Renda fixa

Prefixados pagam 6,25% ao ano nesta terça-feira; confira taxas do Tesouro Direto

Em evento na capital paulista, presidente do BC afirmou que choque inflacionário pela alta da carne veio rápido, mas irá se dissipar rapidamente

Crédito: Shutterstock
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, operam sem movimento definido na tarde desta terça-feira (28).

Pela manhã, investidores acompanharam a participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento promovido pelo Credit Suisse, em São Paulo. Durante a apresentação, Campos Neto disse que o Brasil tem perspectiva de crescer mais que os vizinhos e que, apesar do choque na carne ter sido mais rápido e intenso do que se esperava na inflação, deve se dissipar rapidamente.

Este deve ser o último pronunciamento do BC antes do início do período de silêncio pré-Copom, reunião que acontecerá nos dias 4 e 5 de fevereiro e irá decidir o rumo das taxas de juros no Brasil.

No ambiente internacional, o governo da China optou por fechar a província de Hubei, prolongar o feriado do ano-novo lunar e fechar as bolsas até o dia 3 de fevereiro, como forma de evitar a proliferação do coronavírus. Além disso, por determinação de Pequim, as empresas chinesas estão proibidas de voltar ao trabalho até o dia 10.

Leia também:
Número de investidores no Tesouro Direto aumenta em 415 mil em 2019
Tesouro pretende lançar título prefixado com vencimento acima de 10 anos

No Tesouro Direto, os títulos com vencimentos mais curtos apresentavam apreciação em suas taxas. É o caso do Tesouro IPCA+2024, cujo retorno subia de 2,34% para 2,36% ao ano, e do Tesouro Prefixado 2022, que pagava 4,94% ao ano, ante 4,89% a.a. pela manhã.

Já os papéis com prazos mais alongados apresentavam queda em suas taxas, caso do Tesouro Prefixado com juros semestrais 2029, cuja taxa cedia de 6,68% para 6,65% ao ano.

Confira, a seguir, os preços e as taxas dos títulos disponíveis no Tesouro Direto:

Fonte: Tesouro Direto

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Entenda tudo sobre Tesouro Direto neste guia completo:

Guias InfoMoney

Tesouro Direto  Tesouro Direto