Em mercados

Ibovespa passa a registrar leve queda, pressionado por temor sobre EUA

Índice chegou a registrar ligeira alta logo após a abertura, na esteira de expectativas e resultados favoráveis

SÃO PAULO – O Ibovespa inicia o pregão desta terça-feira (27) instável, com os leves ganhos iniciais sendo transformados em leves perdas pela manutenção de fatores de pressão no cenário externo, com destaque para o impasse político nos EUA.

Com isto, o benchmark atinge 59.891 pontos, em queda de 0,13%. Logo após a abertura, o índice chegou a registrar ligeira alta, na esteira de expectativas e resultados favoráveis sobre os lucros corporativos, como os números melhores que o esperado de Ford e UPS.

De olho nos EUA
Todavia, a preocupação com a crise política sobre a dívida norte-americana volta a ganhar força como fator de pressão sobre os mercados de ações. Analistas já veem maiores chances de um rebaixamento do rating soberano dos EUA, dada a aparente distância de um acordo para elevação do teto da dívida do país.

Também ganha destaque a queda em linha com o esperado dos preços de casas nos Estados Unidos, de acordo com o índice S&P Case-Shiller. Ainda nesta manhã, os investidores devem receber os números sobre a confiança do consumidor no país.

Perspectivas
De acordo com a equipe de análise técnica do BB Investimentos, o Ibovespa "tem resistência em 60.800 pontos e objetivo altista próximo aos 63 mil pontos, enquanto os suporte estão junto aos 58.600 pontos e aos 57.600 pontos".

Principais baixas
Dentre os papéis que são negociados nesta manhã, destaque para Ambev PN (AMBV4, R$ 46,80, -1,76%),  Braskem PNA (BRKM5, R$ 19,55, -1,76%),  Itaú Unibanco PN (ITUB4, R$ 31,65, -1,56%),  Usiminas PNA (USIM5, R$ 11,30, -1,48%) e MRV ON (MRVE3, R$ 12,07, -1,47%).


 

Contato