Celsius Mining

Celsius aposta em mineração de Bitcoin para recuperar prejuízo

Grande parte do plano da Celsius para recuperar suas perdas depende dos lucros futuros projetados de sua subsidiária de mineração, a Celsius Mining

Por  CoinDesk -

A plataforma de empréstimos de criptomoedas Celsius deve mais de US$ 5 bilhões a meio milhão de credores, disseram advogados da empresa durante sua primeira audiência de falência na segunda-feira (18). A plataforma, contudo, está apostando na mineração de Bitcoin (BTC) para recuperar parte do prejuízo.

Segundo a audiência e uma série de documentos judiciais, incluindo uma declaração de 61 páginas do CEO Alex Mashinsky, grande parte do plano da Celsius para recuperar suas perdas depende dos lucros futuros projetados de sua subsidiária de mineração, a Celsius Mining.

Essa filial, contudo, também é devedora. Com isso, os advogados da Celsius pediram ao tribunal que aprove mais de US$ 5 milhões em gastos para concluir a construção do centro de mineração no estado do Texas, nos Estados Unidos, (que deve levar mais dois meses), bem como para pagar impostos sobre plataformas de mineração “atualmente à espera da aprovação de autoridades aduaneiras”.

A advogada do U.S. Trustee Program Shara Cornell expressou suas preocupações sobre a viabilidade da operação de mineração de Celsius. “Há uma empresa de mineração que não acredito que seja operável hoje, mas que custou ao devedor uma quantia considerável. Não estou convencida de que a construção possa ser o melhor caminho para o devedor neste momento”, disse Cornell ao tribunal. “Por que não considerar apenas liquidar a plataforma e seguir em frente?”

Leia mais:
A queda da Celsius: o caminho da plataforma de empréstimos de cripto até a insolvência

Pat Nash, principal advogado da Celsius, disse ao tribunal que a subsidiária de mineração estava minerando aproximadamente 14,2 BTC por dia – e que espera minerar 10.100 BTC em 2022.

“Se tudo correr bem, em 2023 esperamos estar em condições de minerar aproximadamente 15.000 BTC por dia”, disse Nash ao tribunal (Nash presumivelmente quis dizer 15.000 BTC em todo o ano, já que apenas cerca de 900 BTC totais podem ser extraídos por dia).

Por que pode não ser a melhor saída

Mesmo que as promessas da Celsius de minerar 10.100 BTC este ano sejam precisas (algo que é difícil de prever), o total renderia cerca de US$ 225 milhões a preços atuais de mercado – apenas uma fração do que é necessário para tornar a Celsius solvente.

Quando a Celsius começar a pagar seus US$ 5,5 bilhões em passivos – US$ 4,7 bilhões dos quais são de clientes – os usuários da plataforma podem ser os últimos a receber o dinheiro de volta. E até lá, pode não sobrar dinheiro.

“A Celsius preparou o terreno para o conflito entre seus clientes e seus sofisticados investidores institucionais”, disse ao CoinDesk Daniel Gwen, advogado especializado em reestruturação de negócios do escritório Ropes & Gray, com sede em Nova York (EUA).

Relembre o caso

As notícias da crise de liquidez da Celsius surgiram em 12 de junho, quando a empresa anunciou que estava suspendendo todos os saques de clientes, citando “condições extremas de mercado”. A empresa formalmente entrou com pedido de proteção contra falência no Distrito Sul de Nova York (SDNY) na semana passada.

A situação na Celsius não é única: a plataforma de empréstimos de cripto é uma das várias que foram duramente atingidas pelo colapso da blockchain Terra (LUNA), pela insolvência do hedge fund cripto Three Arrows Capital (3AC) e pela atual desaceleração do mercado.

Documentos judiciais mostram um quadro preocupante para os credores da Celsius, a maioria dos quais são investidores pessoas físicas. A empresa tem um enorme buraco de US$ 1,2 bilhão em seu balanço patrimonial – e os depositantes de varejo que mantinham suas criptomoedas em contas na Celsius provavelmente serão os últimos a serem pagos.

O pedido de falência da empresa, também chamado de “falência de reorganização” (espécie de recuperação judicial), interrompe qualquer tentativa de litígio cível dos credores e permite que a empresa tenha tempo para reorganizar suas finanças de forma a pagar suas dívidas.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe