Chegou a hora do Ethereum? Gestoras travam corrida para lançar primeiro ETF da criptomoeda nos EUA

Situação regulatória mudou de figura após SEC aprovar ETF que permite se alavancar em Bitcoin na bolsa americana

Bloomberg

Publicidade

Gestoras dos Estados Unidos estão mais uma vez se aventurando no mundo cripto apesar da pressão regulatória no mundo.

VanEck, Roundhill e Volatility Shares estão entre a meia dúzia de emissores que apresentou pedidos de abertura ETFs (fundos de índice) de futuros de Ethereum (ETH) desde sexta-feira (4), de acordo com documentos apresentados à Securities and Exchange Commission (SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA).

Algumas das tentativas mais recentes vêm de empresas como a Bitwise, que cancelou pedidos de aprovação de fundos semelhantes em meados de maio.

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Recentemente, gestoras foram encorajas a voltar a tentar emplacar um produto do tipo após a SEC dar sinal verde para o ETF 2X Bitcoin Futures, da Volatility Shares (que permite operar alavancado via ETF), além da perspectiva de liberação do primeiro fundo negociado em bolsa dos EUA exposto diretamente ao Bitcoin (BTC).

Dado o forte histórico da gestora BlackRock, seu pedido realizado em junho para lançar um ETF de Bitcoin gerou imensa repercussão e aumentou as esperanças de que o regulador finalmente possa dar aval nos EUA, após anos de tentativas por parte dos emissores.

“Alguém tenta fazer um registro e, em seguida, ocorre o “Fomo” (sigla para fear of missing out, ou medo de perder a oportunidade, em português) de outros emissores e vários registros aparecem”, disse Todd Sohn, estrategista de ETF da Strategas. “É uma histeria em massa – o tamanho potencial do mercado é grande demais para os emissores ignorarem”.

Continua depois da publicidade

Os fundos cripto estão entre os de melhor desempenho globalmente no universo de ETFs neste ano, com o Valkyrie Bitcoin Miners ETF (WGMI) e o VanEck Digital Transformation ETF (DAPP) cada um subindo mais de 200% desde o final de dezembro.

O ProShares Bitcoin Strategy ETF (BITO), que foi o primeiro fundo de futuros de Bitcoin a estrear, subiu 45% no ano até o momento.

“A história recente sugere que a SEC pedirá que [os pedidos] sejam retirados. Mas a Volatility Shares conseguiu obter um ETF de futuros de Bitcoin 2x no mês passado”, disse James Seyffart, analista de ETF da Bloomberg Intelligence. “Duvido que todos esses emissores entrariam com pedido ao mesmo tempo se não houvesse pelo menos uma chance significativa de aprovação”.

Por muitos anos, os reguladores hesitaram em dar anuência às tentativas de lançamento de ETFs de cripto, apesar de os produtos baseados em futuros de Bitcoin serem negociados nos EUA desde 2021.

Leia mais:

“Embora a SEC possa ter menos probabilidade de aprovar qualquer coisa fora do domínio do Bitcoin, também há menos razão para rejeitar um ETF de futuros de Ethereum, dada a existência de ETFs de futuros de Bitcoin”, disse Roxanna Islam, diretora associada de pesquisa e chefe de pesquisa do setor e da indústria na VettaFi.

“Ainda que o resultado final seja difícil de prever, isso indica que o interesse institucional em cripto ainda é forte e podemos ver as empresas continuarem a apresentar pedidos nos próximos dias”.

A gestora de ativos digitais Grayscale Investments também entrou com pedido de um produto de futuros de Ethereum, enquanto a ProShares está procurando lançar um fundo semelhante, bem como um com característica inversa, vendido na criptomoeda no mercado futuro.

“Os futuros de Bitcoin funcionaram bem, sem grandes problemas de negociação, então isso parece uma progressão natural da categoria, além do lançamento do ‘2x Bitcoin’ algumas semanas atrás. Portanto, o nível de conforto [do regulador] parece estar crescendo”, disse Sohn.

© 2023 Bloomberg LP.