Em mercados

PMI Composto da Zona do Euro encolhe em abril e reafirma sinais de recessão

Leitura preliminar do indicador recuou no maior ritmo desde novembro, passando de 49,1 em março, para 47,4 este mês

SÃO PAULO - A atividade econômica do setor privado da Zona do Euro registrou contração em abril no maior ritmo desde novembro, de acordo com dados preliminares do PMI (Purchasing Managers' Index) composto da região - uma medida da atividade tanto do setor de serviços quanto da indústria de transformação.

A leitura, divulgada nesta segunda-feira (23) pelo Markit Economics, mostrou que o índice caiu de 49,1 em março, para 47,4 este mês. Foi o terceiro recuo consecutivo do indicador, que também marcou sua 7ª queda em oito meses. Cabe lembrar que uma leitura abaixo de 50 indica retração na atividade, enquanto um patamar acima de 50 indica expansão.

O PMI do setor de manufatura recuou de 47,7 para 46,0 no mesmo período. Já o de serviços ficou em 47,9 neste mês, de 49,2 no anterior.

Recessão
"O PMI preliminar indica um ritmo mais forte de contração econômica na Zona do Euro durante abril, ampliando o que parece ser uma recessão de duplo mergulho pelo terceiro trimestre consecutivo", afirmou o economista-chefe da Markit, Chris Williamson.

"As perspectivas também não parecem boas. A confiança dos empresários caiu mais e as empresas cortaram postos de trabalho no ritmo mais rápido desde o início de 2010, para reduzir a capacidade e se adequar à demanda menor por trabalho", acrescentou o economista, em relatório.

 

Contato