5 assuntos

Bolsas em leve alta, PEC dos precatórios, início do leilão do 5G e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

Confira os 5 assuntos mais relevantes para ficar de olho nesta quinta-feira (4/11/2021)

Por  Equipe InfoMoney -

SÃO PAULO – As bolsas mundiais registram ganhos nesta quinta-feira (4), tendo ainda no radar a decisão do Federal Reserve da tarde da véspera. Foi anunciado o início da redução do programa de compra de títulos, mas há sinalizações de manutenção das taxas de juros baixas nos EUA por um longo tempo.

O noticiário no Brasil é movimentado, com atenção à aprovação em primeiro turno da PEC dos Precatórios pelo plenário da Câmara durante a madrugada, abrindo espaço para R$ 91,6 bilhões no orçamento de 2022. A medida ainda precisa ser aprovada em segundo turno antes de ir para o Senado.

No radar corporativo, atenção ainda para o leilão do 5G, repercussão de resultados de blue chips como Itaú, Cielo, GPA e Ultrapar, enquanto a agenda econômica conta ainda com os dados da produção industrial de setembro. Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros americanos operam perto da estabilidade nesta quinta-feira (4) pela manhã.

Na quarta, o índices fecharam em patamares recordes, após o Federal Reserve afirmar que desacelerará até o final de novembro o ritmo de seu programa de compra de títulos iniciado em março de 2020 como resposta à crise gerada pela pandemia, e que atualmente está em US$ 120 bilhões mensais. O banco central americano sinaliza, desta forma, que acredita que a economia dos EUA já pode lidar com menos estímulos.

Na quarta, o Dow avançou 105 pontos, em sua quinta sessão positiva consecutiva; o S&P avançou 0,65%, também em sua quinta sessão consecutiva; e o Nasdaq ganhou 1,04%, em seu oitavo dia de ganhos.

A redução no ritmo de compra de títulos pelo Fed foi sinalizada em US$ 15 bilhões por mês, o que indica que a medida poderá ser extinta até meados de 2022. O Fed reiterou, no entanto, que se mantém flexível, e que esse ritmo poderá ser alterado. O banco central americano disse que o movimento ocorre “sob a luz do progresso substancial que a economia realizou rumo às metas do Comitê desde dezembro”.

Entre as empresas que divulgam resultados trimestrais nesta quarta antes da abertura do mercado estão Toyota Motors e Kellogs. Depois do fechamento, Airbnb, Square e Uber.

Ásia

As bolsas asiáticas tiveram em sua maioria altas na quinta-feira após o anúncio do Fed sobre o seu programa de compra de títulos. Os preços do petróleo têm alta após a forte queda da véspera, e os do minério de ferro avançam.

Europa

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, avança 0,5%, também na esteira do otimismo com o anúncio do Fed, com destaque positivo para o setor de saúde e negativo para o de construção e materiais.

Resultados trimestrais divulgados pelo banco Credit Suisse superaram as estimativas do mercado. Mas os papéis sofreram em meio a condenações por corrupção em Moçambique e outras questões legais. O banco também afirmou que espera informar prejuízo líquido no último trimestre de 2021 e reduzir suas operações em investment banking.

Veja os principais indicadores às 7h20 (horário de Brasília):

Estados Unidos

Dow Jones Futuro (EUA), -0,07%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,08%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,39%

Europa

*FTSE 100 (Reino Unido), +0,27%
*Dax (Alemanha), +0,35%
*CAC 40 (França), +0,39%
*FTSE MIB (Itália), +0,33%

Ásia

*Shanghai SE (China), +0,93% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,8% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,25% (fechado)

Commodities e Bitcoin

*Petróleo WTI, +1,17%, a US$ 81,81 o barril
*Petróleo Brent, +1,45, a US$ 83,18 o barril
*Bitcoin, -2,53% a US$ 61.780,84
*Sobre o minério de ferro: **O minério negociado na bolsa de Dalian teve alta de 0,34%, a 582,5 iuanes, o equivalente a US$ 91,03

2. Agenda

Reino Unido

9h: Reunião de política monetária do Banco da Inglaterra
11h15: Pronunciamento de Andrew Bailey, do Banco da Inglaterra

Brasil

9h: Produção industrial relativa a setembro, com consenso Refinitiv de queda de 0,3% ante agosto e de 4% na base anual
10h: Índices do Gerente de Compras (PMI em inglês) Markit composto e do setor de serviços relativos a outubro
10h: Anatel realiza leilão do 5G, com a participação de 15 empresas, entre elas Vivo, TIM e Claro. O resultado do leilão, porém, deve sair na sexta (5)

Estados Unidos

9h30: Pedidos de seguro-desemprego, com projeção Refinitiv de 275 mil pedidos
9h30: Balança comercial relativa a setembro

Zona do Euro

10h: Discurso de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE)
11h: Discurso de Frank Elderson, do BCE
15h15: Isabel Schnabel, do BCE, realiza um pronunciamento

Alemanha

14h: Johannes Beerman, do Banco da Alemanha, realiza um discurso

3. Covid

Na quarta (3), a média móvel de mortes por Covid em 7 dias no Brasil ficou em 225, queda de 38% em comparação com o patamar de 14 dias antes, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa, às 20h. Em apenas um dia, foram registradas 186 mortes.

A média móvel de novos casos em sete dias foi de 9.894, o que representa queda de 19% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 15.863 casos.

No total, chegou a 154.815.346 o número de pessoas que receberam a primeira dose da vacina contra a Covid no Brasil, o equivalente a 72,58% da população.

A segunda dose ou a vacina de dose única foi aplicada em 116.887.209 pessoas, ou 54,79% da população. A dose de reforço foi aplicada em 8.882.537 pessoas, ou 4,16% da população.

4. Precatórios, transferência de renda, 5G, empregos formais e vaga no STF

A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira, em primeiro turno, o texto base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que já havia passado por comissão especial. O placar foi de 312 votos a 144. A proposta permite ao governo protelar o pagamento de precatórios prestes a vencer, e abre espaço fiscal de R$ 91,6 bilhões no Orçamento em 2022.

A PEC ainda precisa passar por um segundo turno de votação antes de ir ao Senado. Caso seja aprovada, pode abrir espaço para o governo Bolsonaro pagar o programa de transferência de renda Auxílio Brasil no valor de R$ 400, substituindo o Bolsa Família.

Para elevar o quórum de deputados, que era uma preocupação central em torno da votação, a Mesa Diretora da Câmara editou um ato permitindo o voto remoto de parlamentares em “missão autorizada” pela Casa.

Precatórios são títulos de dívidas que o governo tem que pagar a pessoas físicas e empresas por conta de decisões judiciais definitivas. O Orçamento de 2021 prevê o pagamento de R$ 54,7 bilhões em Precatórios, e o de 2022, sem a aprovação da PEC, de R$ 89 bilhões.

O texto aprovado em primeiro turno na Câmara permite ao governo adiar o pagamento de parte dos precatórios devidos em 2022. Esta mudança traria folga de R$ 54,6 bilhões em 2022, segundo cálculos do Tesouro.

O documento também altera a regra do teto de gastos, o mecanismo aprovado durante o governo de Michel Temer que limita a despesa pública ao Orçamento do ano anterior corrigido pela inflação. O texto prevê que este novo limite deixe de ser determinado pela inflação de 12 meses encerrados em junho do ano anterior, e passe a ser calculado pela taxa de 12 meses encerrados em dezembro do ano anterior. A mudança contábil traria folga de R$ 47 bilhões em 2022.

Da folga de R$ 91,6 bilhões, R$ 50 bilhões se somariam aos R$ 34 bilhões que já são previstos para o Auxílio Brasil. Outros R$ 24 bilhões seriam gastos com benefícios previdenciários. Por conta de regras orçamentárias previstas na legislação sobre o teto de gastos, haveria aumento de R$ 3,9 bilhões nos recursos destinados à Saúde, R$ 1,8 bilhão para a Educação e R$ 300 milhões para emendas individuais de parlamentares. Sobrariam R$ 10 bilhões sem destino definido no momento.

Caso o governo não obtenha a aprovação da PEC dos Precatórios no Congresso, uma possibilidade em estudo é abrir créditos extraordinários visando bancar a extensão do auxílio emergencial estabelecido durante a pandemia, ou parte do Auxílio Brasil em 2022. Para tanto, no entanto, seria necessário publicar um novo decreto de calamidade pública, algo que não se justifica no momento atual da pandemia, na avaliação do Tesouro.

Reportagem com chamada de capa na Folha de S. Paulo informa que a Comissão de Precatórios da OAB Nacional avalia que a PEC dos Precatórios fere duas cláusulas pétreas da Constituição e reúne mais de 30 violações constitucionais. Por isso, a entidade prevê que a regra seja derrubada, o que poderia, no entanto, levar anos, mantendo espaço para que o governo execute suas políticas.

Leilão do 5G

A Anatel realiza nesta quinta-feira o leilão da quinta geração da rede móvel (5G), que deve ser o maior de sua história. Serão ofertados 3.710 megahertz (MHz), superior à disponibilidade atual de rede das operadoras de telefonia no país somadas. Há 15 empresas na disputa, que poderá movimentar R$ 49,7 bilhões, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.
A nova tecnologia promete velocidades até 20 vezes superiores às atuais, e deverá beneficiar primeiramente grandes centros urbanos, com acesso até julho de 2022. O tempo para outros municípios pode ser de até oito anos. O governo estima que o 5G gere US$ 1,2 trilhão em investimentos nos próximos 20 anos.

Vaga no STF

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), anunciou na quarta-feira a definição de um período de esforço concentrado de votações de autoridades que precisam ser sabatinadas pela Casa no plenário. O período será dos dias 30 de novembro, 1º e 2 de dezembro.

Pacheco pediu que, até lá, os presidentes das comissões realizem as sabatinas de todas as indicações encaminhadas pelo Executivo.

A iniciativa tem por objetivo resolver o impasse de indicações que estão em comissões, mas não avançam nos colegiados.
A principal delas é a indicação pelo presidente Jair Bolsonaro do ex-ministro André Mendonça, que espera há mais de três meses análise pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM-AP), resiste em colocar a indicação de Mendonça em votação.

Na prática, a medida de Pacheco abre margem para que, caso a CCJ não analise e vote a indicação até o período de esforço concentrado, o plenário possa apreciar a indicação diretamente.

5. Radar corporativo

A temporada de resultados segue dominando o noticiário corporativo, com a repercussão dos números do Itaú, Cielo, Ultrapar, GPA, PetroRio, entre outros. Já nesta quinta, são divulgados os balanços de Bradesco, Tenda, Minerva, JHSF, Eneva, entre outras companhias.

Itaú Unibanco (ITUB4)

O Itaú Unibanco (ITUB4) registrou lucro líquido gerencial recorrente de R$ 6,779 bilhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 34,8% na comparação anual e de 3,6% frente ao segundo trimestre.

A projeção, segundo consenso Refinitiv, era de que o Itaú registrasse um lucro de R$ 6,73 bilhões no período, alta de 2,9% na comparação com o segundo trimestre.

O lucro líquido contábil do banco, por sua vez, ficou em R$ 5,780 bilhões, uma alta de 28,7% em um ano, mas 23,5% menor na comparação com o segundo trimestre.

Já o retorno recorrente sobre o patrimônio líquido (indicador que mede como os bancos investem os recursos de seus acionistas, chamado de ROE) foi de 19,7%, alta de 4 pontos percentuais ante o terceiro trimestre de 2020 (15,7%) e leve melhora de 0,8 ponto porcentual sobre o período entre abril e junho deste ano.

CSN (CSNA3)

A CSN (CSNA3) registrou um lucro líquido de R$ 1,325 bilhão no 3º trimestre deste ano, uma retração de 5% na comparação com o mesmo período de 2020.

Em comparação com o 2º trimestre, porém, a perda foi maior e atingiu uma queda de 76%, quando somou R$ 5,513 bilhões. Nessa comparação, a CSN diz que a piora operacional veio, especialmente, do segmento de mineração.

CSN Mineração (CMIN3)

A CSN Mineração (CMIN3) registrou retração de 45% no lucro líquido do terceiro trimestre, que somou R$ 804 milhões.

De acordo com a empresa, a queda poderia ainda ser maior, se não fossem os efeitos positivos do hedge e da variação cambial.

GPA (PCAR3)

O GPA (PCAR3) registrou um prejuízo líquido dos controladores de R$ 88 milhões no 3º trimestre, uma piora de 39,6% frente às perdas líquidas de R$ 63 milhões de um ano antes.

O prejuízo líquido consolidado foi de R$ 38 milhões, contra lucro líquido de R$ 428 milhões no 3T20. É um recuo de 108,9%.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 794 milhões, queda de 15,9%.

Cielo (CIEL3)

A Cielo (CIEL3) reportou um lucro líquido de R$ 211,9 milhões no balanço do terceiro trimestre deste ano, um desempenho 111% acima do reportado um ano antes, de R$ 100,4 milhões.

Segundo a empresa, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) consolidado totalizou R$ 692,8 milhões, um aumento de 44,3% sobre o mesmo trimestre de 2020. A receita líquida consolidada totalizou R$ 3,009 bilhões, acréscimo de 4,4% em relação ao 3º trimestre de 2020, enquanto o volume financeiro de transações totalizou R$ 179,8 bilhões, alta de 8,5%.

Além disso, a empresa concluiu a venda de sua subsidiária integral Multidisplay para a Bemobi (BMOB3), após o cumprimento das condições precedentes e a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Segundo a empresa, a realização da Operação “reforça a estratégia da Companhia de concentrar o foco em suas competências centrais. A venda foi pelo valor total de até R$ 185 milhões, segundo informou em 13 de agosto.

XP Inc. (XPBR31)

A XP Inc. (XPBR31) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 1,039 bilhão no terceiro trimestre de 2021, alta de 82% na comparação com mesmo período do ano passado, quando lucrou R$ 570 milhões, e de 1% frente os R$ 1,034 bilhão registrados no segundo trimestre de 2021.

A receita bruta foi de R$ 3,368 bilhões no terceiro trimestre de 2021, ante R$ 2,245 bilhões do mesmo trimestre de 2020, alta de 50%. Na comparação com abril e junho de 2021, quando a receita bruta foi de R$ 3,2 bilhões, a alta foi de 5%. A receita líquida totalizou R$ 3,171 bilhões, em uma alta de 51% na base anual e de 5% frente o segundo trimestre deste ano.

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado registrou avanço para R$ 1,17 bilhão no trimestre, um valor 61% maior em relação aos R$ 728 milhões registrados nos meses entre julho e setembro de 2020. Frente os R$ 1,245 bilhão registrados entre janeiro e março de 2021, houve uma queda de 6%.

Ultrapar (UGPA3)

A Ultrapar (UGPA3) registrou um lucro líquido de R$ 374,3 milhões no balanço do 3º trimestre, um desempenho 36% superior em relação ao mesmo período do ano passado, quando somou R$ 277,3 milhões.

Já o lucro líquido recorrente – que não inclui os efeitos do impairment da Extrafarma de R$ 395 milhões no segundo trimestre e da reversão de IR sobre a correção SELIC de créditos tributários de R$ 196 milhões no terceiro trimestre – somou R$ 178 milhões, neste critério uma retração de 36% em um ano.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado e recorrente somou R$ 1,017 bilhão, queda de 2% frente aos R$ 1,038 bilhão de um ano antes.

Copasa (CSMG3)

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, a Copasa (CSMG3), reportou um lucro líquido de R$ R$ 16,369 milhões no terceiro trimestre deste ano, cifra 93,2% inferior a reportada um ano antes, de R$ 240,543 milhões.

Segundo a Copasa, o resultado foi impactado pelas provisões realizadas em decorrência das devoluções determinadas pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio (PRIO3) apresentou no terceiro trimestre deste ano um lucro líquido de R$ 125,159 milhões, revertendo prejuízo líquido de R$ 117,738 milhões do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o resultado foi impactado pela expansão da receita, como “reflexo do aumento nas vendas e do crescimento do preço do Brent”, referência internacional do barril de petróleo, que atingiu uma média de US$ 73,23 por barril no período analisado. “É o maior patamar do Brent dos últimos três anos”, acrescentou.

Unidas (LCAM3)

A Unidas (LCAM3) divulgou lucro líquido recorrente 116,5% maior no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado, somando R$ 267,269 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ficou em R$ 636,024 milhões, crescimento de 72,5%, com uma margem de 75,4%, 11,8 pontos percentuais acima do mesmo trimestre de 2020.

O destaque é para a recuperação da margem dos itens Aluguel de Carros e Seminovos que, por mais um trimestre consecutivo, apresentaram nível recorde.

Arezzo (ARZZ3)

A Arezzo (ARZZ3) reportou um lucro líquido de R$ 81,8 milhões no terceiro trimestre, um avanço de 192,6% – de quase três vezes –, frente aos ganhos de R$ 27,947 milhões do mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o resultado foi impactado positivamente pela performance operacional da Arezzao&Co e pela incorporação da AR&CO, mas negativamente pelo aumento das despesas financeiras, resultante da maior alavancagem.

A Arezzo (ARZZ3) esclareceu que, em atenção às notícias veiculadas na mídia sobre uma possível compra do Grupo Soma, não assinou qualquer proposta de negócio junto ao referido grupo.

Segundo o jornal Valor, um eventual negócio se daria em boa parte por troca de ações com fração menor em caixa, numa movimentação ousada considerando que o Grupo Soma é maior em bolsa do que a proponente. Arezzo vale R$ 7,7 bilhões e Soma é avaliado em R$ 11,25 bilhões.

AES Brasil (AESB3)

A AES Brasil (AESB3) reportou um lucro líquido de R$ 430,8 milhões no terceiro trimestre de 2021, cifra mais de oito vezes superior ao registrado em igual etapa de 2020.

Rede D’Or São Luiz (RDOR3)

A Rede D’Or São Luiz (RDOR3) reportou lucro líquido de R$ 378,1 milhões no terceiro trimestre de 2021, crescimento de 8,2% na comparação anual.

A Rede D’Or também informou que assinou contrato para compra integral do Hospital Arthur Ramos, em Maceió, por R$ 371 milhões.

Cosan (CSAN3)

A Cosan (CSAN3) concluiu a aquisição das ações adicionais do Grupo Radar, após o pagamento da primeira parcela de R$ 602 milhões.

O restante será pago em três parcelas anuais até o ano de 2024.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Aprenda a transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

Compartilhe