5 assuntos

Índices futuros dos EUA sobem após sessão volátil da véspera, com inflação no radar; varejo no Brasil e mais destaques hoje

Dados de preços seguem sendo monitorados pelos investidores, com inflação no Reino Unido no maior nível em 30 anos; assembleia da Petrobras também no radar

Por  Equipe InfoMoney -

Os índices futuros de Nova York operam em alta na manhã desta quarta-feira (13) após uma sessão volátil na véspera, enquanto as bolsas asiáticas fecharam mistas, com investidores digerindo os últimos dados de inflação americana de março, que subiram 8,5% em março em relação ao ano anterior, maior patamar desde 1981.

O dado de inflação divulgado na terça-feira valida as preocupações de uma política monetária mais apertada do Federal Reserve, mesmo com o núcleo abaixo do esperado, que chegou a animar os mercados no início da sessão da véspera. Contudo, a avaliação é de que o Fed não deverá mudar os seus planos de acelerar a alta de juros.

A visão foi reiterada após as declarações da diretora do Federal Reserve Lael Brainard, que reiterou a necessidade de o banco central enfrentar “rapidamente” a inflação mais elevada em décadas

Ainda nos EUA, o JPMorgan e Delta Airlines abrem a temporada de resultados corporativos.

Os mercados asiáticos também repercutiram dados mostrando que as exportações da China subiram mais do que o esperado. As exportações da China em dólares cresceram 14,7% em março em relação ao ano anterior, segundo dados oficiais da alfândega. Isso ficou acima das expectativas de um aumento de 13% em uma pesquisa da Reuters.

Já as importações chinesas, por outro lado, recuaram 0,1% em março em relação ao ano anterior, bem abaixo do crescimento de 8% previsto em uma pesquisa da Reuters.

Na agenda doméstica, saem dados de vendas no varejo de fevereiro (9h), com expectativa de alta mensal de 0,1% e recuo de 1,1% na comparação anual. 

No campo corporativo, o evento mais aguardado é a assembleia geral ordinária (AGO) que deve eleger o novo conselho da Petrobras (PETR3;PETR4) nesta quarta-feira, às 15h. Os acionistas devem avaliar os nomes indicados pelo Ministério de Minas e Energia: José Mauro Ferreira Coelho, para a presidência da companhia, e Marcio Andrade Weber, para a presidência do conselho.

A sessão também marca o vencimento de opções sobre o Ibovespa na B3, o que pode aumentar a volatilidade do índice. 

Confira os destaques:

1. Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA avançam nesta manhã após a queda na véspera, com investidores avaliando os últimos dados de inflação de março e à espera do início da safra de balanços do primeiro trimestre de 2022. A sessão também conta com os dados de preços ao produtor de março. 

Depois de registar alta no início do dia de ontem, os principais índices fecharam a sessão de terça-feira em negativo com a repercussão da fala da diretora da autoridade monetária Lael Brainard. O Dow Jones caiu 0,26%, para 34.220. O S&P 500 caiu 0,34%, para 4.397, e o Nasdaq recuou 0,30%, para 13.371.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

  • Dow Jones Futuro (EUA), +0,56%
  • S&P 500 Futuro (EUA), +0,67%
  • Nasdaq Futuro (EUA), +0,89%

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam mistos, após divulgação dos dados comerciais chineses e a Nova Zelândia elevar sua taxa em 50 pontos base, seu maior aumento em mais de 20 anos.

Os investidores também seguem monitorando a situação do Covid no continente.

  • Shanghai SE (China), -0,82%
  • Nikkei (Japão), +1,93% 
  • Hang Seng Index (Hong Kong), +0,26% 
  • Kospi (Coreia do Sul), +1,86%

Europa

Os mercados europeus perderam força após operarem entre leves perdas e ganhos nesta quarta-feira, repercutindo os dados de inflação no Reino Unido, que ficaram acima do esperado. A inflação por lá acelerou em março e atingiu 7% em ritmo anual, contra 6,2% em fevereiro, o nível mais elevado em 30 anos, anunciou o Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS).

Os investidores também avaliam os dados de inflação dos EUA e esperam pela reunião do Banco Central Europeu de quinta-feira.

O foco do mercado está em sintonia com a decisão de política monetária do BCE, com o Conselho devendo equilibrar a desaceleração do crescimento e a inflação recorde, aumentando o risco de estagflação.

  • FTSE 100 (Reino Unido), -0,05%
  • DAX (Alemanha), -1,07%
  • CAC 40 (França), -0,44%
  • FTSE MIB (Itália), -0,43%

Commodities

As cotações do petróleo têm leve alta nesta sessão, estendendo os ganhos da sessão anterior,  com relatos de flexibilização parcial de alguns dos rígidos bloqueios Covid-19 da China, que ajudaram a alimentar a visão altista entre os participantes do mercado.

  • Petróleo WTI, +0,20%, a US$ 100,81 o barril
  • Petróleo Brent, +0,36%, a US$ 105,02 o barril
  • Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve queda de 1,45%, a 884,00 iuanes, o equivalente a US$ 138,84

Bitcoin

  • Bitcoin, -0,29% a US$ 40.147,41 (em relação à cotação de 24 horas atrás)

2. Agenda

De manhã, tem dados do varejo no Brasil (9h) e inflação ao produtor nos EUA (9h30). Ainda serão divulgados os dados dos estoques de petróleo nos EUA no final da manhã. 

Brasil

9h: Vendas no varejo de fevereiro, com consenso Refinitiv de alta mensal de 0,1% e baixa de 1,1% na base anual

12h30: Pesquisa eleitoral – PoderData

EUA

9h30: Índice de preços ao produtor mensal, consenso aponta para alta mensal de 1,1% e +10,6% na comparação anual

11h: Variação de estoques de petróleo semanal – EIA

3. Câmara aprova extensão do Pronampe até 2025

Os deputados aprovaram o texto-base que altera regras do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), por 447 votos a 9. O programa ganha mais fôlego com a extensão do prazo para o governo devolver os recursos do fundo garantidor, que mantém o programa até 2025. Dessa forma, o socorro às empresas continua até 2024. Além disso, está previsto um dispositivo que permite que o governo preveja no orçamento novos aportes ao programa a partir do ano que vem. 

Comando da Comissão Mista do Orçamento deve ficar com o União Brasil, diz Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, afirmou ontem (12) que o União Brasil ficará com o comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e também da Comissão Mista do Orçamento (CMO), informou o jornal Valor.

Senado adia votação de marco das criptomoedas para próxima terça-feira

O Senado votará na próxima terça-feira o marco que regulamenta as operações financeiras com criptomoedas no país. A matéria chegou a ser pautada para a sessão de ontem, mas diante do baixo quórum, optou-se por remarcar a análise da proposta, que será o primeiro item da pauta do dia 19, segundo Rodrigo Pacheco. O relator da matéria, Irajá Abreu (PSD-TO), apresentou ontem seu parecer.

Empresários apresentam propostas para desonerar folha de pagamentos

Grupo de 300 empresários, entre eles os donos da Riachuelo (GUAR3), Madero, Centauro e Pernambucanas, apresentaram ontem, em Brasília, três Propostas de Emenda à Constituição (PECs) relacionadas ao ambiente de negócios no país. As sugestões incluem a desoneração permanente da folha de pagamento por meio da criação de um tributo similar à CPMF. 

A PEC da desoneração prevê que essa medida seja permanente e se estenda a todos os setores da economia. Atualmente, 17 setores estão isentos temporariamente de pagar esses tributos. Para compensar a perda de arrecadação do governo, seria recriada a “Contribuição Sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Crédito e Direitos de Natureza Financeira”, antiga CPMF.

Base bolsonarista apresenta pedido de CPI de obras inacabadas em governo do PT

O líder do PL no Senado, Carlos Portinho, apresentou ontem pedido de abertura de uma CPI para apurar eventuais irregularidades em obras inacabadas nos governos do PT e de Michel Temer, entre 2006 e 2018. Trata-se de um contra-ataque à tentativa de se fazer uma CPI para investigar irregularidades no Ministério da Educação (MEC).

4. Covid

Na última terça-feira (12), o Brasil registrou 163 mortes e 21.784 casos de covid-19 em 24h, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h.

A média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 138, recuo de 36% em comparação com o patamar de 14 dias antes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 20.383, o que representa baixa de 22% em relação ao patamar de 14 dias antes. 

Chegou a 162.270.361 de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 75,53% da população.

O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 176.338.392 pessoas, o que representa 82,08% da população.

A dose de reforço foi aplicada em 82.348.041 pessoas, ou 38,33% da população.

5. Radar Corporativo

PetroRecôncavo (RECV3)

A PetroRecôncavo (RECV3) registrou uma produção média diária de 19.455 barris de óleo equivalente (boe) no primeiro trimestre de 2022, resultado 42,6% superior ao reportado em igual etapa de 2021.

A produção diária atingiu 19.792 boe no mês de março deste ano, um incremento de 0,3% sobre a produção de fevereiro do mesmo ano.

Totvs (TOTS3) e Itaú (ITUB4

A Totvs (TOTS3) celebrou contrato para a criação de uma Joint Venture com o Itaú Unibanco ([ativo=ITUB4), denominada Totvs Techfin, plataforma digital de serviços financeiros para pequenas e médias empresas.

A plataforma integra uma gama completa de serviços financeiros com  os sistemas de gestão Totvs, facilitando contratação, distribuição e definição de condições com o uso inteligente de dados transacionais.

Iguatemi ([ativo=IGTI11]) 

A Iguatemi (IGTI11) reportou vendas totais de R$ 3,3 bilhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), um crescimento de 14,8% em relação ao mesmo período de 2019.

No 1T22, as vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) cresceram 14,6% em relação ao mesmo trimestre de 2019. 

Lavvi (LAVV3

A Lavvi (LAVV3) reportou vendas líquidas contratadas de R$ 162 milhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), crescimento de 5% quando comparado ao 4T21 e de 89% em relação ao 1T21.

Cury (CURY3)

A Cury (CURY3) informou que o valor geral de vendas (VGV) líquido atingiu R$ 753,4 milhões, alcançando novo recorde histórico. O valor representa uma alta de 23,2% em relação ao trimestre passado e 27,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Melnick (MELK3

A Melnick (MELK3) registrou vendas líquidas de R$ 87 milhões entre janeiro e março de 2022, um recuo de 20,2% em relação ao mesmo trimestre de 2021.

(Com Estadão, Bloomberg e Agência Brasil)

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe