Sam Bankman-Fried é condenado a 25 anos de prisão por fraude nos EUA

Ele foi considerado culpado por aplicar um golpe bilionário em clientes da exchange FTX

Lucas Gabriel Marins

Bloomberg

Publicidade

A Justiça dos Estados Unidos condenou nesta quinta-feira (28) o fundador da falida exchange de criptomoedas FTX, Sam Bankman-Fried, a 25 anos de prisão. Ele foi responsabilizado por aplicar um golpe de mais de US$ 10 bilhões nos investidores da empresa.

O juiz distrital Lewis Kaplan proferiu a decisão em uma audiência no tribunal de Manhattan. No final do ano passado, um júri já havia considerado Bankman-Fried culpado de sete acusações de fraude e conspiração decorrentes do colapso da FTX.

A sentença é uma das mais longas proferidas a réus de colarinho branco nos últimos anos, segundo o The New York Times. Bernie Madoff, criador da maior fraude financeira da história dos EUA, recebeu pena de 150 anos em 2009. Elizabeth Holmes, acusada de fraudar investidores em sua startup de exames de sangue, pegou 11 anos e três meses em 2022.

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em sua declaração, que durou 20 minutos, o ex-blionário do setor cripto disse que “lamentava” o que havia acontecido, mas negou ter cometido fraude intencionalmente, alegando que ele e seu império cripto foram vítimas da crise que afetou os mercados em 2022.

O juiz rejeitou a declaração do agora condenado, que já foi considerado uma das principais personalidades do mercado de criptomoedas, dizendo que ele não estava verdadeiramente arrependido.

“Existe o risco de que este homem esteja em posição de fazer algo muito ruim no futuro”, disse o magistrado. “E não é um risco trivial”, completou.

Continua depois da publicidade

Além da sentença de prisão, Kaplan disse que Bankman-Fried deveria pagar mais de US$ 11 bilhões.

A FTX quebrou em 2022 após um buraco de US$ 8 bilhões vir à torna, deixando um rastro de prejuízo para milhares de vítimas em todo o mundo, inclusive no Brasil, além de jogar o mercado de criptomoedas em uma de suas piores crises de confianças. Os promotores chamaram o caso de uma das maiores fraudes financeiras da história dos EUA.

“Era um negócio impregnado de criminalidade”, disse o procurador assistente dos EUA, Nick Roos. “Embora a frase pareça boa, é preocupante porque o que ela diz é que se o Sr. Bankman-Fried pensasse que a matemática iria justificá-la, ele faria tudo de novo.”

De acordo com a investigação, os clientes da FTX perderam US$ 8 bilhões, os investidores de capital da FTX mais US$ 1,7 bilhão e os credores de fundo de hedge Alameda Research, também fundado por Bankman-Fried, perderam US$ 1,3 bilhão.

(Com Reuters e Bloomberg)

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do InfoMoney