Indo às compras

Ação do IRB sobe até 9% com notícia de que Berkshire Hathaway comprou papéis da empresa

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a empresa de Warren Buffett aproveitou a queda das ações da resseguradora e elevou sua participação na companhia

(Crédito: Shutterstock)

Atualização do dia 3/3/2020: Berkshire Hathaway, de Buffett, nega ter ações do IRB Brasil

SÃO PAULO – Após chegarem a acumular queda de 30% este ano, as ações do IRB Brasil Re (IRBR3) dispararam até 9% nesta quinta-feira (27) com os investidores reagindo a uma notícia do jornal O Estado de S. Paulo de que a Berkshire Hathaway, do megainvestidor Warren Buffett, teria triplicado sua posição na resseguradora.

De acordo com a publicação, as compras teriam ocorrido entre os dias 6 e 18 deste mês, após as ações da companhia brasileira terem caído forte por conta de duas cartas publicadas pela gestora Squadra questionando as práticas contábeis realizadas pela resseguradora.

PUBLICIDADE

A gestora teria enxergado indícios que apontam para lucros normalizados (recorrentes) significativamente inferiores aos lucros contábeis reportados nas demonstrações financeiras do IRB, segundo o jornal.

O Estadão aponta ainda que, segundo relatório anual divulgado no início da semana, a Berkshire agora detém uma fatia de cerca de R$ 900 milhões (ou US$ 200 milhões) no IRB. Além disso, o jornal diz que o fundo de ações Dunamis Master, do Itaú, e o fundo soberano de Cingapura, aumentaram suas participações na resseguradora na mesma proporção.

Nem a empresa e nem a Berkshire confirmaram a informação. As ações do IRB perderam um pouco de força após subirem 9,31% na máxima do dia, fechando o pregão com ganhos de 6,66%, enquanto o Ibovespa registrou queda de 2,6%. Mesmo com essa alta, as ações da resseguradora ainda acumulam perdas de 23% nos últimos 30 dias.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações