Destaques da Bolsa

Ações de CSN e Usiminas caem até 4%, GPA tem baixa de 6,5% após salto na sexta; PDG segue disparada e avança 12%

Confira os destaques da B3 na sessão desta segunda-feira (18)

Por  Lara Rizério -

SÃO PAULO – O grande destaque do noticiário corporativo desta segunda-feira (18) ficou para a reação dos papéis da Americanas (AMER3, R$ 39,07, +4,33%) e da Lojas Americanas (LAME3, R$ 6,33, +27,62%;LAME4, R$ 6,41, +20,72%) após a proposta de reorganização das companhias em uma só base acionária. As ações LAME3 e LAME4 dispararam mais de 20%, enquanto AMER3 subiu mais de 4% (saiba mais clicando aqui).

Além disso, as ações da maquininha de cartões do Santander (SANB11, R$ 36,50, +0,36%), a Getnet (GETT11, R$ 7,72, +63,57%), estrearam na Bolsa na nesta segunda-feira (18) em disparada. 

Também em alta, estiveram os papéis da Eletrobras (ELET3, R$ 40,61, +3,44%;ELET6, R$ 40,55, +2,32%). Nesta data, o Bank of America elevou o preço-alvo das ações ON da companhia de R$ 47 para R$ 55, reiterando a recomendação de compra. Para os analistas, a elétrica é uma das escolhas favoritas entre as empresas de prestação de serviços públicos.

Já entre as quedas, o GPA (PCAR3, R$ 28,96, -6,46% ) reverteu parte da alta de quase 12% que teve na última sexta-feira, após o anúncio de que vendeu lojas Hiper Extra para o Assaí (ASAI3, R$ 16,96, -3,31%), que fechou em queda novamente.

Atenção ainda para as ações de Vale (VALE3, R$ 79,92, -0,94%) e de siderúrgicas como CSN (CSNA3, R$ 26,45, -4,13%), Usiminas (USIM5, R$ 16,08, -3,02%) e Gerdau (GGBR4, R$ 28,18 0,04%). Os papéis de Vale chegaram a cair 2,73% na mínima do dia, em meio aos dados fracos da economia chinesa e informações de queda de 21,2% da produção de aço no ano. Na China, os futuros do minério de ferro fecharam em baixa de 1,7%, cotados a 711 yuans por tonelada. Os ativos de CSN e Usiminas fecharam em queda, sendo a exceção do setor a Gerdau, fechando praticamente estável.

A construtora EzTec (EZTC3, R$ 23,56, -2,97%) teve um dia de perdas após divulgar prévia operacional do terceiro trimestre de 2021.

Em destaque fora do índice, as ações da PDG (PDGR3, R$ 3,59, +12,19%) abriram em queda após dispararem mais de 90% na sexta com o fim da recuperação judicial, mas logo passaram a subir novamente, fechando em alta de 12,19%. Confira mais destaques:

Americanas (AMER3) e a Lojas Americanas (LAME4)

Após uma combinação operacional de seus negócios entre Americanas (AMER3) e a Lojas Americanas (LAME4), a Lojas Americanas estudava uma reorganização societária com o objetivo final de migrar sua base acionária para uma nova sociedade, com sede no exterior, cujas ações seriam listadas na NYSE ou na NASDAQ.

Diante disso, as companhias avaliam eventual reorganização societária anterior à listagem internacional, combinando, no Brasil, as respectivas bases acionárias das empresas no Novo Mercado da B3.

Segundo comunicado, o resultado da viabilidade dessa operação será submetida à administração das companhias.

Getnet

As ações da maquininha de cartões do Santander (SANB11), a Getnet (GETT3;GETT4;GETT11), estrearam na Bolsa nesta segunda-feira (18).

Os acionistas do banco receberam 0,25 0,25 ação ordinária, preferencial e unit da Getnet para cada ação ordinária, preferencial ou Unit emitida pelo Santander Brasil.

A Getnet já chega ao mercado com 16% de market share, totalizando 876 mil clientes ativos. O seu volume total de pagamentos (TPV) atingiu R$ 274 bilhões no ano passo. Nos seis primeiros meses deste ano, o montante totalizou R$ 183 milhões, crescimento de 64% em relação ao mesmo período de 2020.

EzTec (EZTC3)

A Eztec informou que no terceiro trimestre de 2021 as vendas líquidas atingiram R$ 255 milhões, queda de 23,6% na base anual.

A companhia realizou um lançamento localizado na Zona Sul da cidade de São Paulo no 3T21. A torre possui 276 unidades de alto padrão, com áreas que variam de 105 a 180 m² gerando um VGV total de cerca de R$ 460 milhões.
Tegra

O Credit Suisse comentou que a EzTec relatou números mais fracos do que o esperado tanto em lançamentos quanto em vendas líquidas.

Segundo o banco, o ramp-up operacional tem ficado para trás em relação aos seus pares desde o ano passado e, embora a sólida reputação da companhia tenha mantido os investidores confiantes em sua capacidade de acelerar os lançamentos, a deterioração observada no setor (velocidade de vendas em queda) pode ameaçar este objetivo, criando assim uma potencial saliência no estoque.

O banco mantém avaliação neutra e preço-alvo de R$ 30,00, frente à cotação de sexta de R$ 24,28.

Petrobras (PETR4)

Sindicatos de petroleiros e entidades ambientais contestaram a decisão da Câmara de Conciliação do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que homologou um acordo bilionário firmado pela Petrobras (PETR4;PETR3) para reparar um vazamento de 4 milhões de litros de óleo no mar, conforme informou o jornal Valor.

O acordo homologado foi de quase R$ 1,4 bilhão, abaixo dos R$ 2,2 bilhões estimados anteriormente.

Além do valor, as entidades questionam a destinação dos recursos, já que somente 10% do total será obrigatoriamente aplicado nas regiões afetadas pelo desastre ambiental.

A validação do acordo pôs fim a negociações que se arrastavam por 20 anos. O acordo firmado visa reparar um dos maiores desastres ambientais em rios da história do Brasil: em julho de 2000, um oleoduto se rompeu durante operação de transferência de óleo cru do terminal marítimo de São Francisco do Sul (SC) para a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária (PR).

B3 (B3SA3)

Com o fim do horário de verão nos Estados Unidos, a B3 terá novos horários de negociação a partir de 8 de novembro. Em ofício circular distribuído no fim da semana, a bolsa brasileira informou que o mercado de ações mantém a abertura às 10h, mas o pregão se estende por mais uma hora, até as 18h. Já o after market fica suspenso, com exceção dos dias de exercício de opções sobre ações.

Os derivativos e operações estruturadas sobre câmbio ganham mais meia hora de negociação, que passa a se encerrar às 18h30. O mesmo ocorre com os principais derivativos de café, que terão negociação estendida até as 16h.

Os contratos relativos ao açúcar ganham mais uma hora, até as 15h. Em ambas as commodities, as negociações after hours terão seu encerramento mantido às 18h. Os derivativos de soja também ganham mais uma hora, até as 16h20.

Eletrobras (ELET3)

A Eletrobras (ELET3) informou que próxima terça-feira (19) será realizada reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) que tratará sobre o processo de desestatização da empresa.

Livetech (LVTC3)

A Livetech da Bahia (LVTC3) anunciou uma nova parceria com a Huawei no intuito de ofertar no Brasil produtos que compõem a Divisão de Digital Power da multinacional asiática.

Com esta parceria, a WDC Networks passará a ofertar aos seus clientes equipamentos como data centers modulares, controle inteligente de temperatura e energia, baterias de lítio, e sistemas híbridos de energia que são capazes de suportar a infraestrutura de 5G que será implementada no Brasil.

A Huawei espera que sua divisão de Digital Power alcance faturamento de aproximadamente US$ 20 bilhões em 2025.

Hapvida (HAPV3)

A Hapvida (HAPV3) aprovou um plano de recompra de ações de emissão da própria companhia.

Segundo comunicado, a recompra visa maximizar a geração de valor para os acionistas, por meio de uma administração eficiente da sua estrutura de capital. O programa terá validade de até 18 meses.

Dasa (DASA3)

O conselho de administração da Dasa (DASA3) aprovou a emissão de R$ 2 bilhões em debêntures simples, não conversíveis em ações.

Segundo comunicado, os recursos serão direcionados para reforço do capital de giro da empresa. As debêntures terão vencimentos em 2026, 2028, 2031.

Hidrovias do Brasil (HBSA3)

A Hidrovias do Brasil (HBSA3) aprovou a realização de sua 1ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em até duas séries, totalizando um montante de R$ 380 milhões.

Os recursos captados com a emissão serão destinados para o financiamento ou reembolso de gastos, despesas ou dívidas relacionados ao projeto do Terminal STS20 no Porto de Santos/SP, que está em fase de reformas e modernizações e deverá ter suas operações iniciadas em 2022.

A emissão das debêntures será objeto de oferta pública com esforços restritos de distribuição.

Omega Geração (OMGE3)

A Ômega Geração (OMGE3) recebeu uma carta na qual um grupo de gestoras questionam a combinação de negócios com a Ômega Desenvolvimento.

O comunicado é assinado por gestoras como Verde Asset, Squadra Investimentos, Squadra Investments, Truxt Investimentos, Aberdeen Brasil, Compass Group, Icatu Vanguarda, Capital Partners, Larus Gestora, Oceana Investimentos,. Juntas, elas detêm 28,6% das ações da Ômega.

As gestoras alegam que a proposta não captura de forma adequada a geração de valor da Ômega Geração e não incorpora os desafios que virão com a combinação com a Ômega Desenvolvimento de Projetos.

A Ômega Geração informou que encaminhará a carta para a Ômega Desenvolvimento e continuará mantendo diálogo sobre a proposta de combinação.

Inepar (INEP4)

A Inepar aprovou a constituição de uma nova empresa como nome empresarial de Enisa, com fábrica na cidade de Araraquara, Estado de São Paulo.

A Enisa irá atuar nas áreas de saneamento, equipamentos de processos, equipamentos para movimentação de materiais, equipamentos hidromecânicos, equipamentos pesados, subestações, geração de energia, óleo e gás, módulos para plataforma, metro-ferroviário, equipamentos para portos e pátios de estocagem, pátios de minérios, silos e sistemas de armazenamento, dentre outros

Saraiva (SLED4)

O Conselho de administração da Saraiva aprovou proposta de grupamento de ações na proporção de 35 para 1.
O capital social da companhia que é de R$ 301,9 milhões dividido em 63.410.194 passará a ser dividido em 1.811.719 de ações.

Votorantim Cimentos

A Votorantim Cimentos concluiu a aquisição da espanhola Cementos Balboa, segundo reportagem do Valor.

O valor da operação não foi revelado.

Com a compra, a empresa passa ter uma capacidade instalada de produção global de 57,4 milhões de toneladas de cimento, ficando entre as 10 maiores cimenteiras do planeta.

Johnson & Johnson (JNJB34)

A Johnson & Johnson entrou com pedido de recuperação judicial para sua subsidiária LTL Management. A LTL carrega centenas de milhares de processos por conta de produtos à base de talco.

Segundo reportagem do Valor, a empresa entrou com o pedido de proteção baseada no na lei de falências americana. A Johnson criará um fundo de US$ 2 bilhões para pagar as quantias que a Justiça dos EUA determinar.

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.

Compartilhe