Destaques da bolsa

Ações de bancos e Cielo se recuperam após queda da véspera; varejistas registram baixa

Confira os destaques da B3 na sessão desta terça-feira (17)

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em uma nova sessão de ganhos para o Ibovespa, que teve avanço de 0,64%, quem teve destaque foram as ações da Cielo (CIEL3), que tiveram queda de mais de 5% após anúncio da Rede na véspera. Nesta sessão, os ativos CIEL3 subiram 5,52%, a R$ 8,79.

As ações de bancos, como Santander Brasil (SANB11), Bradesco (BBDC3;BBDC4), Banco do Brasil (BBAS3) e Itaú Unibanco (ITUB4) subiram mais de 1% em um movimento de recuperação; no final do pregão da véspera, os papéis do setor caíram forte com a fala de Jair Bolsonaro que retomou a discussão sobre a volta da CPMF.

“Todas as alternativas estão sobre a mesa”, disse Bolsonaro. Segundo a equipe de análise da XP Política, a volta do imposto sobre operações financeiras não é popular, mas da maneira como era defendido pelo ex-secretário da Receita, Marcos Cintra, era um tributo que vinha para simplificar.

Aprenda a investir na bolsa

As ações das empresas de papel e celulose também avançam com a recuperação dos preços nesta semana.

Já as maiores quedas ficaram com as ações de varejistas, caso de B2W (BTOW3), Natura (NATU3), Magazine Luiza (MGLU3), Lojas Americanas (LAME4) e Via Varejo (VVAR3), em uma sessão de realização após os fortes ganhos recentes dos ativos do setor.

Confira os destaques:

Via Varejo (VVAR3)

O CEO da Via Varejo, Roberto Fulcherberguer, afirmou , que uma nova capitalização da companhia “não faria sentido”. Ele considera que hoje, a empresa está “barata”, e que com isso, uma nova oferta de ações não seria interessante.

Durante a apresentação a investidores, o vice-presidente Financeiro e diretor de Relações com Investidores da empresa, Oriovaldo Padilha, afirmou que o custo anual das dívidas da empresa deve cair a cerca de 5,5%. A jornalistas, ele afirmou que a emissão pública de dívida é a opção à mão para viabilizar o processo. “Debênture é a opção mais viável, com dois a três anos de prazo”, disse ele.

Leia mais: Via Varejo quer “maior virada do varejo brasileiro” após vender 15 vezes um dia normal na Black Friday

PUBLICIDADE

Também ao apresentar indicadores da empresa à plateia, os executivos da Via Varejo divulgaram que os investimentos da varejista (capex) podem chegar a R$ 800 milhões. Fulcherberguer disse que esse patamar de desembolso será sustentado sem a necessidade de uma nova oferta de ações, por exemplo. “A estrutura de capital e a geração de caixa nos dão tranquilidade para cumprir o capex”, afirmou.

Suzano (SUZB3) e Klabin (KLBN11)

Os preços da celulose de fibra curta na China fecharam em alta esta semana, com alta de US$ 0,40 a tonelada e atingindo US$ 457,60 a tonelada.

“Na nossa visão, apesar da visibilidade permanecer baixa, acreditamos que o preço esteja próximo de um piso e o movimento de desestocagem da Suzano parece positivo. Mantemos nossa visão positiva à frente”, afirmou a XP Investimentos.

Os analistas da XP mantêm a recomendação de compra para Suzano (preço-alvo de R$ 40 por ação) e neutro para Klabin (preço-alvo de R$ 19 de ação).

Banco do Brasil (BBAS3)

O Banco do Brasil anunciou renovação de contrato, de forma temporária, com os Correios. A parceria deve durar três meses com possibilidade de prorrogação por igual período.

Desta forma, os Correios continuam disponibilizando saques, depósitos, consultas e recebimentos de contas pelos próximos três meses, período que pode ser prorrogado.

Natura (NATU3

A Natura Cosméticos e a Natura & Co. Holding S.A. informaram na noite de ontem à CVM que realizarão nesta terça-feira (17) a incorporação das ações da primeira empresa pela segunda, que a substituirá na bolsa. Haverá aumento de capital da Natura & Co. Holding, com a emissão de 370,2 milhões de ações ordinárias da nova empresa, em um valor total de R$ 1,1 bilhão.

Desta soma total, R$ 370 milhões serão destinados ao capital social, enquanto R$ 730 milhões serão destinados “à reserva de capital da Natura & Co. Holding”. Segundo o comunicado, os acionistas receberão uma ação da Natura & Co. Holding para cada ação que possuírem no dia 17 da Natura Cosméticos (NATU3).

PUBLICIDADE

“Dessa forma, a partir do dia 18 de dezembro de 2019, as ações NATU3 deixam de ser negociadas na B3 S.A. e inicia-se a negociação com as ações NTCO3 ao segmento do Novo Mercado da B3”.

A negociação do novo ticker ocorre normalmente a partir d dia 18, sem alteração de valor ou ajuste.

CCP (CCPR3)

A XP Investimentos iniciou cobertura das ações de CCP com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 29 por ação, o que representa um retorno potencial de 26% em relação ao fechamento de segunda-feira.

“Desde a oferta, as ações subiram quase 30% e, apesar de não vermos o preço atual como “uma barganha”, enxergamos o papel como uma opção atrativa dentro do setor”, afirma a equipe de anpalise,

A recomendação é baseada nos seguintes pilares: i) a percepção de que a empresa reúne o melhor portfólio de escritórios do mercado, com grande concentração em edifícios “Triple A” e na cidade de São Paulo (mais de 80% das receitas de escritórios vem dessa categoria de edifícios); ii) ambiente positivo de revisões contratuais nos próximos anos, do qual espera-se que a CCP se beneficie; iii) uma melhora gradual no portfólio de shoppings, como consequência do processo de maturação dos ativos aliado a perspectivas positivas da frente macroeconômica e iv) a crença de que a companhia está bem preparada para executar sua estratégia de gestão ativa do portfólio.

Comgás (CGAS5)

A Comgás, Companhia de Gás de São Paulo, do grupo Cosan, fará um financiamento de R$ 2 bilhões no BNDES. Em comunicado à CVM, a empresa informou hoje a operação, aprovada ontem por seu conselho de Administração. Segundo a Comgás, o financiamento será pago em 15 de abril de 2029, mas pode ser estendido até 15 de junho de 2034 se houver a prorrogação da concessão da companhia para a exploração da distribuição do gás natural na Região Metropolitana de São Paulo e no Leste do Estado de São Paulo. A empresa não informou no que investirá os R$ 2 bilhões.

Guararapes (GUAR3)

A Guararapes Confecções S.A., controladora das Lojas Riachuelo, informou ontem ao mercado que protocolou na Delegacia da Receita Federal um pedido de créditos tributários no valor de R$ 140,8 milhões. Segundo a empresa, os créditos decorrem de uma ação judicial transitada em julgado, na qual a Gurarapes pediu a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins. A companhia prometeu informar o mercado tão logo a Delegacia da Receita se manifeste.

Light (LIGT3

A distribuidora de energia Light, do Rio de Janeiro, comunicou à CVM que liquidou antecipadamente uma dívida de R$ 292,6 milhões com o BNDES, referente a um financiamento que fez no banco estatal em 2015 e 2016 para sua subsidiária Light Serviços de Eletricidade. Segundo a empresa, a dívida venceria apenas em 2023, mas a Light optou por pagar antecipadamente o débito “para reduzir os custos financeiros e, assim, propiciar geração de valor aos seus acionistas”.

Alupar (ALUP11)

PUBLICIDADE

A Alupar Investimentos S.A., de São Paulo, informou ontem à CVM que realizou o pagamento de R$ 369,7 milhões aos donos das suas debêntures emitidas em 2012, e que venceriam apenas em 30 de maio de 2027. A empresa afirma que fez o resgate antecipado dos papéis para “reforçar a estrutura de capital com fontes de financiamento mais atrativas”. A empresa esclareceu que as debêntures resgatadas ontem faziam jus a uma remuneração pelo IPCA mais 7,80%. ao ano.

Gafisa (GFSA3)

A construtora e incorporadora Gafisa comunicou ontem ao mercado que pretende adquirir 100% das ações da Upcon, empresa que atua no mesmo ramo nas zonas Sul e Oeste da capital paulista. Segundo a Gafisa, a proposta feita não é vinculante e as empresas deverão chegar a um acordo em 60 dias. A Gafisa afirmou que avisará o mercado e seus acionistas “tão logo um contrato definitivo (para a aquisição) for assinado”.

Marfrig (MRFG3)

Ocorre hoje a precificação de oferta da Marfrig que deve permitir ao BNDES vender sua participação no frigorífico. O
BNDESPar, braço de investimentos do banco, planeja vender cerca de 209,6 milhões de ações, o que representa toda a sua parcela de 33,74%, segundo a Marfrig. A operação pode levantar R$ 3,33 bilhões.

Unidas (LCAM3)

A Unidas também fará precificação de oferta nesta terça-feira. Serão vendidas 93,8 milhões de ações: 61 milhões de ações
primárias ON e 32,8 milhões de ações secundárias pelo acionista principal. A oferta poderá movimentar cerca de R$ 1,7 bilhão.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!

(Com Bloomberg)