Blog InfoMoney

Blog da Levante

Em blogs / investimentos / blog-da-levante

Seus investimentos estão ilhados?

No fim do dia, o que realmente importa é que você esteja vivendo uma lua de mel com os seus investimentos, da mesma forma que as Ilhas Maurício – que apesar de toda a sua mistura - é um dos destinos mais românticos

casal - praia - sol e mar - qualidade de vida - viagem
(Shutterstock)

A ilha era desabitada até o início do século XVI. Começou com os colonizadores franceses e ingleses ganhou escravos vindos da África para trabalhar nos canaviais. Com a abolição da escravatura, a mão de obra africana foi substituída pela indiana e chinesa, povos que trabalharam ainda em outras culturas, como a do chá e a da baunilha.

Conseguiu visualizar a mistura?

Esse é um resumo das Ilhas Maurício, que conta com a mistura entre os africanos, indianos, muçulmanos e europeus.

Estive recentemente na ilha e não posso negar que a pluralidade da identidade está alastrada por todos os cantos. Mesquitas, templos hindus e igrejas católicas convivendo harmoniosamente, assim como uma instigante mistura de sabores na culinária. Um prato cheio para quem está aberto à novas descobertas.

Por isso, não tenho como escapar da pergunta: como está a multiplicidade de sua carteira de investimentos? Sua carteira está ilhada e inabitada? Ou cheia de povos diferentes vivendo em comum acordo?

Neste primeiro momento, nem vou entrar em investimentos além-mares ou em ativos financeiros sofisticados.

Vamos pensar exclusivamente no seu portfólio de renda fixa.

Pois é, aí também é preciso diversificar. Será que aí também é possível encontrar pitadas de riscos diferentes? Quem sabe um pouco de curry?

Cada possibilidade de diversificação deve ser encarada como uma chance a não se expor a um prazo tão longo ou a um risco acima do que você tolera.

É claro que não quero que o seu portfólio seja uma miscelânea confusa.

O que eu realmente desejo é que você se sinta confortável e bem tranquilo com a sua própria misturinha. E como cada um tem um gosto próprio, não temos fórmula mágica.

Além de prazos diferentes, riscos variados e por que não incluir algum produto isento de imposto de renda?

Uma maravilha, não é? Já que, cá entre nós, quem não gosta de ficar livre da mordida do leão?

Então, vamos conversar sobre os investimentos isentos de IR (hoje, restringiremos à renda fixa).

Como você bem sabe, para a maior parte dos investimentos em renda fixa, você sofrerá a cobrança de tributos seguindo a tabela regressiva de Imposto de Renda. Basicamente, quanto maior o tempo que você ficar com o ativo (com diferenças de seis meses a dois anos), menor será a porcentagem a ser paga.

Para fugir do leão

Alguns dos investimentos que oferecem essa bela vantagem são, as famosas LCIs e LCAs. Seguidos pelas CRIs, CRAs e debêntures de infraestrutura.

Já comentei aqui mesmo no InfoMoney sobre cada uma dessas aplicações, clique em seus nomes para saber mais.

Para ter certeza que vale a pena

É claro que antes, você precisará comparar as taxas oferecidas para não entrar em uma furada.

Para você, o que importa é a rentabilidade líquida. Ou seja, quanto você irá ganhar descontadas todas as taxas e impostos.

Para tanto, você deverá considerar qual é o prazo da aplicação e o rendimento.

Para calcular qual seria o equivalente em um produto sem IR (neste caso uma LCI) para determinada taxa de uma aplicação com IR (como um CDB) é preciso descontar o imposto de renda da seguinte maneira:

Taxa LCI = Taxa do CDB x (1 – imposto de renda)

Sendo que aqui a taxa do CDB é o percentual do CDI que o banco oferece, e o imposto de renda é a alíquota em percentual de acordo com o período analisado.

Com essa fórmula, você conseguirá colocar no mesmo patamar diferentes produtos financeiros.

Assim você verá que nem sempre a isenção de imposto compensa o seu ganho final, mas em tantas outras é uma excelente oportunidade. Faça as contas sempre.

Ademais, taxas fora da média, podem oferecer uma dose maior de risco. Fique de olho que comentarei mais sobre isso nos próximos artigos. Não dá para cair no canto da sereia da taxa mais alta.

No fim do dia, o que realmente importa é que você esteja vivendo uma lua de mel com os seus investimentos, da mesma forma que as Ilhas Maurício – que apesar de toda a sua mistura - é um dos destinos mais românticos.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

 

perfil do autor

InfoMoney Blogs

Glenda Ferreira

Nascida em Cassilândia (MS), é economista formada na Facamp-SP. Gosta de comer em bons restaurantes e viajar para conhecer outras culturas.

InfoMoney Blogs

Rafael Bevilacqua

O estrategista-chefe é formado em Economia na FEA-USP. Especialista em renda fixa, é maratonista e pai da golden retriever Ibove.

InfoMoney Blogs

Marcela Kasparian

Formada em Administração no Mackenzie com pós em Finanças Corporativas, tem 15 anos de mercado. É faixa preta em taekwondo e adora viajar.

InfoMoney Blogs

Felipe Bevilacqua

Gestor especialista em fundos, é formado em Economia na FEA-USP. Também corre maratonas e passa os finais de semana em Serra Negra (SP).

InfoMoney Blogs

Eduardo Guimarães

Especialista de ações há 15 anos, é formado em Administração na FGV. Gosta de música e futebol, e pega ondas nas horas vagas.

InfoMoney Blogs

Felipe Berenguer

Responsável pela análise política, estuda administração pública na FGV. Acredita nas instituições e na democracia, e seu amor é o Santos FC.

Contato