Petrobras: estrangeiros voltaram para ações? Desconto PETR4/PETR3 mostra que não

Analistas do Bradesco BBI apontam que desconto ainda está abaixo da média histórica, o que indica que o fluxo estrangeiro ainda não voltou com força total para o papel

Equipe InfoMoney

Sede da Petrobras - REUTERS/Sergio Moraes

Publicidade

A tese de investimento nas ações da Petrobras (PETR3;PETR4) passou por uma montanha-russa de emoções nos últimos meses, quando o Conselho de Administração votou pela retenção de dividendos extraordinários na reserva de dividendos no dia 7 de março, levando a uma forte queda das ações, atingindo um novo ponto crucial (para diminuir a aversão ao risco) quando o governo votou pela distribuição de 50% da reserva de dividendos (US$ 4,4 bilhões na Assembleia Geral de Acionistas de 25 de abril), revertendo a decisão inicial de não distribuição.

Além disso, representantes do Ministério da Fazenda também deram sinais positivos de que a distribuição dos restantes 50% da reserva – outros US$ 4,4 bilhões – poderá ser discutida até ao final do ano, o que significa que a empresa poderia acabar pagando US$ 8,8 bilhões em dividendos extraordinários relacionados com 2023, o que seria um cenário otimista mesmo antes de 7 de março.

A aversão ao risco quanto ao nome diminuiu, mas os investidores voltaram para os papéis? Para os analistas do Bradesco BBI, uma parte sim, mas outra bem relevante ainda não voltou a apostar no nome.

Continua depois da publicidade

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos
“Embora possa ser razoável dizer que a Petrobras foi ‘do inferno ao céu’ nos últimos dois meses, seria ingênuo supor que os investidores voltariam instantaneamente ao nome, especialmente depois de um choque como o evento de 7 de Março. E embora isto seja verdade tanto para os investidores locais como para os estrangeiros, a nossa percepção é que os investidores locais têm sido mais rápidos a voltar ao nome, enquanto o sentimento dos investidores estrangeiros ainda é misto”, afirmam os analistas do BBI.

Para os analistas, uma medida de aproximação quantificável que ajuda a entender essa questão é a relação entre as ações PETR4/PETR3 (ou desconto PN/ON), dado que os papéis preferenciais são comprados majoritariamente por locais, enquanto as ONs recebem fluxo dos ADRs mais líquidos da Petrobras com o ticker PBR (relacionados às ações ordinárias).

Olhando para o gráfico abaixo, pode-se observar que o desconto atingiu o seu ponto mais baixo (ou seja, PETR4 no ponto mais baixo ante PETR3) perto das eleições de 2022, e atingiu o pico por volta de 7 de março (ou seja, PETR4 num valor mais próximo de PETR3). Desde o pico, o desconto recuou para 6% (ou seja, PETR4 com valor 6% abaixo da PETR3), o que ainda está acima da média de desconto de 8,5% (ou seja, PETR4 8,5% abaixo de PETR3).

Continua depois da publicidade

Desconto entre ações PETR4 e PETR3:

Desconto PETR4/PETR3 (Fonte: Bradesco BBI)

“Em nossa opinião, isso significa que ainda poderemos ver mais fluxo de investidores estrangeiros vindo para a PBR, especialmente se a decisão de distribuir os 50% restantes da reserva de dividendos da Petrobras for confirmada”, apontam os analistas do BBI.