Opinião do CoinDesk

Por que o Bitcoin é um ótimo investimento mesmo no inverno cripto

A criptomoeda ainda tem um papel importante em um portfólio diversificado

Por  CoinDesk -

* Por Andy Edstrom

O inverno chegou à terra do Bitcoin (BTC). Esse é o meu segundo inverno e espero aguentar mais temporadas como essa no futuro.

Nesses tempos frios, os clientes podem perguntar a seus consultores por que eles recomendam um dos ativos mais voláteis da história. Esses mesmos clientes geralmente não se importam quando a oscilação é positiva, mas ficam super preocupados em períodos de queda.

Por esse motivo, às vezes tudo o que eles precisam é de um lembrete sobre como os pontos fortes do Bitcoin – e os benefícios de longo prazo de tê-lo em carteira – podem superar em muito os riscos.

Bitcoin é um sobrevivente

Desde a sua criação, o BTC viu seu preço desabar várias vezes. E entre essas “derrapadas”, quatro levaram a invernos criptos prolongados.

A moeda, no entanto, conseguiu se recuperar com sucesso de todos os invernos anteriores. E isso nos dá confiança de que o criptoativo pode sobreviver a mais um deslize.

Leia mais:

E o BTC, em particular, tem sido mais resiliente às mudanças do que qualquer outro projeto no mercado de criptomoedas.

Dê uma olhada na lista dos 20 principais ativos digitais do momento. Agora volte cinco anos para o início do último mercado em alta. Quantos dos 20 principais tokens permanecem na tabela de classificação? Quantos deles já retornaram à sua antiga glória, proporcional ao do Bitcoin, em dois ciclos de preços?

Stratis, bitshares, bytecoin, golem, steem, saicoin, bitconnect… essas moedas já não são mais negociadas entre as 100 maiores por valor de mercado. Dados mostram que mesmo as 10 principais altcoins por valor de mercado sofreram uma tremenda flutuação nos últimos anos.

De todos os ativos digitais que as pessoas negociam hoje, o BTC continua sendo o maior em capitalização desde sua criação, há mais de 13 anos. Ao mesmo tempo, ele forneceu retornos de investimento atraentes em todos os períodos históricos de cinco anos.

Bitcoin é positivo para um portfólio

Falando em retornos históricos, quando publiquei meu livro “Why Buy Bitcoin” (Por que comprar Bitcoin, na tradução livre) em 2019, incluí uma análise sobre os benefícios e os riscos de incluir a criptomoeda em um portfólio diversificado com base em dados históricos de preços.

A teoria moderna do portfólio apoia a ideia de que “o todo é maior que a soma de suas partes”. O Bitcoin, juntamente com outros ativos diversos, pode ajudar a proteger os investidores contra – ou permitir que eles aproveitem – uma série de cenários econômicos.

Mesmo após a recente queda no preço da moeda digital, a análise ainda apoia os benefícios da inclusão do BTC em um portfólio diversificado. Os números são claros – o ativo criado por Satoshi Nakamoto agrega valor a portfólios diversificados.

Bitcoin supera o ouro

Como investimento, o Bitcoin oferece inúmeras oportunidades de lucro. E uma delas é o fato de a moeda ser como um “ouro digital “.

Assim como o metal, o BTC é um ativo monetário e reserva de valor. Ele compartilha a característica de escassez que as pessoas tanto amam no ouro.

Quando medido em relação a muitas das características mais importantes do dinheiro, o BTC tem várias vantagens sobre o ouro, como facilidade de transferência, divisibilidade, segurança e privacidade.

Leia mais:

Podemos enviar Bitcoin digitalmente em quantidades ilimitadas, diferentemente do caso do ouro. Podemos facilmente dividi-lo em unidades menores, ao contrário de uma barra de ouro.

Embora o BTC ainda seja incipiente e não seja 100% imune a ameaças cibernéticas, ele pode ser mantido com segurança em uma carteira de criptomoedas criptografada, em oposição a barras de ouro que são difíceis de proteger. E, ao contrário do ouro, o BTC pode ser trocado sem intermediários bancários e governamentais que monitoram diretamente os pagamentos.

Uma vantagem adicional da criptomoeda é a seguinte: com menos de 4% do valor total do ouro hoje, o BTC ainda tem mais espaço para operar.

Bitcoin permite que as pessoas sejam seus próprios bancos

A maioria dos clientes de consultores financeiros ainda não está pronta para guardar seu BTC. Eles preferem mantê-lo como parte de um fundo negociado em bolsa (ETF), por exemplo, do que comprá-lo em uma exchange de criptomoedas.

Mas com o tempo, muitos desses clientes se tornarão visionários e estarão mais inclinados a comprar e manter Bitcoins eles mesmos. Antecipando-se a turbulências econômicas no futuro, eles reconhecerão o valor de ter uma parte de seu patrimônio líquido em um ativo extraordinariamente difícil de apreender e que pode ser movido para qualquer lugar que tenha conexão com a internet.

Como o BTC não requer intermediários que possuam o ativo, as pessoas comuns podem mantê-lo, ao contrário do dinheiro fiduciário que é suscetível a corridas bancárias durante cenários econômicos extremos.

Os riscos reais

As pessoas me perguntam o que mudaria minha opinião sobre o Bitcoin como um investimento. Para um tratamento completo desse tópico, você pode encontrar mais de 40 páginas de fatores de risco no meu livro, que citei logo acima.

Mas há três pontos que os consultores e seus clientes devem se concentrar no curto prazo.

  1. Falha técnica do sistema

Um dos poucos eventos que pode me levar a mudar minha tese de investimento em Bitcoin é uma falha técnica do sistema. Se a blockchain do BTC parasse de gerar blocos de transações regularmente, isso seria uma grande bandeira vermelha.

Não aconteceu nada disso nos cinco anos em que tenho observado o projeto de perto. Mas se ocorrer, vou reavaliar meu posicionamento.

  1. Regulamento

Está chegando uma regulamentação mais rígida para ativos digitais? Sem dúvida.

É por isso que, do ponto de vista regulatório, nunca houve um momento melhor para ter Bitcoin.

Não sou advogado de valores mobiliários, mas minha análise indica que o BTC é o único ativo digital importante que não é um valor mobiliário segundo as regras do mercado de capitais dos Estados Unidos. Gary Gensler, presidente da Securities and Exchange Commission (SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA), parece concordar.

  1. Retidão do governo

Se você acha que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) vai empurrar a economia para uma depressão que elimina a dívida que se acumulou nas últimas oito décadas, convém evitar ativos de dinheiro vivo como ouro e Bitcoin. Dólares serão reis.

Mas se você acha que os poderes existentes preferem não provocar uma segunda Grande Depressão e que o caminho muito mais provável para lidar com a dívida é a inflação, então o BTC provavelmente tem um papel nas carteiras de seus clientes. Na minha opinião, os governos vão lutar para conter a inflação de hoje – tanto que o Bitcoin pode se tornar o ativo mais importante por causa disso.

Se esse cenário se desenrolar, os consultores financeiros terão dificuldades para explicar como perderam o ativo mais importante da década.

*Andy Edstrom é consultor financeiro e diretor da Swan Bitcoin. Ele é autor de “Why Buy Bitcoin” e contribui para a Crypto for Advisors, newsletter do CoinDesk

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe