Bitcoin amplia rali, sobe pelo sexto dia seguido e passa dos US$ 44 mil

Ethereum, Dogecoin e as principais altcoins também operam em alta hoje

Lucas Gabriel Marins

Publicidade

O Bitcoin (BTC) sobe pelo sexto dia seguido em meio a apostas de uma política monetária mais frouxa do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos) e ao avanço de produtos financeiros com exposição direta à criptomoeda.

Por volta das 8h desta quarta-feira (6), o ativo opera em alta de 6,20%, a US$ 44.209, somando cerca de 15% de valorização na semana. Ontem, a moeda bateu em US$ 44.408, o preço mais alto desde abril de 2022. Sua recuperação em 2023 em relação ao ano passado, marcado por quedas e falências de importantes players, agora é de 163%.

Com a alta, o BTC está se aproximando de uma barreira psicológica importante em torno dos US$ 45 mil, disse Gustavo Faria, cofundador e analista líder da casa de research Nosy. Esse patamar, falou, representa a base de custo dos investidores que adquiriram Bitcoin há dois ou três anos, que atualmente detêm cerca de 16% do fornecimento do criptoativo.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Uma distribuição ativa por parte deste grupo pode gerar uma correção nos preços, amplificada por liquidações no mercado futuro. Esse cenário torna a região dos US$ 45 mil especialmente sensível a flutuações. Um monitoramento atento do fluxo de Bitcoins para exchanges por parte destes detentores de 2 a 3 anos é crucial”.

Grande parte da recuperação do BTC está atrelada à perspectiva de os EUA permitirem seus primeiros ETFs (fundos de índice) de Bitcoin, abrindo caminho para uma base de investidores mais ampla. As gestoras BlackRock e Fidelity Investments estão entre aquelas que aguardam o resultado de seus pedidos, com alguns analistas esperando luz verde até janeiro.

Mas o hype do ETF tem assombrado o Bitcoin desde junho, quando os gestores de ativos começaram a buscar aprovação para lançar os fundos. Isso está levando alguns a perguntar se o aumento da cripto está atraindo agora mais apoio das apostas em cortes de juros do Fed no próximo ano.

Continua depois da publicidade

“Sem dúvida a história da precificação do ETF já acabou?”, disse Tony Sycamore, analista de mercado da IG Australia Pty, para a Bloomberg. A alta volatilidade e o aumento “movido a jato” do Bitcoin é, em vez disso, um lembrete de que o mercado cripto é “mais responsivo a mudanças e políticas do Fed do que outras classes de ativos”, disse ele.

Leia também: 

Outro catalisador da moeda é o chamado halving, uma mudança tecnológica em seu sistema que reduzirá pela metade a quantidade de tokens que os mineradores de Bitcoin recebem como recompensa por seu trabalho. O evento quadrienal, previsto para ocorrer em abril de 2024, faz parte do processo de limitar o fornecimento de Bitcoin em 21 milhões de unidades. A moeda bateu recordes após as últimas três metades.

As principais altcoins também operam em alta nesta quarta. O Ethereum (ETH) sobe 3,80%, a Solana avança (SOL) 9% e a memecoin Dogecoin (DOGE) dispara 17,40% no dia.

Repercussão

O clima geral de alta repercutiu nas ações de companhias do setor e no Tesouro de países que compraram BTC. Em Abu Dhabi, o varejista de hardware de mineração de criptomoedas Phoenix Group saltou 35% em sua estreia na terça-feira (5). O negócio é a primeira listagem relacionada à cripto no Oriente Médio.

Em El Salvador, o presidente Nayib Bukele disse em uma postagem no X nesta semana que os investimentos do país em Bitcoin se tornaram lucrativos. Ele está concorrendo à reeleição depois de deixar o cargo na semana passada.

“Atualmente, fatores micro e macro estão se alinhando para o Bitcoin”, disse Zach Pandl, diretor-gerente de pesquisa da provedora de fundos cripto Grayscale, para a Bloomberg.

Confira o desempenho das principais criptomoedas às 8h:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Bitcoin (BTC) US$ 44.209 +6,20%
Ethereum (ETH) US$ 2.286 +3,80%
BNB Chain (BNB) US$ 233 +1,40%
XRP (XRP) US$ 0,632967 +3,40%
Cardano (ADA) US$ 0,434006 +8,50%

As criptomoedas com as maiores altas nas últimas 24 horas:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
BitTorrent (BTT)  US$ 0,000000722813 +47,70%
Beam (BEAM) US$ 0,01463063 +20,00%
Avalanche (AVAX) US$ 25,97 +17,60%
Dogecoin (DOGE) US$ 0,103588 +17,40%
Celestia (TIA) US$ 9,78 +15,70%

As criptomoedas com as maiores baixas nas últimas 24 horas:

Criptomoeda Preço Variação nas últimas 24 horas
Terra (LUNC) US$ 0,00020860 -11,80%
Terra (LUNA) US$ 1,05 -7,70%
ORDI (ORDI) US$ 46,06 -7,50%
Conflux (CFX) US$ 0,195712 -6,90%
IOTA (IOTA) US$ 0,297421 -6,60%


Confira como fecharam os ETFs de criptomoedas no último pregão:

ETF Preço Variação
Hashdex NCI (HASH11) R$ 33,50 +3,97%
Hashdex BTCN (BITH11) R$ 50,74 +5,11%
Hashdex Ethereum (ETHE11) R$ 32,94 +1,47%
Hashdex DeFi (DEFI11) R$ 22,80 -6,90%
Hashdex Smart Contract Plataform FI (WEB311) R$ 21,00 +3,19%
Hasdex Crypto Metaverse (META11) R$ 29,00 -0,03%
QR Bitcoin (QBTC11) R$ 13,49 +5,30%
QR Ether (QETH11) R$ 8,46 -0,58%
QR DeFi (QDFI11) R$ 3,40 +1,49%
Cripto20 EMPCI (CRPT11) R$ 9,37 +5,99%
Investo NFTSCI (NFTS11) R$ 10,42 +3,78%
Investo BLOKCI (BLOK11) R$ 111,54 +1,28%

(Com informações da Bloomberg)

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do InfoMoney