Pré-mercado

Ibovespa futuro sobe com novo fôlego do mercado internacional após balanços; dólar também avança, no patamar de R$ 5

Riscos inflacionários e política monetária dos Estados Unidos continuam no radar dos investidores

Por  Mitchel Diniz -

O Ibovespa futuro volta a subir nos primeiros negócios desta quinta-feira (28), em linha com o desempenho do pré-mercado no exterior. Os investidores repercutem os últimos resultados trimestrais das empresas, em uma semana marcada pelos balanços das big techs. Os números da Meta, controladora do Facebook, vieram melhores que o esperado, apesar de uma queda no lucro. O mercado agora espera pelos resultados de Amazon, Apple e Twitter.

No cenário macroeconômico, as preocupações continuam. A guerra na Ucrânia não dá sinais de trégua e as tensões com a Rússia continuam elevadas, depois que a Gazprom cortou o fornecimento de gás natural para a Bulgária e Polônia. Os russos afirmaram que pode interromper o abastecimento de outros países que não pagaram pela energia em rublos.

Na China, o controle da pandemia de Covid-19 segue no radar. O governo chinês sinaliza com estímulos para infraestrutura, medidas de injeção de liquidez, enquanto testa em massa a população. O temor que novos lockdows possam desacelerar a economia chinesa e trazer novos gargalos para a cadeia global de suprimentos continua pairando sobre os mercados.

Nos Estados Unidos, é dia de dados sobre pedidos de auxílio-desemprego. Números do mercado de trabalho tem sido acompanhados de perto pelos investidores, pois têm pautado os próximos passos do Banco Central americano. Na semana que vem, a autoridade monetária se reúne para decidir um novo ajuste na taxa de juros e sinaliza que pode elevá-la em 0,5 ponto percentual.

Aqui no Brasil, o noticiário corporativo também domina. Ontem à noite, a Vale (VALE3) reportou lucro de US$ 4,4 bilhões no 1º trimestre – uma queda anual de 18%, mas acima do consenso. Além disso, a Petrobras (PETR3 PETR4) divulgou prévias operacionais e reportou alta de 1,1% na produção total do 1º trimestre. Os analistas fizeram boas avaliações sobre os números da petrolífera (acompanhe as análises ao vivo).

Às 9h21 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro para junho operava em alta de 0,94% aos 112.045 pontos.

O dólar comercial volta a subir hoje, acompanhando uma tendência global de valorização sobre outras divisas. A moeda americana sobe 0,59%, a R$ 4,995 na compra e R$ 4,996 na venda.

Apenas algo excepcional pode neutralizar a força do dólar agora, diz ex-diretor do Banco Central

Os juros futuros também operam em alta nos primeiros negócios do dia: DIF23, +0,02 pp, a 13%; DIF25, +0,04 pp, a 12,04%; DIF27, +0,04 pp, a 11,90%; DIF29, +0,03 pp, a 12,03%.

Em Nova York, os índices futuros sobem após sobem, dando apoio aos mercados globais: o Dow Jones futuro avança 0,74%, enquanto os futuros do S&P 500 e da Nasdaq sobem, respectivamente, 1,32% e 1,79%.

Análise técnica por Pamela Semezatto, analista de investimentos e especialista em day trader da Clear Corretora

Ibovespa

“Segue testando região de suporte 108.000 e ontem, com uma retração de volatilidade, mostrou uma possível pausa nas quedas. Se hoje romper a máxima de ontem, podemos considerar que o suporte foi respeitado e aguardar por um possível movimento de alta. Ainda sem uma definição muito clara da tendência de curto prazo.”

Dólar

“Testando região de resistência, ontem mostrou que a alta esta perdendo um pouco a força. Ainda em tendência de baixa e em um movimento de repique da ultima queda, suporte em R$ 4,80 e resistência em R$ 5,06.”

Compartilhe