Queda da Bolsa se deve mais ao receio de recessão global do que à Argentina

Os resultados econométricos mostram que a queda da bolsa e a alta do dólar recentemente no Brasil estejam mais relacionados com a guerra comercial entre China e Estados Unidos e o receio de uma recessão global do que a crise na Argentina.

arrow_forwardMais sobre

Em uma semana, a bolsa brasileira caiu 4,86%.  Os motivos para a queda estão mais relacionados ao cenário externo do que conjuntura interna.

Receio de uma recessão global, captada pela inversão da curva de juros americana, guerra comercial entre China e Estados Unidos e a conjuntura econômico-política da Argentina explicam a queda na bolsa e a alta do dólar no Brasil.

Diante de tantas variáveis, é difícil compreender se a queda na bolsa brasileira está mais ligada ao fator “Argentina” ou ao fator “economia mundial”.

PUBLICIDADE

A fim de responder esta pergunta, foi feito um exercício econométrico no qual a variação do Ibovespa é explicada pela variação da bolsa na Argentina e pela variação do S&P500. O exercício foi inspirado num “CAPM adaptado”, no qual a variação de um ativo é explicada pela variação da bolsa. Neste caso, a ideia é verificar o quanto a crise na Argentina afeta a bolsa brasileira, controlando pelos efeitos da economia global.

Os efeitos da economia global seriam captados pelo S&P500. Embora o S&P500 seja um índice da economia americana, ele foi utilizado como uma proxy da economia global. A proxy é válida porque a economia global é altamente influenciada pela economia americana e a bolsa nos EUA representa quase 50% de toda a bolsa no mundo.

Antes de partirmos para o resultado, é importante frisar que não se trata de um artigo acadêmico, mas um exercício econométrico para nos dar alguns “insights” sobre o comportamento da bolsa brasileira. No entanto, mesmo sem o rigor de um artigo científico, procurou-se respeitar as principais premissas econométricas, tornado os resultados válidos.

De acordo com os resultados, tanto a economia global quanto o fator Argentina estão relacionados com a variação do Ibovespa. Isso parece óbvio e apenas confirma o senso comum. No entanto, o que chama a atenção é que a bolsa brasileira é 5 vezes mais sensível a economia mundial do que a bolsa na Argentina, conforme resultados abaixo.

result_econom

De acordo com os resultados, conclui-se que provavelmente a queda da bolsa e a alta do dólar recentemente no Brasil estejam mais relacionados com a guerra comercial entre China e Estados Unidos e o receio de uma recessão global (coeficiente de 0,471312) do que a crise na Argentina (coeficiente de 0,090241) .

PUBLICIDADE

Alan Ghani é economista, PhD em Finanças e professor de pós graduação

Siga Alan Ghani (@AlanGhani) no Twitter, Facebook e Youtube e Instagram e Linkedin

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos — é grátis

Alan Ghani

É economista, mestre e doutor em Finanças pela FEA-USP, com especialização na UTSA (University of Texas at San Antonio). Trabalhou como economista na MCM Consultores e hoje atua como consultor em finanças e economia e também como professor de pós-graduação, MBAs e treinamentos in company.