Deputados aprovam relatório preliminar que leva salário mínimo a R$ 540

Relator afirma que na quarta começam novas negociações com sindicatos e ministérios do Planejamento e Previdência

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Comissão Mista de Orçamento aprovou nesta terça-feira (16) o relatório preliminar que define o aumento do salário mínimo dos atuais R$ 510 para R$ 540 a partir de janeiro.

De acordo com o relator-geral do Orçamento de 2011, deputado Gim Argello (PTB-DF), a partir de quarta-feira (17), começa uma nova rodada de negociações com as centrais sindicais e os ministérios da Previdência e do Planejamento para tentar elevar esse valor.

“O critério usado tem sido muito bom, mas nós queremos mais. É preciso sentar para negociar e indicar a fonte de onde devem sair os recursos”, afirmou Argello, segundo informações da Agência Brasil.

Aprenda a investir na bolsa

As centrais sindicais defendem que o novo valor esteja entre R$ 560 e R$ 580. Segundo o relator, qualquer valor acima de R$ 540 deve sair por medida provisória, pois fugiria do atual critério acertado entre o governo e as centrais sindicais, em 2006, o qual estabelece que o reajuste deve corresponder à variação da inflação mais o crescimento real do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes.

Planejamento
Mais cedo, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, criticou a proposta de aumento do salário mínimo para R$ 600 – feita por alguns parlamentares e defendida pelo candidato derrotado à Presidência, José Serra.

“O reajuste para R$ 600 foi vencido nas próprias eleições. Essa proposta não tem atrelada a ela um critério único para reajuste periódico, ao contrário do que temos hoje”, declarou. O ministro defendeu o aumento para R$ 540, como proposto pelo relator-geral do Orçamento.