Cripto+

As criptomoedas que todo investidor deveria estar acumulando agora

Veja detalhes de projetos escolhidos pelo especialista Vinícius Terranova para acumular visando valorização exponencial nos próximos meses

Por  Equipe InfoMoney -

Analistas ainda não entraram em consenso sobre se o pior do “inverno cripto” já passou ou não, mas a maioria dos especialistas concorda em ao menos uma coisa: durante o momento de baixa atual, investidores que miram no médio e longo prazo têm uma janela de oportunidade para acumular criptos de projetos sólidos que podem explodir em valorização assim que o Bitcoin (BTC) resolver disparar outra vez.

Seguindo essa cartilha, o trader e investidor anjo Vinícius Terranova abriu sua carteira de investimento em criptomoedas mirando o próximo ciclo de alta dessa classe de ativos, durante participação ontem no Cripto+.

A lista completa tem 11 ativos, distribuídos entre projetos de finanças descentralizadas (DeFi), blockchains de primeira camada (que funcionam de forma independente) e de segunda camada (que dependem de outras para operar). Confira os cinco principais no vídeo acima – dois deles você conhece a seguir.

Optimism (OP)

A Optimism (OP) é uma solução de segunda camada do Ethereum (ETH) que acelera transações a um baixo custo. Usa a tecnologia de rollups, que permite processar operações fora da rede principal sem abandonar a segurança do Ethereum, e tem a vantagem de poder rodar qualquer app feito para ele sem adaptação no código.

Também elogiada por oferecer ferramentas fáceis de usar, a Optimism lançou um airdrop (distribuição gratuita) de tokens OP recentemente.

Como valoriza?

Assim como no Ethereum, usuários pagam para processar transações na rede, só que tokens OP. Elas mais baixas, mas a expectativa é que, com custo menor, mais usuários sejam atraídos e o volume possa crescer a ponto de ajudar na valorização do token.

Por que comprar agora?

Apesar de o Ethereum trazer expectativa de melhoria depois da atualização “Merge” (Fusão), marcada para setembro, suas taxas ainda não devem ser muito reduzidas. Ou seja, a demanda por uma solução mais barata para usar DeFi e NFTs, por exemplo, deve continuar.

Em maio, a Binance anunciou suporte à rede Optimism, o que significa que em breve será possível fazer depósitos e saques mais rápidos e baratos de Ethereum e outros tokens ERC-20 compatíveis. Além disso, a cripto disparou depois do airdrop, sinalizando que a maioria dos usuários que receberam a cripto de graça acredita que o preço ainda está muito baixo para vender agora.

Diante disso, a expectativa é que a Optimism traga muitos usuários quando mercado voltar, o que deve impactar no preço do ativo. Hoje, a solução tem valor de mercado de cerca de US$ 333 milhões, bem abaixo dos US$ 6,5 bilhões do concorrente Polygon (MATIC).

Curve (CRV)

O CRV é o token que dá poder de voto sobre mudanças no Curve Finance, um aplicativo descentralizado (app DeFi) que opera como um AMM (Automated Market Maker, ou Criador de Mercado Automatizado) que roda no Ethereum e permite que traders troquem criptos sem intermediários.

Começou com foco em stablecoins, mas também oferece swaps (trocas) de Ethereum e Bitcoin. Para permitir esses swaps, a Curve usa pools, tanques virtuais de criptomoedas que dão liquidez às transações.

Para manter o pool com a maior quantidade de criptos possível e garantir alta liquidez (quanto maior a liquidez, menores são as perdas para executar transações), a Curve oferece um rendimento para quem topa depositar suas criptos nos pools.

Os percentuais de retorno variam. No dia 2 de agosto, está em 4,82% anuais. Mas, além disso, a plataforma oferece rendimentos extras usando tokens Curve e MATIC (a Curve também roda na Polygon).

Como valoriza?

A valorização do token Curve está ligada à expectativa de sucesso da plataforma no longo prazo, tese que é reforçada pela solidez do projeto até aqui. Ele existe desde janeiro de 2020, roda em várias blockchains (além de Polygon, está disponível em Solana, Fantom e xDAI) e se manteve financeiramente saudável mesmo depois do colapso da Terra (LUNA).

Segundo dados da própria plataforma, ela registra ganhos diários médios de US$ 88.743 e semanais de US$ 621.201. Seu volume semanal, incluindo depósitos e saques, supera os US$ 3,1 bilhões.

Por que comprar agora?

Em meio ao “inverno cripto”, a Curve despencou de preço e ainda está cerca de 90% abaixo de sua máxima história. Dada sua resiliência nesse período de crise, é um projeto com forte potencial para alcançar de volta seu preço máximo – para isso, o CRV teria que subir na casa dos 500%.

Até onde as criptomoedas vão chegar? Qual a melhor forma de comprá-las? Nós preparamos uma aula gratuita com o passo a passo. Clique aqui para assistir e receber a newsletter de criptoativos do InfoMoney

Compartilhe
Mais sobre