Radar InfoMoney

Direcional, Tenda, Lavvi e EDP divulgam prévias operacionais; GPA vende lojas ao Assaí, Itaú aprova JCP e mais notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta sexta-feira (15)

SÃO PAULO – O noticiário corporativo desta sexta-feira (15) tem como destaque as prévias operacionais de construtoras, como Direcional (DIRR3), Tenda (TEND3), RNI ([ativo=RNDI3]) e Lavvi (LAVV3).

Além disso, houve a venda de 71 lojas do GPA (PCAR3) para o Assaí (ASAI3) no valor de até R$ 5,2 bilhões.

Já o Itaú Unibanco (ITUB4; ITUB3) aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) em substituição aos dividendos mensais de novembro e de dezembro de 2021.

Por fim, a EDP Brasil (ENBR3) arrematou a companhia goiana de transmissão de energia (Celg T) pelo valor de R$ 1,977 bilhão, ágio de 80,1%.

Vale (VALE3)

A Vale (VALE3) divulgou o calendário de resultados do terceiro trimestre de 2021. A prévia operacional de mineradora sai na próxima terça-feira (19) após o fechamento do mercado.

Já a divulgação do balanço do 3º trimestre será no dia 28 de outubro de 2021 após o fechamento do mercado.

Direcional (DIRR3)

A Direcional (DIRR3) registrou o 5º recorde nas vendas líquidas dos últimos 6 trimestres, alcançando R$ 643 milhões, alta de 40,2% na base anual.

No acumulado dos nove meses de 2021, as vendas líquidas atingiram R$ 1,8 bilhão, crescimento de 53% sobre o mesmo período de 2020.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já a velocidade de vendas líquidas do 3T21, medida pelo indicador VSO (Vendas Líquidas sobre Oferta), atingiu índice de 17% no consolidado. No acumulado de 2021, o VSO foi de 36%.

Avaliação

Para o Itaú BBA, o resultado reforça bom momento operacional da Direcional e destaca que grande parte do crescimento do trimestre foi impulsionado pelo desempenho dos projetos da Riva.

Por sua vez, o Credit Suisse assinala que os números vieram em linha com suas estimativas de lançamentos e vendas, sustentando a percepção de que a empresa é capaz de apresentar um crescimento forte e em condições saudáveis ​​tanto nas subsidiárias Direcional quanto na Riva.

Tenda (TEND3)

As vendas líquidas da Tenda (TEND3) encerraram o 3T21 em R$ 770 milhões, alta de 4% no ano. Já nos primeiros nove meses de 2021 as vendas liquidas contabilizaram R$ 2,3 bilhões, o que reflete um aumento de 33%.

No trimestre, o VSO da companhia foi de 33% enquanto no ano bateu os 60%.

A Tenda lançou 11 empreendimentos no 3T21 totalizando um volume de R$ 634 milhões, queda de 36% no ano. No acumulado foram lançados 41 projetos somando um VGV de R$ 2,2 bilhões, aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado.

Avaliação

O Credit Suisse avaliou como positivo o desempenho da construtora no trimestre. Segundo o banco, a Tenda conseguiu reportar sua segunda melhor velocidade de vendas de todos os tempos, apesar de aumentar os preços em cerca de 10% em todos os mercados aos quais está exposta.

Já o Itaú BBA pontuou que um “preço médio mais alto das unidades vendidas foi parcialmente compensado por um aumento nos cancelamentos de vendas.”

Lavvi (LAVV3)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As vendas líquidas contratadas da Lavvi (LAVV3) no 3T21 totalizaram R$ 192 milhões, apresentando crescimento de 469% quando comparado ao 3T20. No acumulado do ano, as vendas líquidas totalizam R$ 785 milhões, 965% acima do volume vendido ao longo do 9M20.

A companhia informou que o VSO foi de 27% no 3T21, sendo que o VSO de lançamentos foi de 44%. O VSO acumulado em 12 meses foi de 69%, e de 61% no 9M21.

No trimestre, a companhia lançou 1 empreendimento, somando um VGV total de R$ 331 milhões.

Ao final do 3T21, o estoque a valor de mercado era de R$504 milhões, correspondendo a 536 unidades.

RNI

As vendas líquidas da RNI (RNDI3) para o 3T21 totalizaram R$ 149 milhões, 8% superior ao 3T20. No acumulado dos nove meses de 2021, a companhia registrou R$ 481 milhões em vendas líquidas, 26% superior aos 9M20.

No terceiro trimestre, a RNI lançou em parceria com a incorporadora Stéfani Nogueira o empreendimento Magnólia, localizado em Ribeirão Preto/SP, totalizando R$ 79 milhões em VGV. Já nos nove meses do ano, a RNI atingiu R$ 480 milhões em VGV lançado, 40% maior na base anual.

Em 30 de setembro de 2021, o VGV total dos estoques a valor de mercado era R$ 641 milhões, correspondendo a 3.665 unidades.

O estoque concluído %RNI passou a representar 5% do total, redução de 1 p.p. em relação ao trimestre anterior.

Aliansce Sonae (ALSO3), Multiplan (MULT3), Iguatemi (IGTA3)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Credit Suisse iniciou a cobertura da Aliansce Sonae com uma avaliação neutra e preço-alvo de R$ 28, frente à cotação de quinta de R$ 22,83. O banco diz que a empresa é uma das maiores operadoras de shoppings do Brasil, com um portfólio bem distribuído geograficamente.

O banco diz acreditar que a empresa está bem posicionada para se beneficiar da recuperação do mercado de shoppings, com a possibilidade de capturar sinergias com a fusão com a Sonae e ganhos de produtividade com a otimização da composição de locatários.

O banco diz que, por conta de uma deterioração do mercado macroeconômico, vê a possibilidade de uma recuperação mais difícil entre portfólios menos premium, o que dá suporte a sua avaliação neutra para a Aliansce Sonae e a sua preferência por Multiplan e Iguatemi.

Mais Iguatemi

O Bradesco BBI comentou o anúncio pelo Iguatemi de que acionistas aprovaram uma fusão por meio da troca de ações com a holding de que faz parte, Jereissati Participações, convertendo as ações IGTA3 em unidades IGTI11. O número de ações IGTI3, IGTI4 e IGTI11 após o negócio indica um valor 8% menor do que o atual dos papéis IGTA3.

O banco mantém avaliação neutra para os papéis IGTA3, e preço-alvo de R$ 50, frente à cotação de quinta de R$ 33,2.

Itaú Unibanco (ITUB4; ITUB3)

O Itaú Unibanco (ITUB4; ITUB3) aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) em substituição aos dividendos mensais de novembro e de dezembro deste ano.

Conforme o banco, o valor líquido será de R$ 0,015 por ação e terá como base de cálculo as posições acionárias de 29 de outubro e de 30 de novembro.

Dessa forma, o valor líquido por ação, considerando as duas competência de proventos mensais, somará R$ 0,030.

O Itaú também aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio complementar, no valor líquido de R$ 0,224868 por ação.

O montante total a ser distribuído será de R$ 2,199 bilhões, líquidos de impostos, pagos até 30 de abril de 2022, com crédito contábil em 26 de novembro de 2021, tendo como base de cálculo a posição acionária final registrada no dia 19 de novembro de 2021.

GPA (PCAR3) e Assaí (ASAI3)

O GPA (PCAR3) informou a venda de 71 pontos comerciais, instalados em diversos Estados, para o Assaí (ASAI3).

Conforme o fato relevante, a transação envolve um valor estimado a ser recebido pelo GPA de R$ 5,2 bilhões, dos quais R$ 4 bilhões serão pagos pelo Assaí, de forma parcelada, entre dezembro deste ano e janeiro de 2024.

A transação envolvendo a conversão de lojas Extra Hiper operadas pelo GPA em cash & carry (atacarejo), que passarão a ser operadas pelo Assaí.

Com a operação, a bandeira Extra Hiper será descontinuada e as lojas não abarcadas pela transação serão convertidas em formatos com maior potencial de rentabilidade.

Leia mais: Ações do GPA (PCAR3) saltam até 18% e do Assaí (ASAI3) caem 6% com operação de R$ 5,2 bi e fim do Extra Hiper; o que explica?

EDP Brasil (ENBR3)

A companhia goiana de transmissão de energia (Celg T) foi arrematada pela Pequena Central Hidrelétrica, que é controlada pela EDP Brasil (ENBR3), pelo valor de R$ 1,977 bilhão, com ágio de 80,1%.

O lance mínimo para arrematar a empresa era de R$ 1,097 bilhão.

Com isso, a EDP agregou ao portfólio mais três concessionárias de transmissão, que somam 756 quilômetros de linhas e 14 subestações.

Avaliação

O Credit Suisse diz avaliar que a oferta vencedora foi agressiva e ressaltou que as oportunidades de crescimento no setor vêm caindo. A venda indica que a gestão quer desinvestir do segmento de geração e continuar a focar em distribuição.

Como a compra foi agressiva, investidores podem ter uma visão negativa sobre o segmento, reforçou. Entretanto, o banco diz que vê a empresa reduzindo o endividamento, com boas métricas operacionais em seu portfólio e bons volumes para a unidade de distribuição, com bom espaço para pagamento de dividendos, mesmo com mais exigências de investimentos.

O banco mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 24,6, frente à cotação de quinta de R$ 19,10.

Porto Seguro (PSSA3)

A Porto Seguro (PSSA3) informou que um ataque cibernético causou instabilidade em seus canais de atendimento e em alguns de seus sistemas, nesta quinta-feira, 14

“A empresa ativou prontamente todos os protocolos de segurança e, desde as 15h, vem restabelecendo gradualmente seu ambiente e segue trabalhando para retomar a normalidade o mais breve possível”, informou a Porto por meio de nota.

O texto informa também que, “até o momento, não foi identificado qualquer vazamento de dados da companhia, suas controladas, seus clientes e/ou parceiros, incluindo quaisquer dados pessoais”.

Neoenergia (NEOE3)

A Neoenergia (NEO3) registrou aumento de 385,6% na geração de energia via termelétrica no terceiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020, totalizando 1.151 Gigawatt por hora (GWh).

A geração de energia renovável atingiu 1.685 GWh no período, crescimento de 2,63%. Já a distribuição de energia totalizou 18,8 mil, alta de 3,64%.

Avaliação

O Credit Suisse ressalta a alta de 3,6% em volumes na comparação anual. Segundo o banco, o desempenho positivo foi impulsionado pelos segmentos industrial e de livre mercado, com alta de 10,7% na comparação anual, e comercial, com alta de 4,9% na mesma comparação.

O banco acrescentou que distribuidoras e geradoras estão apresentando bons resultados, que devem se beneficiar dos volumes positivos apresentados pelas distribuidoras, assim como bons resultados das geradoras, mesmo com a fraca geração hídrica.

Além disso, o banco também diz esperar a continuidade da retomada do desempenho positivo nas unidades de Celpe, Coelba e Brasília, caso a empresa seja capaz de chegar a melhores custos administráveis e taxas de perdas. O banco mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 24,10, frente à cotação de quinta de R$ 15,78.

Rumo Logística (RAIL3)

O Credit Suisse avaliou os volumes relativos a setembro anunciados pela Rumo Logística como mais fracos do que o esperado, após um resultado negativo em agosto. O banco atribui os resultados à baixa disponibilidade de milho por conta da safra fraca neste ano. Assim, os volumes consolidados da Rumo caíram cerca de 17% na comparação anual, apesar da ajuda da Rede Central.

O banco diz que é improvável que os volumes melhorem neste ano, com perspectiva de piorarem conforme o milho disponível para exportação se esgota.

Mas o Credit diz que as últimas projeções da Conab sugerem uma alta de cerca de 20% na produção no Mato Grosso no segundo trimestre de 2022, com alta de 8% na área plantada. Assim, a produção média brasileira deve se recuperar de forma mais significativa.

Sinqia

O Itaú BBA retomou a cobertura da Sinqia ([ativos=SQIA3]), com avaliação outperform, e reduzindo o preço-alvo para 2021 de R$ 33 para R$ 38,4, frente à cotação de quinta de R$ 19,34.

O banco diz que com a nova debênture e o poder de fogo de R$ 550 milhões, a Sinqia deve ser capaz de continuar a implementar sua estratégia de crescimento inorgânico, agora também focada na expansão da Sinqia Digital que, em sua visão, deve impulsionar uma reavaliação dos papéis no médio para o longo prazo.

PDG (PDGR3)

A construtora PDG (PDGR3) saiu do seu processo de recuperação judicial. Segundo fato relevante, o encerramento do processo foi proferido pelo Juízo da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca da Capital de São Paulo nesta quinta-feira (14).

“A Recuperação Judicial permitiu ao Grupo PDG a reestruturação de um passivo de mais de R$ 5,3 bilhões perante mais de 22.000 credores”, informou.

Dessa forma, conforme a sentença, a PDG cumpriu todas as obrigações previstas no plano de recuperação judicial e seu aditamento, aprovados respectivamente em 2017 e 2020.

Latam

A Latam informou nesta quinta-feira (14) que pediu à justiça de Nova York uma nova postergação do prazo para apresentar o seu plano de reorganização aos credores. O novo prazo é 26 de novembro.

Esta é a quinta vez que a operadora aérea, que está em processo de recuperação judicial nos Estados Unidos, pede a prorrogação, que ainda precisa ser validada pelo tribunal norte-americano.

A Latam entrou em recuperação judicial com uma dívida de quase US$ 18 bilhões. 

ISA CTEEP (TRPL4)

A ISA CTEEP (TRPL4) o aprovou a realização da 11ª (décima primeira) emissão de debêntures simples, no valor de R$ 950 milhões.

Eldorado Brasil Celulose

A Eldorado Brasil Celulose concluiu a 4ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações,em série única, no valor de R$ 700 milhões.

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.