Eleições americanas

Biden sai como grande vencedor da Super Terça e deve disputar indicação com Sanders

Ex-vice-presidente venceu em nove dos 14 estados da noite, incluindo o Texas, o segundo maior; Sanders deve ganhar na Califórnia

Joe Biden (crédito: Facebook)

SÃO PAULO – Os números finais ainda irão demorar para serem divulgados, mas a Super Terça das eleições americanas tem um claro vencedor: Joe Biden. O ex-vice-presidente, que saiu atrás no início das primárias, ganhou força nos últimos dias e comprovou seu bom momento na corrida pela vaga democrata para enfrentar Donald Trump em novembro.

Dos 14 estados que votaram na terça-feira (3), Biden venceu em nove, incluindo Texas, Carolina do Norte e Virginia, três dos quatro maiores em números de delegados. Enquanto isso, o senador Bernie Sanders, que chegou como favorito neste dia, conquistou apenas três.

Até às 7h da manhã desta quarta, dois estados ainda estavam equilibrados demais para que alguma projeção apontasse um vencedor: Maine e Califórnia, o maior estado do país e o que fornece mais delegados (415).

PUBLICIDADE

As pesquisas indicam que Sanders deve vencer no estado da costa oeste dos Estados Unidos, mas o sistema eleitoral do país faz com que ser declarado o vitorioso não seja suficiente. Lá, se o candidato conseguir pelo menos 15% dos votos, terá direito a angariar delegados, ou seja, é preciso ter uma grande vantagem na liderança para realmente vencer.

A grande noite de Biden

Joe Biden viu sua campanha sair de favorita antes do início das primárias para praticamente perdida após as votações nos três primeiros estados (Iowa, New Hampshire e Nevada). Porém, a conquista na Carolina do Sul mudou completamente o cenário.

Sua vitória no estado já era esperada, mas a vantagem de 28,5 pontos surpreendeu (eram esperados cerca de 15 pontos), o que foi suficiente para as casas de aposta verem uma mudança na corrida. Sanders deixava de ser o favorito para dar lugar a Biden. Enquanto isso, as pesquisas não registravam ainda este ganho de força, colocando o resultado da Super Terça como algo difícil de se prever.

E conforme os primeiros estados encerravam as votações, analistas políticos destacavam a vitória do ex-vice de Barack Obama, que conseguiu se confirmar nos estados do sul, angariando os votos principalmente dos eleitores negros, mais velhos e da ala conservadora.

O pré-candidato ainda se beneficiou do apoio de diversos outros concorrentes que largaram a disputa recentemente, como Pete Buttigieg, Amy Klobuchar e Tom Steyer, fato que o próprio Biden creditou e agradeceu em discurso feito na noite de terça.

Sanders perde força, mas não está fora da disputa

Vitorioso em apenas três estados pequenos, o senador Bernie Sanders aposta suas fichas na Califórnia, que ainda deve demorar para ter seu resultado final, mas que ele deve vencer. A questão é quantos delegados a mais ele irá conseguir sobre Biden, o que fará toda a diferença na disputa democrata após a arrancada do ex-vice.

PUBLICIDADE

Ele lutou tanto para conseguir ampliar sua vantagem que chegou a entrar com um pedido de emergência para estender a votação no estado, que sofreu com longas filas durante todo o dia de votação. Não conseguiu.

No Texas o senador teve uma dura derrota. Chegou a ficar na frente boa parte da apuração, mas foi perdendo força na reta final e acabou derrotado, apesar da margem pequena. Ele venceu em Vermont (seu estado), Colorado e Utah.

A noite não foi boa para o senador, mas ele segue forte na disputa pela indicação democrata e claramente terá Biden como seu rival. Em seu discurso durante a noite, mostrou que sentiu o golpe e direcionou todos os seus ataques ao ex-vice de Obama.

Os derrotados

A Super Terça teve dois perdedores claros: Elizabeth Warren e Michael Bloomberg.

A primeira não conseguiu vencer nem no seu próprio estado, Massachusetts, e deve largar a disputa, apesar de não ter feito nenhuma indicação nesta linha ainda. Durante a noite, seus assessores afirmaram que ela gostaria de se manter como candidata pelo menos até o próximo debate, para se colocar como “uma alternativa” aos dois principais candidatos.

Já Bloomberg saiu como o maior perdedor. Bateu recorde ao gastar US$ 500 milhões em apenas três meses, preferindo não participar dos primeiros estados e entrar apenas na Super Terça. Resultado: venceu apenas no território da Samoa Americana, ganhando 5 delegados.

Durante a noite, se mostrou decepcionado e afirmou ontem que iria repensar sua campanha. Mais do que o fraco desempenho, ele disse que não queria ajudar Sanders a ser escolhido. Na manhã desta quinta, Bloomberg abandonou a disputa e anunciou apoio a Biden.

Como ele e o ex-vice-presidente disputavam a mesma parcela do eleitorado, os de centro, eles acabavam se canibalizando, dividindo os delegados entre si, o que poderia favorecer Sanders.

PUBLICIDADE

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos