Temporada de balanços

Nubank (NUBR33) registra prejuízo líquido de US$ 66,2 milhões no quarto trimestre de 2021

Com expansão de carteira de crédito, banco viu sua receita quase triplicar na base anual, mas gastos também cresceram

Por  Vitor Azevedo -

O Nubank (NUBR33) registrou, em seu primeiro balanço após sua abertura inicial de capital, um prejuízo líquido de US$ 66,2 milhões no quarto trimestre de 2021 – cifra 36,1% inferior às perdas de US$ 103,7 milhões registrados no mesmo período de 2020 e melhor do que o consenso da Refinitiv, que apontava perda de US$ 138 milhões.

No ano passado, o prejuízo líquido somou US$ 165,3 milhões, resultado praticamente idêntico ao de 2020 (US$ 166 milhões), mas pior do que o reportado em 2019 (US$ 67,5 milhões).

De acordo com o documento, o banco digital destaca que registrou entre outubro e dezembro uma receita líquida de US$ 635,9 milhões, alta de 224,3% na base anual.

Leia também:

Conforme o Nubank, a performance da receita com juros e instrumentos financeiros cresceu 390,5% na mesma comparação, saindo de US$ 89,6 milhões para US$ 439,5 milhões.

“Esse aumento foi resultado principalmente do crescimento da receita de juros líquida da carteira de crédito ao consumidor, composta de empréstimos pessoais e cartões de crédito”, destacou a empresa no documento publicado na noite desta terça-feira (22).

“Outro fator que também contribuiu para esse crescimento foi o aumento das taxas de juros no Brasil durante o quarto trimestre”, acrescentou a instituição financeira.

Mais dados do balanço do Nubank (NUBR33)

A receita de tarifas e comissões totalizou US$ 196,4 milhões no quarto trimestre, um aumento de 74,0% na comparação com o mesmo período do ano imediatamente anterior.

Segundo a empresa, isso se deve principalmente à alta das receitas com tarifas de intercâmbio, que refletiram o aumento do volume de compras com cartões de crédito e débito decorrente do crescimento do número de clientes e da taxa de atividade..

O Nubank encerrou 2021 com 53,9 milhões de clientes – 52,4 milhões no Brasil, 1,4 milhões no México e 114 mil na Colômbia. O número de clientes brasileiros cresceu 57,8% na base anual e o de mexicanos, 1.243%. Na Colômbia, segundo o documento, a base de clientes foi atingida apenas 15 meses após o lançamento no país.

A carteira de crédito do “roxinho” atingiu US$ 2 bilhões, quadruplicando na base anual.

A receita média mensal por cliente ativo, por sua vez, atingiu US$5,6 no quarto trimestre, representando um aumento de 66,2% no ano. O custo médio mensal de atendimento por cliente ativo ficou em US$ 0,9, redução de 22,5%.

Custos financeiros e gastos operacionais acompanham crescimento

O total de custos com serviços financeiros e transacionais ficou em US$ 409 milhões no quarto trimestre, ante US$ 122,2 milhões no mesmo período de 2020.

São destaques os aumentos dos gastos com juros e outras despesas financeiras, que chegaram a US$ 177 milhões, ante US$ 31,4 milhões no ano anterior, e os gastos com provisões para perda de crédito, que ficaram em US$ 199,6 milhões, ante US$ 55,7 em 2020.

“O aumento em Juros e Outras Despesas Financeiras foi impulsionado principalmente pelo crescimento das despesas de juros sobre os depósitos de varejo em razão da alta das taxas de juros no Brasil mencionada acima e da expansão do saldo de depósitos de varejo”, explica o banco.

Já o aumento das despesas com provisão para perdas de crédito, segundo o Nubank, foi devido ao crescimento rápido do portfólio sujeito a ganho de juros e à metodologia de provisionamento de perdas de crédito esperadas.

O banco destaca no documento, com suas palavras, que o “crescimento não veio à custa da qualidade dos ativos”, pontuando que a inadimplência cresceu apenas 0,1 ponto percentual na base trimestral, saindo de 3,4% para 3,5%.

A despesas operacionais também avançaram, alcançando US$ 65,8 milhões entre outubro e dezembro de 2021, ante US$ 28 em 2020. O banco afirma, porém, que os gastos foram diluídos na comparação com a receita total, ficando em 49,6% contra 50,4% no quarto trimestre de 2020.

“O principal fator para esse aumento absoluto das despesas operacionais foi a conta de despesas gerais e administrativas”, explicou o Nubank.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe