PRIO (PRIO3) e Enjoei (ENJU3) têm mudanças acionárias; Log-In recebe na China navio Log-In Evolution

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira (8)

Felipe Moreira

(Shutterstock)

Publicidade

O radar corporativo desta segunda-feira (8) traz alterações acionárias na PRIO (PRIO3) e Enjoei (ENJU3).

Já a Log-In (LOGN3) recebeu na China navio Log-In Evolution.

A Mills (MILS3), por sua vez, informou que a S&P Global Ratings atribuiu o rating ‘brAA-’ na Escala Nacional Brasil à 8ª emissão de debêntures.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Gol (GOLL4) teve queda de 8% em demanda por voos em dezembro sobre um ano antes.

A Petrobras (PETR4) abriu investigação administrativa de venda de refinaria.

Confira mais destaques:

Continua depois da publicidade

Log-In (LOGN3)

A Log-In (LOGN3) informou que sua subsidiária Log-In International GmbH recebeu na China o navio Log-In Evolution. A embarcação, um porta-contêineres com capacidade nominal de 3.158 TEUs (Twenty-foot Equivalent Unit), comprimento total de 199,98m e boca de 35,2m, foi construída no estaleiro chinês “Zhoushan Changhong International Shipyard Co.”

A empresa destacou que o Log-In Evolution é o navio mais moderno da frota com características que permitirão maior economia de combustível, redução na emissão de poluentes, menor custo e maior segurança operacional.

O navio entrará em operação em 10 de janeiro de 2024, em Xangai, de onde será posicionado para o Brasil em viagem comercial.

Prio (PRIO3)

A Prio (PRIO3) divulgou que o Goldman Sachs realizou operações que resultaram em uma posição de derivativos financeiros com liquidação financeira equivalente a 5,13% do total de ações da empresa.

Enjoei (ENJU3)

A Enjoei (ENJU3) informou que a São Pedro Capital Investimentos aumentou sua participação na companhia, passando a deter, de forma agregada, a quantidade de 22.112.436 ações ordinárias da companhia, representando 10,91% do total de ações ENJU3. Foram adquiridas 10.880.808 ações em operação privada.

Mills (MILS3)

A Mills (MILS3) informou que a S&P Global Ratings atribuiu hoje o rating ‘brAA-’ na Escala Nacional Brasil à 8ª emissão de debêntures senior unsecured da companhia. A emissão será realizada em série única, no valor de R$ 200 milhões e terá vencimento em 2030.

“Além disso, atribuímos o rating de recuperação ‘3’ às debêntures, indicando nossa expectativa de uma recuperação significativa de 65% para os credores em um cenário hipotético de default. O rating das debêntures está no mesmo nível do rating de crédito corporativo da Mills”, informou a agência de risco.

De acordo com a S&P, esta nova emissão está em linha com a expectativa de leve aumento da dívida bruta ajustada para cerca de R$ 1,2 bilhão em 2024. Com isso, espera que a empresa mantenha a métrica de dívida bruta sobre Ebitda relativamente estável em cerca de 1,5x em 2023 e 2024.

Embraer (EMBR3)

A Embraer (EMBR3) marcou a data de sua Assembleia Geral Ordinária (AGO). A companhia definiu para o dia 25 de abril deste ano.

Petrobras (PETR4)

O presidente da Petrobras (PETR4), Jean Paul Prates, foi às redes sociais informar que a venda da Refinaria Landulpho Alves (Rlam), atual Refinaria de Mataripe, na Bahia, está sob avaliação da estatal, em diálogo com os órgãos de controle. Segundo ele, já há procedimento administrativo instaurado para avaliação desse negócio específico, sob apreciação das áreas de integridade pertinentes da companhia.

“A legitimidade do controle externo de fiscalizar as atividades da Petrobras é indiscutível e necessária, compondo o sistema de governança que protege a empresa. Não à toa, pleiteei, à época em que atuei como senador da República, o acompanhamento atento desse processo negocial e suas consequências”, disse no X, antigo Twitter.

De acordo com Prates, as conclusões dos órgãos de controle, entre outras instituições de fiscalização e investigação, vão pautar a atuação da empresa. “E são cruciais para a preservação do patrimônio público e privado que representa a Petrobras”, completou.

Gol (GOLL4)

A companhia aérea Gol (GOLL4) teve queda de 2,5% na demanda de passageiros por voos em dezembro na comparação com o mesmo mês de 2022, com a oferta da empresa recuando 8,1% no mesmo período, segundo relatório de tráfego divulgado nesta sexta-feira.

No quarto trimestre, a companhia apurou baixa na demanda de 1,1% e queda na oferta de 5,7% ante o mesmo trimestre de 2022.

Em ambos os períodos, a oferta e a demanda da empresa recuaram no Brasil, segundo os dados apresentados nesta sexta-feira.

Bmg (BMGB4)

O Banco Bmg (BMGB4) informou nesta sexta-feira, 5, que seu conselho de administração aprovou um novo programa de recompra de ações, que passará a vigorar a partir da próxima segunda-feira, 8.

O conselho autorizou a aquisição de até 13.273.760 ações preferenciais de emissão própria, sem redução do valor do capital social, correspondentes a até 10% das ações em circulação, reduzido do número atual de ações em tesouraria, para manutenção em tesouraria, cancelamento ou recolocação no mercado ou, ainda, pagamento de remuneração a executivos e demais beneficiários do Banco no âmbito de planos de incentivo de longo prazo do Banco. 

As operações de aquisições serão efetuadas em bolsa de valores, no período entre 8 de janeiro de 2024 a 2 de julho de 2025. 

Banco Pine (PINE4)

O Banco Pine (PINE4) alterou o valor por ação dos juros sobre o capital próprio anunciados em 22 de dezembro de 2023. 

Nesta sexta-feira, 5, o banco informou que os valores atribuídos por ação relacionados aos juros sobre capital próprio foram ajustados de R$ 0,2333095229 para R$ 0,2080963062 por cada ação ordinária e cada ação preferencial.

O crédito dos juros sobre o capital próprio ocorrerá em 15 de janeiro de 2024 e considerará a posição acionária do dia 08 de janeiro de 2024. 

A partir de 09 de janeiro de 2024 (inclusive), as ações de emissão da companhia serão negociadas “ex” direitos a juros sobre capital próprio.