VBBR3: Redução das importações de diesel deve favorecer Vibra Energia, preferida do BBA entre distribuidoras

Empresa é considerada melhor posicionada para se beneficiar de cenário de maior competividade com redução de importações de diesel

Camille Bocanegra

Publicidade

As importações totais de diesel apresentam queda desde março, de acordo com relatório do Itaú BBA, e devem seguir nessa tendência, mesmo com ligeiro aumento em agosto. Conforme a análise, entre as razões para a queda estariam o aumento da oferta e o possível gap de preço da Petrobras (PETR4) em relação à paridade de importação.

O aumento de agosto, segundo o BBA, foi motivado por efeitos de sazonalidade e o mês também apresentou aumento de importações de diesel russo, em detrimento de outras fontes.

“Acreditamos que a combinação de aumento da oferta doméstica e a maior estabilidade de preços da Petrobras deve reduzir a atratividade do mercado brasileiro para importadores independentes, o que deve proporcionar um melhor ambiente competitivo para as maiores distribuidoras de combustíveis e, eventualmente, permitir a expansão das margens e a recuperação do ROIC”, diz a análise.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No setor, o BBA considera como preferida a Vibra Energia (VBBR3), com preço-alvo de R$ 19,30, por apresentar melhores condições para se beneficiar do cenário mais competitivo.

Aumento de participação da Vibra

Em termos de participação no mercado de combustíveis, a Vibra já aumentou sua fatia em julho e demonstrou que sua estratégia de recuperação de mercado está dando resultados, de acordo com o BBA.

As concorrentes Ipiranga (subsidiária da Ultrapar) e Raízen (RAIZ4) assistiram queda no mesmo período.

Continua depois da publicidade

Dentro da divisão de mercado, a categoria de “outros distribuidores” (empresas com menor expressão ou players independentes) teve ligeiro aumento na participação de mercado também em julho.

Nos meses anteriores, os considerados “player independentes”, segundo o BBA, apresentaram aumento nas importações, o que explica os dados de participação de mercado.

Ainda que os dados de agosto ainda não tenham sido divulgados, o banco estima que a participação no mercado será reduzida, uma vez que houve diminuição de 56% nas importações em julho. Essa redução deve, inclusive, impulsionar um aumento de contratos com as maiores distribuidoras.

Avaliação de VBBR3 e UGPA3

Entre os nomes da cobertura do Itaú, Vibra e Ultrapar (UGPA3) se destacam, mas o valuation da primeira a torna mais atrativa, de acordo com a análise, com múltiplos P/E de 11,6x, abaixo da sua média de cinco anos.

A Ultrapar, por sua vez, negocia a 16X o P/E, perto de sua média histórica e tem preço-alvo de R$ 19,20 estabelecido pelo BBA.

Ambas recuaram nesta terça (19), com Vibra cedendo 1,09%, a R$ 19,12, enquanto Ultrapar recuou 2,19%, a R$ 18,75.

No ano, ambas têm se valorizado, com variação positiva de quase 23% para Vibra e de 51,8% para Ultrapar.