Para evitar violência

Brasil defende solução negociada para situação na Ucrânia, diz Itamaraty

Segundo Itamaraty, solução precisa considerar “os legítimos interesses de segurança (…) e necessidade de respeitar princípios da Carta das Nações Unidas”

Por  Reuters -

(Reuters) – O Brasil defende a busca de uma solução negociada para a situação que envolve a Ucrânia, afirmou o Itamaraty em nota divulgada nesta terça-feira, depois que o presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu a independência de regiões separatistas no leste daquele país.

“Diante da situação criada em torno do status das autoproclamadas entidades estatais do Donetsk e do Luhansk, o Brasil reafirma a necessidade de buscar uma solução negociada, com base nos Acordos de Minsk”, afirma a nota do Ministério das Relações Exteriores.

Na segunda-feira, Putin reconheceu duas regiões separatistas no leste da Ucrânia como independentes e ordenou que o Exército russo lançasse o que Moscou chamou de operação de manutenção da paz na região, intensificando uma crise que o Ocidente teme que possa resultar em uma guerra.

Segundo o Itamaraty, essa solução negociada precisa levar “em consideração os legítimos interesses de segurança da Rússia e da Ucrânia e a necessidade de respeitar os princípios da Carta das Nações Unidas”.

“(O Brasil) apela a todas as partes envolvidas para que evitem uma escalada de violência e que estabeleçam, no mais breve prazo, canais de diálogo capazes de encaminhar de forma pacífica a situação no terreno”, acrescenta a nota.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Compartilhe