Em bloomberg / mercados

Investidor bilionário Kirk Kerkorian morre aos 98 anos

Como um jogador de Banco Imobiliário, Kerkorian não desistia

Kirk Kerkorian - Bloomberg
(Nick Ut/AP Photo)

(SÃO PAULO) – Kirk Kerkorian, que largou os estudos na oitava série e tornou-se bilionário comprando e vendendo fatias em companhias aéreas, montadoras, cassinos e estúdios de Hollywood, faleceu aos 98 anos de idade.

A morte ocorreu no dia 15 de junho em Los Angeles, disse Clark Dumont, porta-voz do MGM Resorts International. A causa não foi divulgada.

Como um jogador de Banco Imobiliário, Kerkorian não desistia. Quando era octogenário, ele controlava mais de matade dos quartos de hotel de Las Vegas, depois que sua companhia, a MGM Grand Inc., adquiriu a rival Mirage Resorts Inc. por US$6,4 bilhões em 2000 e o Mandalay Resort Group por US$4,8 bilhões quatro anos depois. Ele era acionista controlador com 54% da companhia, conhecida agora como MGM Resorts International, até maio de 2009, quando reduziu sua fatia para 37%.

Ele comprou quase 10% da General Motors quando a ação estava depreciada em 2005, quando tinha 88 anos. Impaciente com a administração da empresa com 89, Krekorian pressionou por mudanças e foi repreendido. Ele vendeu sua fatia no final de 2006.

Seus negócios geraram receita líquida de US$3,6 bilhões, de acordo com o Índice de Bilionários da Bloomberg.

Perdas

Sua fortuna foi atingida durante a crise financeira em 2008. Entre suas perdas: aproximadamente US$600 pelo desanuviamento de uma fatia da Ford Motor que havia ultrapassado 140 milhões de ações, ou aproximadamente 6% da companhia. A construção do CityCenter em Las Vegas durante a recessão global prejudicou o preço das ações da MGM.

Por décadas, Krekorian foi reconhecido como magnata em Hollywood por conta de seu controle da Metro-Goldwyn-Mayer Inc. Durante 30 anos, ele comprou fatias em diversos grandes estúdios.

Sua competitividade se estendeu ao tênis, tendo jogado em campeonatos nacionais em 2004.

Raramente Krekorian aceitava um título que não “presidente”.

Ações legais

O magnata também não era uma pessoa fácil. Ele brigou nos tribunais quando uma ex-mulher, Lisa Boder, exigiu em 2002 uma pensão de US$320.000 ao mês.

Oito anos depois, ele concordou em pagar aproximadamente US$10 milhões além de US$100.000 ao mês em pensão, mesmo depois de Bonder admitir que Kerkorian não era o pai biológico de seu filho, de acordo com a Associated Press.

Kerkorian processou a DaimlerChrysler AG em 2000, alegando que havia sido ludibriado. Como maior acionista da Chrysler, com uma fatia de quase 14%, ele havia apoiado inicialmente a fusão da montadora com a alemã Daimler-Benz AG. Depois ele disse ter sido enganado por representações de que o acordo era uma “fusão de iguais”. Exigindo US$3 bilhões em danos, ele perdeu o julgamento federal em 2005. Seu apelo também não foi bem sucedido.

Em 2007 Kerkorian ofereceu US$4,5 bilhões em dinheiro para comprar a montadora, mas sua oferta foi superada pela Cerberus Capital Management LP.

Reportagem de Steven Gittelson

Traduzido por Paula Zogbi

 

Contato