Bank of America diz que criptomoedas continuam atuando como ativos de risco

Em relatório divulgado na semana passada, o banco americano disse esperar que a clareza regulatória apoie a adoção de finanças descentralizadas (DeFi)

CoinDesk

Publicidade

As criptomoedas continuam a atuar como ativos de risco, caindo à medida que as taxas de juros globais aumentam, disse o Bank of America em um relatório divulgado na sexta-feira (23).

Ainda assim, sinais positivos de uma eventual recuperação incluem aportes em stablecoin, um tipo de criptomoeda cujo valor está atrelado a outro ativo, como o dólar ou o ouro.

Na semana passada, esses investimentos saltaram para US$ 490 milhões, quase 60% a mais do que na semana anterior, segundo o relatório, à medida que “casos de uso do mundo real, como pagamentos/remessas, são adotados e provedores de dados como redes oracle descentralizadas, aumentam suas funcionalidades”.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

As quatro maiores stablecoins viram entradas líquidas (aportes menos resgates) de exchanges pela terceira semana consecutiva. De acordo com o BofA, grandes entradas de Binance USD (BUSD) e saídas de USD Coin (USDC) podem ser o resultado de investidores “migrando preventivamente” para evitar interrupções após a decisão da Binance de converter automaticamente algumas stablecoins em sua própria moeda.

Leia mais:
Mineradores de Ethereum ainda têm US$ 319 milhões em ETH nos cofres; o que acontece se eles forem liquidados?

O Bank of America espera que a clareza regulatória apoie a adoção de finanças descentralizadas (DeFi), isto é, atividades financeiras realizadas em uma blockchain sem o uso de intermediários tradicionais.

Continua depois da publicidade

No caso do Ethereum (ETH), após o salto no preço visto entre meados de julho até agosto, o movimento de queda continua com investidores digerindo a mudança da blockchain para o consenso de prova de participação (PoS), que não corrige preocupações de escalabilidade nem altas taxas. Com isso, esses investidores têm mudadao para uma “abordagem de esperar para ver” em relação a futuras atualizações, escreve o BofA.

A transição da prova de trabalho (PoW) para um mecanismo de PoS, com maior eficiência energética, chamada de “Merge” (ou “Fusão”, em português), é a primeira de cinco atualizações para a blockchain Ethereum.

CoinDesk

CoinDesk é a plataforma de conteúdos e informações sobre criptomoedas mais influente do mundo, e agora parceira exclusiva do InfoMoney no Brasil: twitter.com/CoinDeskBrasil