Coffee & Stocks

Dahlia e uma aula de História e Geografia para entender suas convicções na bolsa

Sara Delfim, fundadora da Dahlia, contou como os Estados Unidos está presente nas decisões de investimento da gestora

“Ao longo da história, quatro fatores principais explicam porque algumas nações crescem mais que outras em longos períodos de tempo: 1) a força das instituições, 2) tecnologia e inovação e 3) demografia e 4) geografia”.

Esse trecho foi dito no Coffee & Stocks de hoje por Sara Delfim, fundadora da Dahlia Capital, e tem sido o tema central das cartas mensais da gestora. O motivo? Para a Dahlia, os Estados Unidos combinam esses quatro elementos juntos e por isso devem continuar exercendo papel de destaque na economia global ao longo da próxima década.

Pax Americana

A tese carrega o nome de Pax Americana e tem balizado grande parte das decisões de investimentos da gestora. A Dahlia não só está comprada em bolsa americana, como também tem posições em empresas que “acidentalmente” estão no Brasil, mas que são globais em seus negócios e se beneficiam desse dinamismo americano.

PUBLICIDADE

É o caso de Natura, quarta maior empresa de beleza do mundo com mais de 70% da sua receita em moeda forte, e Weg, que para Delfim é a maior empresa de tecnologia hoje do Brasil.

A Weg está em tudo

“Poucas pessoas a enxergam como empresa de tecnologia. Se você pensar em qualquer item de disrupção, tem Weg. Eficiência energética em motores de veículos? Tem Weg. Eletrificação de carros? Tem Weg. Inclusive os equipamentos da planta da Tesla na Califórnia, tem Weg. Automação, sensores, digitalização? Tem Weg. Energia renovável? Tem Weg. Além de ter toda essa tecnologia de disrupção, a receita cresceu 17% ao ano nos últimos 20 anos, o lucro avançou 29% ao ano […] e 50% da receita vem de fora.”

“Quem eu conheço, ou acha que está cara ou nem olha a empresa. Se compararmos com outras empresas que o mercado fala que é de tecnologia, ela não está cara. Quanto vale uma empresa que tem 10% do mercado global de veículos elétricos, que há muito tempo já pensa em ESG? Por que uma empresa de disrupção de energia não poderia valer 60 vezes o seu lucro?”, provocou Delfim no C&S de hoje.

Carteira

Além da exposição aos EUA, a Dahlia divide a sua carteira em três outros temas: i) juros baixos. Aqui temos as empresas do setor de energia elétrica, por exemplo: Eneva e Taesa; ii) tecnologia: Magazine Luiza, Mercado Livre, Totvs e Tim; iii) empresas líderes e que devem sair mais fortalecidas da crise: Localiza, Renner, Alpargatas.

Confira tudo o que foi conversado no Coffee & Stocks de hoje clicando na imagem abaixo.

O Coffee & Stocks é transmitido todo dia útil ao vivo às 7:15 da manhã no Instagram do Stock Pickers. Ele é apresentado pelo idealizador do Stock Pickers, Thiago Salomão

PUBLICIDADE

Newsletter Stock Pickers: todo fim de semana, uma nova resenha para você. Inscreva-se no formulário abaixo: