Discussão sobre salário mínimo ficará para depois das eleições

Os valores serão discutidos depois, com as equipes do atual presidente da República e de transição do próximo governo

SÃO PAULO – A discussão sobre o salário mínimo de 2011 e o reajuste das aposentadorias ficará para depois do segundo turno das eleições, segundo decisão da Comissão Mista de Orçamento da Câmara.

De acordo com informações da Agência Câmara, o líder do governo no Congresso, deputado Gilmar Machado (PT-MG), afirmou que a ideia é evitar o debate eleitoral dos reajustes, em referência à proposta do candidato do PSDB à Presidência de adotar o mínimo de R$ 600 já a partir de 2011.

No entanto, garantiu o parlamentar, os aumentos com ganho real estão assegurados. Os valores serão discutidos depois, com as equipes do atual presidente da República e de transição do próximo governo.

PUBLICIDADE

No entendimento do relator de receitas da Comissão de Orçamento, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), será do próximo presidente da República a responsabilidade de legitimar o novo teto para o salário mínimo.

Valorização
O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, se colocou à disposição para negociar, ainda este ano, a transformação da MP (Medida Provisória) sobre a política nacional de valorização do salário mínimo em lei.

“A ideia é aprovar a lei o mais rápido possível, pois ela vai garantir uma política de aumento real do salário mínimo que seja constante, assim como já vem sendo feito no governo Lula, quando os trabalhadores tiveram aumento real de salário de 64%”, comentou Lupi.

Para o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o mínimo de 2011 deve considerar o PIB de 2010, uma vez que em 2009 a crise financeira internacional afetou o cenário mundial. Dessa forma, o valor ficaria em torno de R$ 580.

O parlamentar também direcionou os olhares para a discussão das aposentadorias. “É lógico que estamos negociando o aumento dos aposentados. Queremos que eles tenham direito a pelo menos 80% do reajuste que o salário mínimo receber”, informou.