Futuro de Bitcoin da B3 tem recorde diário de mais de 100 mil contratos negociados

Em menos de três meses, o volume negociado se multiplicou por 14 vezes

Vitor Azevedo

Publicidade

Os futuros de bitcoin (BITFUT) registraram a negociação de 108,5 mil contratos na última segunda-feira (8), segundo dados da B3 informados ao InfoMoney, com exclusividade. Este foi o recorde de transações desde o início da operação do produto, no dia 17 de abril. O volume financeiro, por sua vez, foi de R$ 3,37 bilhões, nesta sessão, conforme a Bolsa.

Como comparação, essas cifras superam financeiramente o mercado spot (à vista) de bitcoin em reais. Segundo dados do site Coin Trader Monitor, as exchanges em reais transacionaram cerca de R$ 100 milhões nas últimas 24 horas. Os dados, aqui, referem-se exclusivamente ao mercado brasileiro, inclusive de corretoras estrangeiras, com operação local.

“O contrato futuro trouxe uma nova forma de operar bitcoin dentro do mercado regulado, viabilizando diferentes estratégias para os investidores, e isso tem se refletido em bons resultados. Vemos volumes crescentes desde o primeiro dia, quando tivemos 7,4 mil contratos negociados, passando para cerca de 50 mil após o primeiro mês, e agora ultrapassamos a marca de 100 mil, antes de completar três meses de disponibilidade. É um início sem precedentes para um produto novo na B3”, diz Marcos Skistymas, diretor de Produtos Listados da B3.

Continua depois da publicidade

Em seu primeiro mês, os contratos futuros de bitcoin romperam a marca dos R$ 10 bilhões negociados na B3.

Os futuros de bitcoin funcionam à semelhança dos minicontratos de dólar ou de índice. Ou seja, não há uma negociação direta da criptomoeda, mas sim apenas de sua variação, pois seu funcionamento é no mercado futuro.

BITFUT

O executivo acrescenta que esses números traduzem também a capacidade de a bolsa do Brasil ouvir as necessidades do mercado para lançar produtos que atendam às suas demandas. 

Continua depois da publicidade

O trader Alexandre Wolwacz, conhecido como Stormer, explica que a quantidade negociada vem aumentando dia após dia pelo fato de os investidores terem compreendido melhor as regras de alavancagem e os valores envolvidos na negociação do BITFUT.

Saiba mais:

“Após terem feito seus testes e dimensionado tamanho de mão e de movimentações, passam a trabalhar a conta real. Isso produz um fortalecimento cada vez maior do mercado como um todo, possibilitando proteções, movimentos de oportunidade e maior dinamismo para os investidores”, diz ele.

Continua depois da publicidade

Fora isso, o especialista também destaca que o spread do contrato vem caindo, permitindo maior precisão nos pontos de entrada e saída.

“A liquidez aumentando permite um melhor uso de stops e de alvos específicos. Quanto maior a liquidez, mais efetiva fica a leitura do gráfico. Sem liquidez, ficamos presos em períodos operacionais muito maiores, como 60 minutos ou 120 minutos”, diz o trader.

O contrato tem vencimento mensal e valor de 0,1 bitcoin, ou seja, 10% do valor da criptomoeda em reais. A liquidação é exclusivamente financeira, ou seja, não há compra e venda de criptomoedas. Os resultados ocorrem sobre a variação de preço da criptomoeda.

Continua depois da publicidade

Leia também:

Como negociar o futuro de bitcoin?

No mercado futuro, o investidor se compromete a comprar ou vender um determinado tipo de ativo em uma data futura com um preço pré-determinado, de acordo com seu perfil de risco e estratégia.

Para negociar o futuro de bitcoin, os investidores de varejo precisam depositar na corretora uma margem mínima de R$ 100 por contrato.

Continua depois da publicidade

Os investidores que mantiverem posições nos contratos, ou seja, que não zerarem suas posições até o final do pregão, deverão depositar o equivalente a 50% do valor do contrato.

O depósito da margem de garantia é um mecanismo usado para assegurar que ambas as pontas da operação cumpram com a obrigação financeira. As negociações do Futuro de Bitcoin acontecem das 9h às 18h30.

Outra característica do mercado futuro é o pagamento de ajustes diários, de acordo com a oscilação do preço do contrato durante o pregão. Isso significa que os contratos vão sofrer, todos os dias, ajustes em seu valor até o dia do seu vencimento.

O vencimento de contrato ocorre sempre na última sexta-feira do mês, o que permite que o investidor possa montar estratégias com prazos diferentes sobre o mesmo ativo.

Leia também: