Tesouro Direto

Prêmios de títulos públicos recuam; deságio do Tesouro Selic cai para menor nível desde 02/10

A taxa, que chegou a 0,37% na quinta-feira (08), recuou para 0,27% na tarde desta terça-feira

notas de 100 e 50 reais
(Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após a abertura dos prêmios pagos pelo Tesouro Selic, com destaque para a última semana, o título público mais conservador do mercado apresentava queda da taxa de deságio nesta terça-feira (13), volta de feriado.

A taxa, que chegou a 0,37% na quinta-feira (08), foi a maior já paga pelo Tesouro Selic 2025 e estava aumentando principalmente nos últimos 30 dias, em meio ao aumento do risco fiscal.

Nesta tarde, contudo, o papel pagava a variação da Selic acrescida de uma taxa de deságio próxima de 0,27% ao ano – a menor desde 2 de outubro, quando era de 0,25%. Confira na imagem a seguir:

Fonte: Tesouro Direto

Hoje, os investidores repercutiram o anúncio do Tesouro Nacional e do Banco Central de mudanças na oferta de títulos públicos federais e nas operações compromissadas, diante da maior demanda do mercado financeiro por instrumentos de curto prazo. Entenda aqui.

Mercado hoje

No Tesouro Direto, a maior parte dos papéis operava em queda nesta tarde. O título indexado à inflação com vencimento em 2035 pagava uma taxa anual de 4,06%, ante 4,13% ao ano na tarde de sexta-feira (9). O juro pago pelo mesmo papel com juros semestrais e prazo em 2055, por sua vez, cedia de 4,24% para 4,21% ao ano.

Leia também:
Aversão a risco leva investidor a perder dinheiro até no Tesouro Selic; o que é seguro agora?

Entre os papéis prefixados, o com vencimento em 2026 oferecia um prêmio anual de 7,15%, frente a 7,29% a.a. anteriormente. Já o juro pago pelo Tesouro Prefixado com juros semestrais e vencimento em 2031 recuava de 7,94% para 7,80% ao ano.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta terça-feira (13):

Fonte: Tesouro Direto

Relatório Focus

Entre os destaques do dia, o mercado financeiro fez uma pequena revisão na projeção para o desempenho da economia brasileira e agora vê uma queda de 5,03% para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano, ante estimativa de contração de 5,02% na semana anterior.

De acordo com o relatório Focus, divulgado nesta manhã pelo Banco Central, a atividade deverá crescer 3,50% em 2021, sem alterações em relação ao último levantamento.

Em meio ao aumento dos preços, em um contexto de estímulos fiscais e monetários para minimizar os impactos da pandemia de coronavírus, os economistas ouvidos pela autoridade monetária elevaram, pela nona semana consecutiva, as projeções para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 2,12% para 2,47%, em 2020.

Para 2021, a estimativa é de alta a 3,02%, frente projeção anterior de IPCA a 3,00%.

Já com relação à taxa Selic, as projeções foram mantidas em 2,00% ao ano, em dezembro, e em 2,50% a.a., ao fim de 2021.

Cena doméstica

No radar político, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, defendeu priorizar para este ano a PEC Emergencial e a reforma tributária, segundo o jornal Valor Econômico.

Com o calendário apertado este ano, por conta das eleições de novembro, a equipe econômica quer votar até o fim do ano o novo marco regulatório para o gás natural, projeto que abre o mercado de cabotagem (navegação entre portos brasileiros) e visa quebrar o monopólio dos Correios na comunicação postal, destaca a revista Veja.

Embora a expectativa por uma agenda robusta de austeridade fiscal para os próximos meses seja cada vez menor, o mercado reluta em desembarcar do governo, que ganhou popularidade durante a pandemia.

Quadro internacional

No ambiente internacional, os mercados repercutiram a paralisação nos testes da vacina contra o coronavírus que está sendo desenvolvida pela Johnson & Johnson. A medida foi tomada porque um paciente desenvolveu uma doença inexplicada depois de receber a profilaxia.

Ainda no exterior, as perspectivas de um fim rápido para o impasse sobre o pacote de estímulos econômicos nos Estados Unidos podem estar desaparecendo. Isso porque membros da Câmara estão sendo informados para não esperar nenhuma ação nesta semana e muitos republicanos do Senado estão rejeitando a proposta de acordo com a Casa Branca.

Destaque ainda para o início da temporada de resultados nos EUA. O banco JPMorgan reportou dados financeiros melhores que o esperado pelos analistas, o que animou os investidores.

Na corrida eleitoral, o presidente americano Donald Trump retomou nesta segunda-feira a campanha presidencial com um comício no disputado estado da Flórida, depois de dez dias afastado por ter sido diagnosticado com Covid-19, em uma corrida intensa até as eleições de 3 de novembro.

Semana dos Vencedores: aprenda a fazer operações com potencial de ganho de R$ 50 a R$ 500, operando apenas 10 minutos por dia, em um workshop gratuito!