Blog InfoMoney

Investimentos Internacionais

Em blogs / investimentos / investimentos-internacionais

Já tem ação subindo 330% por causa do urânio: hora de investir é agora antes de decisão de Trump

.No ano passado foram produzidas cerca de 140 milhões de libras de urânio, enquanto foram consumidas quase 200 milhões

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

mina de urânio
(Shutterstock)

As ações do setor de urânio estão prontas para o que eu acredito que será um bull market de alguns anos. Após o anúncio de que a Hylea estava comprando a mina de Kayelekera da Paladin, as ações da empresa subiram nada menos que 330%. Isso vale para mostrar o quão pujante são as valorizações nesse setor, quando ocorrem.

Semana passada houve boatos de que a recomendação do Departamento de Comércio dos EUA havia vazado. Supostamente, o parecer recomenda ao presidente Trump a imposição de quotas para os produtores locais, subindo de 5% no primeiro ano até atingir os 25%, após 5 anos.

Claro, apesar de ter sido veiculado na imprensa especializada (Bloomberg), a notícia não foi confirmada oficialmente. Mas isso foi o suficiente para atrair atenção para o setor.

De qualquer maneira, o presidente Trump tem até meados de julho para chegar a uma decisão. Como já disse várias vezes nesse blog, qualquer decisão é boa para o setor, já que vai remover a grande incerteza atualmente existente e abrir caminho para as usinas (utilities) voltarem a contratar no mercado.

E elas desesperadamente precisam disso, já que o ciclo do urânio é o mais longo das commodities energéticas, levando de 1,5 a 2 anos entre a extração do metal até o seu emprego efetivamente nos reatores nucleares.

E quando as utilities forem ao mercado, descobrirão que não é possível comprar urânio por US$25, nem US$30, nem US$40. O preço terá que ser muito mais alto para poder incentivar os produtores a continuarem as operações e firmarem os contratos de longo prazo.

No ano passado foram produzidas cerca de 140 milhões de libras de urânio, enquanto foram consumidas quase 200 milhões. O déficit, que foi grande, deve ser ainda maior esse ano. E, como as utilities são praticamente indiferentes ao preço da commodity, ele tem bastante espaço para subir. E subir, eu acredito, ela vai.

Leia também: como investir em urânio morando no Brasil?

No último bull market, as ações da Cameco, que era a maior do setor e tinha suas maiores minas na melhor jurisdição, Canadá – o que implica menor prêmio de risco –, e ainda produziu muito pouco, devido à inundação de duas de suas minas, viu suas ações subirem mais de 1.300%. Teve ação que subiu 90.000%.

Na época ainda havia excesso de urânio, ao contrário de hoje, quando a produção é bem menor que o consumo. Acredito que dessa vez o bull market reúna elementos capazes de gerar movimentos ainda mais significativos.

Na minha opinião, a hora de se posicionar é agora, antes do primeiro trigger para o setor, a decisão do presidente Trump sobre a Section 232, que pode ocorrer a qualquer momento até o dia 14/07.

Aproveite as oportunidades: abra uma conta de investimentos na XP - é de graça!

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

 

perfil do autor

InfoMoney Blogs

Marcelo López

Marcelo López tem certificação CFA, é gestor de recursos na L2 Capital Partners, com MBA pelo Instituto de Empresa (Madrid, Espanha) e especialização em finanças pela principal escola de negócios da Finlândia (Helsinki School of Economics and Business Administration). Atuou como Gestor de Carteiras e de Fundos em grandes gestoras internacionais, tais como London & Capital e Gartmore Investment Management.

Contato