FII HGLG11 confirma transação bilionária e adquire 4 novos galpões em SP

Os imóveis faziam parte do portfólio do também fundo imobiliário GTLG11 e foram negociados por R$ 1,37 bilhão

Wellington Carvalho

Publicidade

Maior FII de logística em número de cotistas – 365 mil –, o CSHG Logística (HGLG11) confirmou a compra do portfólio do também fundo imobiliário GTIS Brazil Logistics (GTLG11), conforme apontam comunicados divulgados pelas duas carteiras.

A transação, iniciada no começo do mês, está avaliada em R$ 1,373 bilhão e envolve quatro imóveis, além de ações de emissão da CLERC Energia Empreendimentos S.A.

Pelo acordo, o HGLG11 realizou um pagamento inicial de R$ 578 milhões – sendo que um montante de R$ 360 milhões deste valor será usado para quitar 50% do endividamento do (GTLG11).

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Do saldo remanescente da operação – aproximadamente R$ 800 milhões – uma parcela de R$ 430 milhões seguirá para o GTIS Brazil Logistics e a outra, de R$ 370 milhões, para o pagamento do restante da dívida da parte vendedora.

“A partir da presente data e até a conclusão da transação, o HGLG11 fará jus ao recebimento de 42% das receitas distribuíveis que serão apuradas mensalmente pelo GTLG11”, destaca fato relevante do CSHG Logística. “A partir da quitação do saldo remanescente e lavratura das escrituras definitivas de aquisição dos imóveis, o HGLG11 fará jus a 100% dos aluguéis decorrentes dos imóveis”, completa o texto.

Leia também:

Continua depois da publicidade

A gestão do HGLG11 promete informar em data oportuna mais detalhes sobre o impacto da transação na operação do fundo, assim como mais dados sobre os novos locatários.

De acordo com o último relatório gerencial do GTIS Brazil Logistics, os imóveis negociados somam cerca de 335 mil metros quadrados de área bruta locável (ABL) e três deles estão 100% ocupados. Todos estão localizados no estado de São Paulo, em regiões como Embu, Barueri e Cajamar.

Ainda segundo o documento, 75% dos atuais inquilinos estão ligados ao segmento de e-commerce e 19% ao setor logístico.

Leia também:

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.