Criptos hoje

Bitcoin preserva nível crítico em meio a receio de banimento na Europa; Ucrânia pede bloqueio de stablecoins de russos

Com evolução da guerra da Ucrânia no radar, investidores ficam à espera de votação que poderá resultar em banimento da criptomoeda na UE

Por  Paulo Alves, CoinDesk -

Após um fim de semana de queda que levou o Bitcoin (BTC) novamente abaixo dos US$ 38 mil, a criptomoeda se recupera e abre a semana de volta acima de US$ 39 mil, de modo que o suporte (zona com muito interesse de compra) de US$ 37 mil ficou preservado. No radar do investidor está a possibilidade de a moeda digital ser banida da Europa.

Em decisão de última hora, o Parlamento Europeu voltou a adicionar no projeto de regulação de ativos digitais uma proposta que pode proibir o Bitcoin no continente por preocupações com o gasto energético da mineração. A medida, se aprovada, poderia trazer resultados semelhantes ao banimento da criptomoeda na China em maio do ano passado.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Pela proposta, a o bloco passaria a exigir que todos os criptoativos estejam sujeitos aos “padrões mínimos de sustentabilidade ambiental da UE em relação ao mecanismo de consenso usado para validar transações, antes de serem emitidos, oferecidos ou admitidos à negociação na União”.

Para criptomoedas como Bitcoin e Ethereum (ETH), que já são negociadas na UE, a regra propõe um plano gradual de mudança do seu mecanismo de consenso de prova de trabalho para outros métodos que usam menos energia, como a prova de participação.

A matéria irá a votação pelo plenário hoje. Segundo pessoas familiarizadas com as discussões na UE ouvidas pelo CoinDesk, há chances de uma minoria apertada votar pela derrubada desta proposta, mas o resultado segue imprevisível.

“Foi outra semana indecisa e limitada para o Bitcoin e os mercados de criptomoedas, em que a cripto líder de mercado não conseguiu fazer nenhum progresso significativo no lado positivo”, escreveu Joe DiPasquale, CEO da gestora de fundos BitBull Capital.

“A atual ação de preço é típica durante as fases de baixa, como foi visto em maio, junho e julho, e muitas vezes precede fortes quedas de preços”, acrescentou.

  • Assista: Russos estão comprando eletrônicos, carros, Bitcoin e stablecoins para se preparar para inflação, diz brasileiro em Moscou

O mercado também se mantém majoritariamente à espera de um cenário mais favorável na guerra da Ucrânia.

“A oscilação dos preços das criptomoedas perto de um preço que levou a mínimas no mês passado também está relacionada à incerteza sobre as ações militares entre a Rússia e a Ucrânia”, disse DiPasquale. “Assim como os mercados de ações reagiram negativamente, os mercados de criptomoedas fizeram o mesmo.”

O Bitcoin chegou a operar acima dos US$ 40 mil na semana passada após a divulgação do conteúdo de um decreto do presidente dos EUA, Joe Biden, sobre a regulação de criptos. O salto, no entanto, foi breve.

Nesta semana, investidores ficam de olho na decisão do Fomc sobre as taxas de juros da economia americana, cujo anúncio está marcado para na terça-feira (15).

“[A decisão] seria muito interessante para os mercados”, avalia o CEO da BitBull Capital. “A volatilidade é uma certeza, mas se o mercado vai subir ou cair vai depender do que o Fed anunciar”, afirma.

Em termos de análise gráfica, afirma o analista técnico do CoinDesk, Damanick Dantes, o Bitcoin continua preservando o suporte de US$ 37 mil, mas os seguidos testes dessa zona apontam para chances cada vez maiores de queda e início de uma nova tendência de baixa do BTC.

Por outro lado, o especialista aponta que sinais de exaustão de baixa estão começando a aparecer no mercado global de ações, especialmente na Europa e na Ásia. Isso, aponta, abre a possibilidade de um breve short squeeze (subida repentina que liquida posições vendidas) nos ativos especulativos na nesta semana.

A estabilização do Bitcoin na região dos US$ 39 mil abriu novamente caminho para um rali de altcoins. Se o Ethereum (ETH) avança apenas 1% hoje, a criptomoeda Terra (LUNA), nova sensação do mundo cripto, recupera a sétima posição no ranking e registra ganhos de 8%.

Entre os motivos da alta está novamente a forte adoção do protocolo Anchor (ANC), que funciona na blockchain Terra e oferece uma espécie de renda fixa na stablecoin Terra USD (UST). O sucesso do projeto traz até expectativa de alta para o Bitcoin: o fundador do projeto anunciou via Twitter que US$ 10 bilhões do tesouro da empresa serão usados para adquirir Bitcoin.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 7h10:

CriptomoedaPreçoVariação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC)US$ 39.123,86+0,3%
Ethereum (ETH)US$ 2.595,60+0,5%
Binance Coin (BNB)US$ 370,40-0,4%
XRP (XRP)US$ 0,773646-3,2%
Terra (LUNA)US$ 94,38+8,4%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

Terra (LUNA)US$ 94,38+8,4%
THORChain (RUNE)US$ 6,98+24,6%
Zcash (ZEC)US$ 154,16+4,9%
The Graph (GRT)US$ 0,351689+4%
Arweave (AR)US$ 31,34+3,3%

As criptomoedas com as maiores quedas nas últimas 24 horas:

Humans.ai (HEART)US$ 0,050087-37,4%
Chiliz (CHZ)US$ 0,196347-5,6%
Fantom (FTM)US$ 1,12-4,9%
Juno (JUNO)US$ 33,88-4,2%
Gala (GALA)US$ 0,218908-3,7%

Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETFPreçoVariação
Hashdex NCI (HASH11)R$ 34,30-3,65%
Hashdex BTCN (BITH11)R$ 46,94-1,96%
Hashdex Ethereum (ETHE11)R$ 38,00-2,33%
Hashdex DeFi (DEFI11)R$ 36,20-2,42%
QR Bitcoin (QBTC11)R$ 12,56-3,01%
QR Ether (QETH11)R$ 9,42-3,97%
QR DeFi (QDFI11)R$ 6,30-5,26%

Veja as principais notícias do mercado cripto desta segunda-feira (14):

Ucrânia pede bloqueio de transferências de USDT de russos

O vice-primeiro-ministro da Ucrânia, Mykhailo Fedorov, pediu publicamente que a Tether, emissora da principal stablecoin do mercado interrompa todas as negociações com os russos.

A empresa evitou responder diretamente a Fedorov, mas disse, em nota, que “realiza monitoramento constante do mercado para garantir que não haja movimentos ou medidas irregulares que possam violar as sanções internacionais”.

A política parece estar alinhada com as exchanges de criptomoedas, incluindo Coinbase e Kraken, que também recusaram pedidos para cortar todas as contas russas, mas prometeram não permitir qualquer contorno das sanções impostas ao país.

Desde a invasão russa no final de fevereiro, os ucranianos pagam um prêmio alto sobre o valor do dólar americano pela stablecoin Tether USD (USDT), à qual deve estar atrelada a 1:1, na exchange local de criptomoedas Kuna.

Volume de criptos ligadas a crimes quase dobrou em 2021

As transações ilícitas envolvendo criptomoedas quase dobraram no ano passado, quando chegaram a US$ 14 bilhões, contra US$ 7,8 bilhões em 2020, afirma um novo relatório publicado pela plataforma de pesquisa de blockchain e criptomoedas Chainalysis.

Segundo o levantamento, apesar do recorde de valores, o montante representou apenas 0,15% de todas as transações em criptomoedas em 2021.

Desde 2017, aponta a Chainalysis, houve US$ 33 bilhões em criptos lavadas. O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime estima que o equivalente a US$ 800 bilhões a US$ 2 trilhões em criptoativos são lavadas a cada ano, algo semelhante a 5% do PIB global.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe