De volta às festas

Carnaval fora de época: ocupação hoteleira no Rio chega a 78%

Festa adiada devido à Ômicron vai até domingo; Barra da Tijuca/São Conrado têm a maior ocupação na cidade (80,60%), e no interior a média é ainda melhor

Por  Agência Brasil -

A ocupação hoteleira do Rio de Janeiro para o carnaval fora de época, que começou na quarta-feira (20) e vai até domingo (24), registra uma média de 78% dos quartos reservados, segundo a Abih-RJ (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro) e a HotéisRIO.

Os bairros Barra da Tijuca/São Conrado ocupam a primeira posição, com 80,60% de ocupação, seguido de Ipanema/ Leblon em segundo (79,29%) e Leme/Copacabana em terceiro (77,64%). Depois vêm Flamengo/ Botafogo (72,09%) e Centro (71,28%).

No interior do estado, a média é ainda melhor, com 90,26% de quartos reservados.

A Costa do Sol abre a lista com Arraial do Cabo (96,80%), Cabo Frio (93,50%) e Armação dos Búzios (93,40%). Na sequência vêm Paraty, na Costa Verde (92%) e Itatiaia/Penedo, nas Agulhas Negras, e Macaé, na Costa do Sol, empatados com 91,5%.

Em seguida aparece Miguel Pereira (91,4%), no Vale do Café, e Teresópolis (91%), na Serra Verde Imperial, seguidos de Angra dos Reis (90%), na Costa Verde.

Vassouras e Valença/Conservatória, no Vale do Café, registram 88,7% e 88,1%, respectivamente; completam a lista Rio das Ostras (87,2%), na Costa do Sol, e Petrópolis (80,2%), na Serra Verde Imperial.

Turistas brasileiros e estrangeiros

A pesquisa diz que este será um Carnaval com muitos turistas domésticos (que respondem por 86% das reservas). A maior parte vem de São Paulo, seguido por Minas Gerais em segundo e os turistas do próprio estado do Rio em terceiro. Na quarta posição estão os capixabas.

Casais e famílias predominam, seguidos por visitantes sozinhos e em grupos. Entre as faixas etárias, o primeiro lugar fica com as pessoas entre 31 a 40 anos, seguidos pelos de 41 a 50 anos, 51 a 60 anos e 21 a 30 anos.

Segundo o levantamento, já é possível observar um retorno gradual dos turistas estrangeiros, que representam 14% dos hóspedes. A maior parte vem dos Estados Unidos, seguidos de Argentina, Chile e Colômbia.

Eles são predominantemente casais, e em seguida estão os visitantes sozinhos, as famílias e os grupos. A faixa etária de 41 a 50 anos fica em primeiro lugar, seguida da faixa de 31 a 40 anos, e depois a de 21 a 30 anos e a de 51 a 60 anos.

A maior festa do Rio

O presidente do HotéisRIO, Alfredo Lopes, ressalta que o carnaval é o maior evento do Rio. Dados da Riotur apontam que, em 2020, antes do início da pandemia, a festa foi acompanhada por 2,1 milhões de turistas, que movimentaram cerca de R$ 4 bilhões na economia carioca.

“Após dois anos sem desfiles e blocos, o público quer voltar a desfrutar dos encantos da Cidade Maravilhosa”, afirmou Lopes em nota.

O secretário estadual de Turismo, Sávio Neves, destacou a consolidação dos destinos do Rio com a retomada das atividades. “Saímos de um feriado da Semana Santa com números excelentes e mantivemos o nível no carnaval”.

“Fora todo o simbolismo da volta desta festa, que é o maior espetáculo do mundo, os números representam que estamos trilhando o caminho certo para a retomada total das atividades, tendo o turismo como a locomotiva que irá gerar desenvolvimento econômico e social para o nosso estado”, disse o secretário.

9 formas de transformar o seu Imposto de Renda em dinheiro: um eBook gratuito te mostra como – acesse aqui!

Veja também:

Compartilhe