Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira

Investidores aguardam por dados de inflação ao consumidor nos EUA; vendas no varejo e bateria de resultados no Brasil são destaques nesta quarta

arrow_forwardMais sobre
Carrinho de compras em cima de um teclado de notebook com caixas de papelão dentro dele
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Em mais uma sessão em que a maior parte das bolsas europeias tem ganhos, enquanto não há direção definida entre os índices futuros americanos, as atenções se voltam para a inflação ao consumidor nos Estados Unidos. Ainda no radar dos mercados, está a aprovação do plano de US$ 1 trilhão pelo Senado americano.

Por aqui, além de uma bateria de resultados, atenção também para os dados de vendas do varejo, que podem mexer com o setor.

Também no radar, ainda que sem consenso em relação à proposta que altera as regras do Imposto de Renda, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), prometeu votar o texto nesta quarta, deixando os pontos de dúvida para serem analisados nos destaques, informa O Globo e o Estadão.

Confira no que ficar de olho:

1.Bolsas mundiais

As bolsas mundiais operam sem sentido definido nesta quarta. Na terça, o Dow avançou 162,82 pontos, ou 0,46%; o S&P avançou 0,1%; e o Nasdaq perdeu 0,49%.

Também na terça, o Senado dos Estados Unidos aprovou o projeto de lei sobre infraestrutura de US$ 1 trilhão que destina US$ 550 bilhões para áreas como transporte e energia do país. A expectativa é de que a medida contribua para impulsionar o mercado americano em recuperação.

Agora, o projeto deve ser apreciado pela Câmara dos Representantes. A presidente da Casa, a democrata Nancy Pelosi, afirmou, no entanto, que não pretende colocar o projeto em votação antes de o Senado aprovar uma proposta de Orçamento.

O avanço do projeto no Senado, no entanto, contribuiu para altas de mais de 1% para ações dos setores de energia, matéria-prima, indústria e finanças.

Os democratas no Senado também acordaram as linhas gerais do plano de US$ 3,5 trilhões, de forma a reduzir a desigualdade e acelerar a transição energética. O detalhamento das medidas e sua efetivação depende de aprovações subsequentes de matérias específicas, parte das quais sofrem resistência de parlamentares democratas moderados.

PUBLICIDADE

Durante a manhã, será divulgado o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) relativo a julho nos Estados Unidos. Em junho, o índice avançou 0,9%, a maior alta na comparação mensal desde agosto de 2008. Os dados podem influenciar as decisões do Federal Reserve sobre os juros nos Estados Unidos.

As bolsas asiáticas fecharam sem sentido definido na quarta-feira, com destaque positivo para ações do setor de petróleo, impulsionadas por preços mais altos.

Na China continental, o Shanghai composto fechou estável, em 3.532,62 pontos, e o componente Shenzhen perdeu 0,24%; em Hong Kong, o índice Hang Seng teve alta de 0,21%; no Japão, o Nikkei avançou 0,65%; e na Coreia do Sul, o Kospi perdeu 0,7%.

As bolsas europeias também operam sem sentido definido, em meio a temores sobre o avanço da Covid e a divulgação de dados econômicos. O índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, oscila positivamente, com destaque positivo para ações do setor de saúde e negativo para aquelas do setor de lazer.

Na agenda econômica, foi divulgado o IPC da Alemanha relativo a julho, que marcou 3,8% na comparação anual, em linha com a expectativa, frente ao patamar anterior de 2,3%. Na comparação mensal, o índice avançou 0,9%, também em linha com a expectativa, e acima da medição anterior de 0,4%.

No radar corporativo, as ações da Thyssenkrupp caíram mais de 6% após a empresa divulgar lucro trimestral de 266 milhões de euros, mas afirmar que sua divisão de aço enfrenta desafios.

Os papéis do ABN AMRO avançam 3,4% após o banco divulgar lucro trimestral de 393 milhões de euros, acima da expectativa de analistas.

Veja os principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):

PUBLICIDADE

Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,46%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,10%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,49%

Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,50%
*Dax (Alemanha), +0,10%
*CAC 40 (França), +0,30%
*FTSE MIB (Itália), +0,40%

Ásia
*Nikkei (Japão), +0,65% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,08% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,2% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,7% (fechado)

Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,264%, a US$ 68,11 o barril
*Petróleo Brent, -0,18%, a US$ 70,5 o barril
*Bitcoin, +0,8%, a US$ 46.279,46
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 3,69%, cotados a 871,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 134,36 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,49

 

2. Agenda

Brasil

9h: Vendas no varejo de junho, com expectativa de alta de 0,7% na comparação com maio e de 9,1% frente julho de 2020

14h30: Fluxo cambial semanal

EUA

8h: Associação dos Banqueiros Hipotecários dos Estados Unidos (MBA) divulga dados sobre pedidos de hipotecas e juros de hipotecas de 30 anos.

PUBLICIDADE

9h30: dados de inflação ao consumidor de julho. Expectativa do consenso Refinitiv de alta de 0,4% do núcleo da inflação frente junho e de 4,3% na base anual. Para a inflação, projeção de alta de 0,5% na base mensal e de 5,3% na comparação anual.

11h30: AIE apresenta dados de estoque de petróleo semanal nos EUA, com expectativa de queda de 1,05 milhão de barris.

Por Dentro dos Resultados

InfoMoney entrevista executivos da Tupy Fernando de Rizzo (CEO) e Thiago Struminski (CFO) às 18h.

Quer fazer perguntas aos CEOs das empresas que se destacam na Bolsa? Acompanhe a série Por Dentro dos Resultados no YouTube do InfoMoney

3. Covid no Brasil

Na terça (10), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 899, queda de 17% em comparação com o patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia, foram registradas 1.183 mortes. As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h, o avanço da pandemia em 24 h.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 32.474, o que representa queda de 30% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 35.245 casos.

Chegou a 109.208.435 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 50,98% da população. A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 46.920.420 pessoas, ou 22,15% da população.

Na terça-feira, o secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, afirmou que o município decidiu adiar a nova fase do programa de flexibilização das medidas restritivas contra a Covid-19 prevista para o próximo mês por conta do avanço da variante Delta na cidade.

A variante Delta tem avançado mais rapidamente no RJ do que em outros lugares, sendo responsável por 37,2% dos casos em julho no Estado. Ainda assim, a Delta não é a variante dominante, e fica atrás da P.1, que se originou em Manaus e representa 56,4% dos casos no RJ.

Nacionalmente, a Delta representou 21,8% dos casos em julho, ante 62,5% da P.1.

Na terça, o coronel da reserva Helcio Bruno de Almeida, do Instituto Força Brasil, recorreu cerca de 50 vezes ao direito ao silêncio e deixou de responder a perguntas feitas pela CPI da Covid no Senado sobre temas como seu envolvimento com a venda de vacinas contra a Covid ao governo, sua relação com uma empresa suspeita de tentar dar um golpe com a venda de vacinas, a propagação de notícias falsas e sua relação com membros do governo.

Ele havia sido apontado por representantes da Davati Medical Supply como a ligação entre a empresa e o coronel Elcio Franco, que era na época secretário-executivo do Ministério da Saúde, que teria viabilizado um encontro entre o governo e a empresa, que se dizia capaz de fornecer 400 milhões de doses da vacina da AstraZeneca.

O coronel da reserva não deu detalhes sobre a reunião entre a Davati e o Ministério da Saúde de março de 2021, mas afirmou que ela tinha o objetivo de tratar da compra de vacinas pelo setor privado.

Nesta quarta, a CPI da Covid no Senado recebe Jailton Batista. Ele é diretor executivo da Vitamed, que produz o remédio ivermectina, recomendado contra parasitas, que fez parte de tratamento sem comprovação de eficácia científica defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na semana passada, a CPI recebeu vídeos em que médicos da força-tarefa do Ministério da Saúde enviada ao Amazonas orientavam profissionais para uso do remédio sem eficácia cientificamente comprovada contra a Covid, próximo ao colapso do sistema de Saúde no estado, onde houve falta de oxigênio.

4. Reforma do IR, PEC do voto impresso e precatórios

Ainda que sem consenso em relação à proposta que altera as regras do Imposto de Renda, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), prometeu votar o texto nesta quarta, deixando os pontos de dúvida para serem analisados nos destaques, informa O Globo e o Estadão.

O plenário da Câmara dos Deputados decidiu arquivar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata do voto impresso. Ao todo, foram 229 votos favoráveis à matéria (79 abaixo do necessário) e 218 contrários. Um parlamentar se absteve.

O resultado representa uma derrota expressiva do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), um dos principais críticos do atual sistema eleitoral, baseado nas urnas eletrônicas, e ocorre cinco dias depois de comissão especial ter se manifestado contra a proposta. Veja mais clicando aqui. 

Ainda em destaque, a Câmara aprovou na noite de terça o texto-base da medida provisória que cria um programa para manter empregos durante a pandemia da covid-19 e qualificar desempregados. Foram 304 votos a favor e 133 contra. Para concluir a votação, no entanto, ainda é preciso a analisar os destaques – pedidos de alteração ao texto e que podem mudar o teor da proposta.  Por acordo, ficou decidido que isso será feito em outra sessão.

Já o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, afirmou na terça-feira que se a PEC dos Precatórios não for votada pelo Congresso o governo será obrigado a pagar a conta de precatórios de R$ 89,1 bilhões em 2022, o que inviabilizaria várias despesas públicas. Em 2021 a conta é de R$ 54,7 bilhões.

Precatórios são dívidas que o governo precisa pagar a pessoas físicas ou jurídicas após ter perdido todos os recursos na Justiça.

“Imagine que não seja votada a PEC. A gente vai fazer Orçamento (de 2022), vai pagar o precatório e a gente vai comprometer diversas políticas públicas, inclusive uma muito importante que é por exemplo avançar com programa social mais robusto, que é demanda da sociedade”, afirmou ele.

Em coletiva de imprensa, Funchal reiterou em diversos momentos que a proposta do governo busca compatibilizar o pagamento de precatórios com a regra do teto de gastos, considerando o crescimento vertiginoso dessa despesa.

5. Radar corporativo

O noticiário corporativo é movimentado, com destaque mais uma vez para a temporada de balanços do segundo trimestre.

Serão divulgados os resultados de Aeris (AERI3), Aliansce Sonae (ALSO3), B3 (B3SA3), Banco Inter (BIDI11), Copel (CPLE6), Eletrobras (ELET6), Enauta (ENAT3), Guararapes (GUAR3), Hapvida (HAPV3), Helbor (HBOR3), JBS (JBSS3), Locaweb (LWSA3), LPS (LPSB3), Moura Dubeux (MDNE3) e MRV (MRVE3).

Também serão revelados os números de Oi (OIBR4), Simpar (SIMH3), Sul América (SULA11), Suzano (SUZB3), Taesa (TAEE11), Ultrapar (UGPA3), Valid (VLID3), Via Varejo (VVAR3), Wilson Sons (WSON33) e Yduqs (YDUQ3).

Na véspera, foram divulgados os números de BR Distribuidora (BRDT3), C&A (CEAB3),  Marfrig (MRFG3), NotreDame Intermédica (GNDI3), Porto Seguro (PSSA3), Taurus Armas (TASA4), Qualicorp (QUAL3), Randon (RAPT4) e Raia Drogasil (RADL3).

A BR Distribuidora informou lucro líquido de R$ 382 milhões no segundo trimestre de 2021, alta de 103,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a companhia foi impactada pelas medidas restritivas impostas em função da pandemia da Covid-19. O lucro Ebitda ajustado foi de R$ 1,018 bilhão no trimestre, alta de 24,8% na comparação anual.

A RD, dona das redes de drogarias Raia e Drogasil, teve lucro líquido de R$ 266,4 milhões no segundo trimestre, um salto de 342,5% ano a ano. Em termos ajustados, o lucro somou R$ 232 milhões de abril a junho, crescimento de 276% em relação a igual etapa de 2020.

Já a Marfrig Global Foods informou na terça lucro líquido recorde de R$ 1,738 bilhão no segundo trimestre, alta de 9% em relação ao mesmo período do ano anterior, impulsionado pelo bom desempenho da operação norte-americana da empresa.

A fabricante de implementos rodoviários e autopeças Randon elevou na terça-feira suas estimativas de faturamento bruto para R$ 12 bilhões neste ano, ante expectativa anterior de R$ 9,6 bilhões. A reavaliação ocorre em meio a um mercado crescente de caminhões e investimentos em rodovias. A previsão de investimento orgânico foi elevada de R$ 250 milhões para R$ 320 milhões.

Fora da temporada, a Eletrobras informou que obteve resultado desfavorável em recurso impetrado no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) em uma ação de cobrança relativa a empréstimo compulsório sobre energia elétrica. Segundo a estatal, o processo está provisionado pelo montante de R$ 1,47 bilhão, acrescido de multas e honorários advocatícios. A companhia disse que aguardará a publicação do acórdão para avaliar potenciais medidas cabíveis.

Já o Santander Brasil (SANB11) informou na terça-feira a obtenção de registro de companhia aberta para seu braço de pagamentos, Getnet, além de aprovação da B3 para listagem e negociação de ações e units. Segundo fato relevante, a Getnet aguarda aprovação da Securities and Exchange Comission (SEC, CVM dos EUA) para negociação de suas ações na Nasdaq.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.