Disparada do petróleo

3R Petroleum (RRRP3) lidera altas da bolsa, com salto de 12,9%, em meio à disparada do preço do petróleo

Investidores não descartam que processo de valorização siga e o preço da commodity se aproxime do recorde de 2008, de US$ 150

Por  Rodrigo Petry -

As ações da 3R Petroleum (RRRP3) lideraram as altas da sessão desta quarta-feira (2) na bolsa, impulsionadas pela nova valorização do preço do barril do petróleo, fechando com alta de 12,93%, cotadas a R$ 38,26.

Outras ações de empresas do setor, como PetroRio (PRIO3), com alta de 9,02%, a R$ 28,15, e Petrorecôncavo (RECV3), que subiram 9,34%, a R$ 22,59, também se destacaram entre as valorizações da bolsa.

Com a invasão russa à Ucrânia, os preços da commodity dispararam na última semana, em movimento que seguiu hoje. O brent com vencimento em maio subiu 7,58%, a US$ 112,94 o barril, enquanto o WTI para abril teve alta de 6,95%, a US$ 110,60, no maior valor desde maio de 2011.

Inclusive, investidores não descartam este seja apenas o começo de uma trajetória de elevação, que poderia se aproximar do recorde de 2008, quando encostou nos US$ 150, devido às limitações globais de oferta.

Cabe destacar que a Rússia é o terceiro maior produtor de petróleo mundial, com 11% da oferta/comércio global.

Para além da Petrobras, RRRP3 e PRIO3

Para o Morgan Stanley, o salto da commodity deve colocar a Petrobras (PETR3;PETR4) em uma situação difícil para equilibrar o interesse social versus a criação de valores para os acionistas, já que a política de preços continua sendo um tema-chave na política brasileira.

O último reajuste de preços dos combustíveis foi feito há cerca de 50 dias dias pela Petrobras. Assim, o Morgan Stanley acredita a Petrobras deve esperar alguns dias para não repassar ao consumidor uma volatilidade global desnecessária, mas adiar um aumento de preço pode ser mais difícil desta vez.

“Se a empresa reajustar os preços dos combustíveis, aumentará o nível de ruído político no momento em que alguns projetos de lei relacionados aos combustíveis estão em discussão no Congresso e a inflação está em alta”, destaca em relatório.

Leia também: Como os países lidam com a alta dos combustíveis

3R Petroleum, PetroRecôncavo e PetroRio no radar

Neste contexto, os analistas do Morgan Stanley destacam sua preferência, neste momento, por empresas menores de exploração e produção de petróleo, ainda que o dividend yield (valor do dividendo sobre o preço da ação) da Petrobras esteja muito atraente.

Entre as preferências do setor estão PetroRecôncavo (RECV3) e 3R Petroleum (RRRP3), além da colombiana Ecopetrol, embora para esta empresa possa haver alguma pressão de capital de giro, dependendo do desempenho do fundo de estabilização de preços de combustíveis da Colômbia.

Enquanto isso, o Bradesco BBI avalia que, além da 3R, a PetroRio (PRIO3), junto com as distribuidoras de combustíveis (que podem se beneficiar de uma oferta interna apertada), podem ter um desempenho positivo, enquanto a Petrobras teria alta dos papéis, mas em menor grau.

No quarto trimestre,  3R Petroleum (RRRP3) sai de prejuízo e registrou lucro de R$ 19,7 milhões. Já a Petrorio (PRIO3) reportou lucro líquido de R$ 894,2 milhões no quarto trimestre de 2021, montante 32% superior ao registrado em relação ao mesmo período de 2020.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

 

 

Compartilhe