Radar InfoMoney

CBA (CBAV3) levanta R$ 904 mi em follow-on, BC aprova aumento de capital de R$ 4 bi do Bradesco (BBDC4) e mais notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta quinta-feira (7)

Por  Equipe InfoMoney -

O noticiário corporativo desta quinta-feira (07) tem como destaque as estatais. A Eletrobras (ELET3;ELET6) realizará diálogo público para discutir modelo de capitalização da estatal no Tribunal de Contas da União (TCU). Além disso, a elétrica vai receber R$ 1,101 bilhão da CPFL (CPFE3) pela venda da totalidade de sua participação acionária (32,66%) na CEEE-T.

A Petrobras (PETR3;PETR4) confirmou o recebimento indicações do Ministério de Minas e Energia (MME) para presidência do Conselho e presidência executiva.

O Banco Central homologou o aumento de capital da Bradesco (BBDC4), no valor de R$ 4 bilhões, elevando-o de R$ 83,1 bilhões para R$ 87,1 bilhões, com bonificação de 10% em ações.

Já a CBA (CBAV3) movimentou R$ 904,4 milhões em sua oferta restrita de ações.

BRF (BRFS3) e Raízen (RAIZ4) informaram mudanças na alta administração.

Confira os destaques:

Petrobras (PETR3;PETR4)

O Ministério de Minas e Energia informou que consolidou a relação de indicados do acionista controlador para compor o Conselho de Administração da Petrobras, a ter efeito a partir da confirmação pela Assembleia Geral Ordinária, que ocorrerá em 13 de abril de 2022.

A relação apresenta Marcio Andrade Weber para o exercício da Presidência do Conselho de Administração e o José Mauro Ferreira Coelho para a presidência da petroleira.

A pasta mantém demais indicações para o Conselho que serão apresentadas na assembleia do dia 13.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A Eletrobras informou que realizará diálogo público para discutir modelo de capitalização da estatal no TCU –Tribunal de Contas da União, com a participação do CEO da Eletrobras, Rodrigo Limp Nascimento. O evento está previsto para ocorrer hoje, a partir das 9h.

Além disso, a estatal vai receber R$ 1,101 bilhão da CPFL (CPFE3) pela venda da totalidade de sua participação acionária (32,66%) da CEEE-T.

Bradesco (BBDC4)

O Bradesco (BBDC4) comunicou que o Banco Central homologou o aumento de capital do banco, no valor de R$ 4 bilhões, elevando-o de R$ 83,1 bilhões para R$ 87,1 bilhões, com bonificação de 10% em ações.

Serão beneficiados os acionistas que estiverem inscritos nos registros do banco em 18 de abril. As ações oriundas da bonificação serão incorporadas à posição dos acionistas em 22 de abril, estando disponíveis em 25 de abril.

CBA (CBAV3)

A CBA (CBAV3) informou que foi fixado, nesta quarta-feira (6) pelo Conselho de Administração da acionista vendedora, o preço por ação de R$ 19,00, totalizando a  oferta restrita no valor de R$ 904,4 milhões, mediante a alienação de 47.600.000 ações, sem considerar a eventual colocação das ações suplementares.

BB Seguridade (BBSE3

A BB Seguridade (BBSE3) comunicou que a Brasilcap Capitalização,empresa investida da seguradora que opera no segmento de títulos de capitalização, celebrou um acordo de 10 anos com o Correios, para distribuição de títulos de capitalização na modalidade popular.

Segundo comunicado, a parceria adiciona um balcão de vendas com abrangência nacional à rede que comercializa os produtos do Grupo BB Seguros, em linha com a estratégia de ampliação e diversificação de canais.

BRF (BRFS3)

A BRF (BRFS3) anunciou que seu atual CFO, Carlos Moura, e o vice-presidente de operações brasileiras, Sidney Manzaro, estão deixando a empresa.

De acordo com o fato relevante, Fabio Mariano foi indicado como novo CFO da empresa, com a nomeação prevista para 11 de abril. 

Já Manoel Martins, Diretor Comercial da BRF, assumirá o cargo de VP da operação brasileira, em substituição a Manzaro. 

Raízen (RAIZ4)

A Raízen (RAIZ4) comunicou que o conselho de administração indicou Carlos Moura como diretor financeiro e de RI da empresa a partir de 1º de junho.

Eneva (ENEV3)

A Eneva informou que a Parnaíba II Geração de Energia, sociedade controlada pela companhia, adquiriu em ambiente de bolsa, a preço de mercado, o total de 5.589.000 ações ordinárias de emissão da companhia.

As ações adquiridas serão utilizadas para fazer frente às obrigações da companhia decorrentes dos planos e programas de incentivo de longo prazo baseados em ações, dirigido aos administradores e empregados da companhia e de suas  sociedades controladas.

Priner (PRNR3)

A Priner registrou receita bruta de R$ 141,3 milhões no primeiro trimestre de 2022 (1T22), contra R$ 85,3 milhões do mesmo período de 2021.

A quantidade de funcionários passou de 2.508 no 1T21 para 3.958 no 1T22.

O valor aproximado dos novos contratos celebrados com a companhia no trimestre foi de R$ 109,8 milhões, dos quais os principais foram firmados com os seguintes clientes, listados em  ordem  alfabética: Andritz, Bracell,  Braskem,  Danone, Estaleiro  Jurong, GranIHC, MODEC, Petrobras e Yara.

Movida (MOVI3)

A Movida (MOVI3) pediu registro da oferta pública de distribuição da 8ª emissão de  debêntures simples, não conversíveis em ações, em até 2 séries, no valor de R$ 1 bilhão.

Multilaser (MLAS3)

A Multilaser (MLAS3) comunicou que Ricardo Rosanova Garcia renunciou ao cargo de diretor de RI da companhia. Para substituir o executivo, o conselho de administração elegeu para o posto Juliane Lopes Chitolina Goulart, que atuou na área por dez anos na JBS (JBSS3). Além de Garcia, o diretor financeiro da empresa, Eder da Silva Grande, também renunciou ao cargo, para o qual foi eleito Leonardo Tavares Dib.

Hidrovias do Brasil (HBSA3)

Após notícias sobre a venda, pela Vale (VALE3), da totalidade das ações de emissão da Mineração Corumbaense Reunida, a companhia esclareceu que, em consonância com o comunicado divulgado em 4 de abril, o closing da operação de venda ainda não ocorreu e está sujeito ao cumprimento de determinadas condições.

Bahema Educação (BAHI3)

Bahema Educação (BAHI3) comunicou que JV Educação, representado pela gestora Mintpar, passa a deter participação acionária de 31,5% do capital social da empresa, com 7,5 milhões de papéis.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe