

Continua depois da publicidade

Shoppings

Para a cobertura de shoppings, além de Barbie, a análise da XP também contempla o impacto do filme Oppenheimer, do diretor cinco vezes vencedor do Oscar, Christopher Nolan, famoso por dirigir a trilogia Batman, o Cavaleiro das Trevas, A Origem e Dunkirk.

Os analistas veem impacto positivo em termos que fluxo para os shoppings de sua cobertura, caso de Multiplan (MULT3) e Iguatemi (IGTI11), especialmente pelo aumento da receita de estacionamento, que representa cerca de 30% do total, em média, para shoppings.

“Esse fluxo mais robusto também deve ajudar na dinâmica positiva de vendas do lojista, especialmente Iguatemi, que também oferece o evento Barbie Dreamhouse e deve ter um fluxo ainda maior”, avaliam os analistas.

Eles ressaltam ainda ser importante ressaltar que um nível mais saudável de venda do lojista ajuda o operador de shopping a conseguir repassar preço no momento da cobrança do aluguel sem pressionar o lojista.

“No entanto, não esperamos que os nomes listados, como Iguatemi, se beneficiem de um impacto relevante do ponto de vista de resultado (DRE) no trimestre. Importante lembrar que a maior parte de receita de aluguel é fixa e não é cobrada diretamente sobre a venda, mas de acordo com o contrato de locação, que é reajustado por índices de inflação”, concluem.