Em mercados

Ibovespa segue em forte alta com foco sobre rumores positivos na Europa

Bolsa brasileira mantém trajetória positiva com perspectiva de melhora na sintonia política do velho continente

SÃO PAULO - Em forte alta desde a abertura, o Ibovespa apresenta alta de 2,48% no início da tarde desta segunda-feira (28) e atinge 56.256 pontos, com volume financeiro de R$ 1,29 bilhão às 12h57, de Brasília. 

Em linhas gerais, a bolsa brasileira acompanha o otimismo externo neste início de semana, impulsionado por notícias que sinalizam maior sintonia política na briga da Zona do Euro contra o avanço da crise fiscal.

Apesar de se tratarem apenas de rumores e informações não confirmadas, o efeito sobre as bolsas é visivelmente positivo frente à deterioração acumulada nas últimas semanas. Entretanto, cabe alertar que apesar de positivas, tais afirmações não passam de especulações e que qualquer informação mais forte no sentido contrário pode eventualmente reverter a trajetória positiva das bolsas até o momento frente à fragilidade da situação europeia.

Rumores
Durante o final de semana, o jornal italiano La Stampa publicou uma notícia dando conta de que o FMI (Fundo Monetário Internacional) iria disponibilizar uma linha de crédito à Itália de € 600 bilhões, com uma taxa de juro entre 4% a 5% ao ano, após o custo para se financiar via emissão de títulos públicos saltar nas últimas semanas. Contudo, o órgão internacional negou as informações nesta segunda-feira.

Já agência de notícias Reuters publicou nesta manhã uma reportagem na qual afirma que a Alemanha e a França negociam diversas alternativas para alcançar uma integração fiscal mais rígida na região sem realizar mudanças significativas no tratado.

Citando oficiais dos dois governos, o texto afirma que entre as opções está um acordo entre os países membros da Zona do Euro, outro apenas com os principais países membros e, por fim, um outro entre alemães e franceses, o qual não envolveria mudanças no tratado e que poderia ser aderido por outros países membros. Tais planos devem ser divulgados no encontro entre os líderes da região, em 9 de dezembro.

Altas e baixas
O principal destaque positivo fica com as ações da Usiminas (USIM5), que registram valorização de 6,51% e são cotadas a R$ 11,29. Apesar dessa variação, a baixa acumulada desde o início do ano chega a -40,64%.

Segundo fato relevante divulgado na noite do último domingo, Ternium anunciou ingresso no bloco de controle da Usiminas através da aquisição de 27,7% do capital votante por R$ 4,1 bilhões junto à Votorantim e à Camargo Corrêa.

Por outro lado, o pior desempenho fica com os papéis Copel (CPLE6), que são cotados a R$ 34,95 e apresentam leve baixa de 0,11%, sendo o único do Ibovespa a assumir tal trajetória.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 USIM5 USIMINAS PNA 11,29 +6,51 -40,64 53,15M
 CYRE3 CYRELA REALT ON 14,75 +6,12 -31,09 21,89M
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 8,46 +5,22 -62,23 19,03M
 MRFG3 MARFRIG ON 9,23 +4,77 -39,99 21,71M
 GOLL4 GOL PN N2 12,82 +4,48 -48,47 4,87M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CPLE6 COPEL PNB 34,95 -0,11 -12,20 7,02M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

Bolsas internacionais
Nos EUA, os principais índices de ações seguem trajetória semelhante à da bolsa brasileira, se aproximando de uma alta de 3,0% até o momento. Além de todo o caldeirão de influências europeias.

Wall Street, há pouco foi divulgado que o número de casas novas vendidas nos EUA em outubro ficou abaixo do esperado pelo mercado. O New Home Sales marcou vendas anualizadas de 307 mil casas no mês, indicando avanço em relação às 303 mil casas vendidas na comparação anual, de acordo com os dados revisados. Além disso, a expectativa era de que as vendas avançassem para 312 mil no mês, segundo a média das projeções dos analistas compiladas pela Briefing.

Enquanto isso na Europa, principal referência para os demais mercados em virtude da delicadeza de sua crise, as principais bolsas caminham para fechamento com alta próxima a 4%.

Juros e câmbio
As taxas dos principais contratos de juros futuros operam em ligeira alta nesta segunda-feira. O mercado segue com olhos atentos para a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) que acontecerá na próxima quarta-feira e definirá a taxa básica de juro do País, com grande expectativa de mais um corte em 0,50 pontos base, para 11% ao ano.

O dólar comercial está sendo cotado a R$ 1,8503 na compra e R$ 1,8509 na venda, forte baixa de 1,88% em relação ao fechamento anterior.

 

Contato