Bolsa

Ibovespa se mantém em alta, com vantagem sobre o exterior, e recupera parte das perdas da semana

A política monetária nos Estados Unidos volta a mexer com os negócios nesta quinta-feira (6)

Por  Mitchel Diniz -

O Ibovespa se mantém em alta nesta quinta-feira (6) e opera com vantagem sobre as Bolsas em Nova York, que têm desempenhos mistos. O índice vem testando, ao longo do dia, o patamar dos 102 mil pontos. Investidores seguem digerindo a última ata da reunião de política monetária do Banco Central dos Estados Unidos, o Federal Reserve. A minuta surpreendeu o mercado, indicando que o ciclo de alta de juros nos EUA deve começar mais cedo que o esperado, o que derrubou as Bolsas na sessão de ontem.

De acordo com projeções do mercado, há 71% de chances do ajuste nos juros ocorrer já no próximo mês de março, levando em conta um mercado de trabalho bastante apertado, em que os empregadores ajustam salários para reter funcionários, e a escalada da inflação, que chega ao seu maior nível em 40 anos nos EUA.

Além disso, a minuta também trouxe uma surpresa ao informar que o Fed vai começar a reduzir seu balanço, atualmente em 8,3 trilhões de dólares. O balanço do BC americano inflou por conta dos juros perto de zero e injeções diretas de dinheiro no sistema financeiro, com a compra de de US$ 120 bilhões de dólares por mês em títulos públicos e papéis lastreados por hipotecas.

“Sua carteira de títulos praticamente duplicou, indo de US$ 4,7 trilhões para os atuais US$ 8,3 trilhões em menos de dois anos”, apontam os analistas da Levante Ideia de Investimentos.

“Acreditamos que o Federal Reserve elevará a taxa básica três vezes em 2022, sendo a primeira alta em março, e que o juro continuará subindo 0,25 ponto percentual por trimestre, até atingir 3% em 2023”, diz relatório do Bradesco.

A XP tem previsão semelhante. “A postura mais hawkish nos fez mudar a nossa visão sobre o início do processo de alta de juros de junho para março e no número de aumentos de taxas em 2022 de dois para três”, diz, em relatório.

Com juros mais altos nos Estados Unidos, os títulos do Tesouro Americano ficam mais rentáveis e tendem a atrair capital que estava alocado em ações, sobretudo em países emergentes.

Às 15h57 (horário de Brasília), o Ibovespa operava em alta de 0,69%, aos 101.705 pontos. O índice futuro com vencimento em fevereiro de 2022 subia 0,84%, aos 102.515 pontos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao Vivo – Bolsa em Tempo Real

O dólar comercial operava em queda de 0,39%, a R$ 5,690 na compra e R$ 5,690 na venda. O dólar futuro para fevereiro operava em baixa de 0,27% R$ 5,719.

Nos juros futuros, o DI para janeiro de 2023 recuava 17 pontos-base, a 11,94%; o DI para janeiro de 2025 caía 11 pontos-base, a 11,32%; e o DI para janeiro de 2027 recuava 10 pontos-base, a 11,22%.

Indicador de destaque na agenda doméstica, a produção industrial teve variação mensal negativa de 0,2% em novembro, abaixo das expectativas do mercado, que esperava avanço de 0,1%. Foi o sexto resultado negativo seguido. Já na comparação com novembro de 2020, a indústria recuou 4,4%.

“O resultado negativo da produção industrial reforça a visão de que o PIB não deve crescer no quarto trimestre. Apesar de uma melhora marginal nos gargalos da cadeia de suprimentos, a desaceleração da demanda e a alta no juro básico devem continuar mantendo a indústria fragilizada nos próximos meses. Esperamos apenas um leve crescimento para dezembro, insuficiente para fazer o setor apresentar variação positiva no quarto trimestre”, afirma João Leal, economista da Rio Bravo.

Em Nova York, as Bolsas reduziram perdas, mas encontram pouco fôlego para se manter no terreno positivo. O Dow Jones recua 0,36%, enquanto o S&P500 operava em ligeira alta de 0,11%, e a Nasdaq avançava 0,22%. Ações de tecnologia tem sido as mais penalizadas pela perspectiva de alta de juros, pois o ajuste reflete diretamente nos custos de capital das empresas em processo de expansão.

Na Europa, os índices repercutiram com queda a ata do Federal Reserve, já que as Bolsas estavam fechadas quando a minuta foi divulgada ontem, no final da tarde. O índice pan-europeu Stoxx 600, que reúne ações de empresas de 17 países do continente, fechou em baixa de 1,25%.

No segmento de commodities, os preços do petróleo também seguiam com valorização: o barril do Brent era negociado a US$ 81,75, com alta de 1,18%; o do WTI subia 1,68%, a US$ 79,16.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Radar corporativo

O noticiário corporativo desta quinta-feira (06) tem como destaque a Gol (GOLL4), que registrou aumento de 15,2% da demanda por voos da companhia no quarto trimestre de 2022. Além disso, o Carrefour Brasil (CRFB3) informou que aumento de capital no valor de R$ 4,8 bilhões aprovado em AGE perdeu efeito.

Já o Grupo Mateus (GMAT3) e d1000 (DMVF3) divulgaram seus respectivos planos de expansão para este ano.

A Rede D’Or (RDOR3) informou que sua afiliada Hospital Proncor adquiriu participação de 100% do capital social do Hospital Santa Marina.

Já o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) disse que a oferta de ações da Eletrobras (ELET3;ELET6) será realizada em meados de março e que a precificação das ações da estatal, dentro do processo de capitalização, será feita em abril.

Gol (GOLL4

A Gol (GOLL4) divulgou sua prévia operacional de dezembro mostrando que a demanda (medida por passageiro-quilômetro transportado, na sigla em inglês, RPK) total avançou 15,2% no quarto trimestre na comparação com o mesmo intervalo de 2020.

Já a oferta (assento-quilômetro oferecido, ASK na sigla em inglês) avançou 13% entre outubro e dezembro frente igual período de 2020.

A taxa de ocupação no quarto trimestre, por sua vez, avançou 1,6 ponto porcentual, para 82,6%, enquanto as decolagens subiram 22,3% e o total de assentos cresceu 19,8%.

Além disso, a Gol informou a conclusão de reorganização societária que resultou na transferência da totalidade das ações ordinárias de emissão da companhia detidas pelo Fundo de Investimento em Participações Volluto para o fundo Mobi, veículo integralmente detido pelos acionistas controladores da companhia, bem como na transferência de 10.846.688 ações preferenciais de emissão da companhia,  de  titularidade da PATH (Panamerican  Air  Transportation  Holding) para a  PATH-Brazil LLC, veículo que também é integralmente detido pelos acionistas controladores da Companhia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Braskem (BRKM5)

Segundo informações da Bloomberg, os acionistas controladores da Braskem definiram os bancos que vão coordenar uma oferta subsequente de ações preferenciais da companhia que pode movimentar cerca de R$ 8,3 bilhões, apontaram à agência pessoas com conhecimento do assunto. O plano é realizar o follow-on até o fim de janeiro, disseram as pessoas.

Carrefour (CRFB3)

O Carrefour Brasil (CRFB3) informou ontem (5) que aumento de capital no valor de R$ 4,8 bilhões aprovado em AGE perdeu efeito.

O aumento estava condicionado à publicação do projeto de reforma do IR, que não saiu no DOU até 31 de dezembro de 2021.

Grupo Mateus (GMAT3

O Grupo Mateus (GMAT3) bateu o recorde de aberturas pelo segundo ano consecutivo, com 44 novas lojas em 2021.

Com as inaugurações de dezembro, o Grupo Mateus encerrou 2021 com 202 lojas em operação, sendo 61 de varejo, 42 de atacarejo e 99 de eletro.

Para 2022, a empresa continua otimista com um plano ousado de expansão, em seis estados da Região Nordeste (Bahia, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe e Rio Grande do Norte).

A XP vê o comunicado como positivo e em linha com as expectativas, uma vez que tinham no modelo uma previsão de 40 aberturas para o ano. “Reiteramos nossa recomendação de compra para o papel e preço-alvo de R$ 10 por ação”, aponta.

d1000 (DMVF3

A d1000 (DMVF3) espera realizar a abertura de 10 lojas e fazer a ampliação de 20 em 2022. A companhia informou ter finalizado o plano de expansão esperado para o ano de 2021, com a abertura de 30 novas lojas, sendo 26 até o terceiro trimestre e 4 ao longo do quarto trimestre de 2021.

“Da mesma forma que as inaugurações são forte alavanca para crescimento de vendas da rede, todas as ampliações
realizadas nos últimos anos também confirmaram igualmente grande potencial para aumento de faturamento, com investimentos menores dos requeridos em aberturas de loja e retornos significativos no curto prazo”, destacou a companhia em comunicado.

A empresa ressaltou que as projeções apresentadas são estimativas e, por isso, não constituem promessa de desempenho (positivo ou negativo), de modo que poderão ser revisadas. Eventuais atualizações dos indicadores serão divulgadas ao mercado em conjunto com os resultados financeiros trimestrais e demonstrações financeiras anuais, destacou.

A XP destaca ver o anúncio como positivo: “apesar de diferir de nossas estimativas (abertura de 40 lojas em 2022), deverá exigir menos investimentos e um menor nível de despesas pré-operacionais”, avalia. Os analistas reiteram recomendação neutra, com preço-alvo de R$ 7,50 por ação.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) disse que a oferta de ações da Eletrobras será realizada em meados de março e que a precificação das ações da estatal, dentro do processo de capitalização, será feita em abril.

O cronograma foi apresentado pelo BNDES na audiência pública sobre o processo de desestatização da Eletrobras.

A assembleia extraordinária de acionistas para discutir a privatização da Eletrobras deverá ser realizada em fevereiro, segundo o cronograma apresentado por Leonardo Mandelblatt, chefe do departamento de Estruturação de Empresas e Desinvestimento do BNDES.

Rede D’Or (RDOR3

A Rede D’Or informou que, nesta quarta-feira (5), sua afiliada Hospital Proncor adquiriu participação de 100% do capital social do Hospital Santa Marina.

O valor de firma (firm value) é de R$ 25 milhões, sendo que deste valor será deduzido o endividamento líquido.

O Hospital Santa Marina é um hospital localizado na cidade de Campo Grande, Estado do Mato Grosso do Sul, contando com 30 leitos, e integrará a estratégia de expansão do Hospital Proncor, localizado no mesmo município e adquirido em 2021 pela Rede D’Or.

Raízen (RAIZ4)

A Raízen (RAIZ4) concluiu a aquisição dos ativos de geração renovável de energia e formação da joint venture com o Grupo Gera, a Raízen-Gera.

A JV Raízen-Gera complementa a plataforma de produtos e serviços de Energia & Renováveis da empresa, reforçando a posição de liderança no processo de transição e descarbonização da matriz energética global, por meio da ampliação da oferta de energia mais limpa, renovável e sustentável.

Equatorial (EQTL3)

A Equatorial (EQTL3) confirmou a Oferta Pública de Aquisição de ações (OPA) da Companhia Estadual de Distribuição de  Energia Elétrica –CEEE-D. O leilão da oferta está agendado para o dia 11 de fevereiro.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui!

 

Compartilhe